B3 (B3SA3) lucra R$ 1,05 bi no 4º tri, queda de 8,2%, e anuncia R$ 374 mi em dividendos

A operadora da bolsa brasileira apresentou seus resultados na noite desta quinta-feira (22), com queda de 2,8% na receita líquida

Camille Bocanegra

Publicidade

A B3 (B3SA3) registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,05 bilhão no terceiro trimestre deste ano, queda de 8,2% em comparação ao mesmo período de 2022, informou a companhia nesta quinta-feira.

O lucro líquido atribuído aos acionistas, que exclui itens não recorrentes, ficou em R$ 915,5 milhões, queda de 8,8% em 12 meses. Na comparação trimestral, o recuo foi ainda mais acentuado, em 14,8%. O lucro ficou abaixo do estimado pelo consenso LSEG, que estimava R$ 1,12 bilhão.

A receita líquida da operadora da Bolsa foi de R$ 2,24 bilhões no quarto trimestre de 2023, queda de 2,8% na comparação ano a ano e ligeiramente abaixo do projetado pela LSEG, em R$ 2,26 bilhões. A receita total ficou em R$ 2,5 bilhões, considerada “em linha” com o trimestre anterior pela B3 e 2,9% abaixo do mesmo período de 2022.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) recorrente foi de R$ 1,45 bilhão, retração de 10,3% na base anual. Assim, a margem Ebitda caiu 540 pontos base, para 65,1%, dos 70,1% anteriores.

O segmento listado, a maior contribuição para as receitas, representando 56,9% do total, as receitas somaram R$ 1,419 bilhão, queda de 13,5% em 12 meses. No mercado de balcão, as receitas cresceram 14,7% em 12 meses para R$ 399 milhões, representando 16% do total.

Em tecnologia, dados e serviços, as receitas subiram 11,5% para R$ 522 milhões (20,9% do total). As receitas com infraestrutura para financiamento subiram 38% para R$ 153,2 milhões (6,1% do total).

Continua depois da publicidade

O volume financeiro médio diário negociado (ADTV) em ações totalizou R$24,3 bilhões no 4T23, uma alta de 2,0% na comparação com o 3T23, “refletindo uma ligeira recuperação na atividade do mercado de capitais após um período sazonalmente mais fraco, mas uma queda de 24,8% em relação ao 4T22, principalmente devido às eleições de 2022 que impactaram os volumes do segmento nesse período”, afirmou a B3.

No caso dos contratos futuros de índices, a receita por contrato média teve alta de 1,1%, explicada por queda nos volumes, o que reduz descontos previstos na tarifação e reajuste de preços para traders mais frequentes (High Frequency Traders). A ADV caiu 3,9%.

As despesas da B3 somaram R$ 1,07 bilhão no quarto trimestre de 2023, alta de 9,9%. Excluindo os efeitos da consolidação de Neurotech, as despesas teriam somado
R$1.045,6 milhões, 7,1% acima do 4T22.

Anúncio de dividendos

O conselho de administração da B3 aprovou o pagamento de dividendos referentes ao 4T23, totalizando R$ 374 milhões, conforme registrado na ata da reunião ocorrida em 22 de fevereiro.

O montante por ação equivale a R$ 0,06689494. As ações da B3 serão transacionadas com direito aos dividendos até 27 de fevereiro de 2024, e a partir de 28 de fevereiro de 2024, serão negociadas ex-dividendos. O pagamento está programado para o dia 5 de abril de 2024.