Avianca interrompe integração com Viva na Colômbia após determinações regulatórias

Empresa atribui decisão às determinações impostas pela Aerocivil, órgão estatal da Colômbia encarregado de regular a aviação civil no país

Estadão Conteúdo

Publicidade

A Avianca comunicou, no sábado (13), que desistiu do processo de integração com a colombiana Viva. A empresa atribui a decisão às determinações impostas pela Aerocivil, órgão estatal da Colômbia encarregado de regular a aviação civil no país.

“Apesar dos nossos esforços, as condições definidas pela Aerocivil não apenas impediriam a Viva de ser uma companhia aérea financeira e operacionalmente viável, mas também poderiam comprometer a estabilidade da Avianca”, disse a empresa em comunicado.

A empresa declarou ainda que durante a atual crise do setor, em que não só a Viva como também o Ultra deixaram de voar, a Avianca tem buscado constantemente propor soluções.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O documento destaca que a empresa, além de ter sido a única a fazer uma proposta concreta para salvar a Viva, redirecionou mais de 160 mil pessoas gratuitamente e forneceu voos adicionais para destinos críticos como San Andres, Medellín, Riohacha ou Buenos Aires, entre muitos outros.

A nota diz ainda que apesar do desfecho, a Avianca buscará aumentar seu número de aeronaves para melhor conectividade com as regiões da Colômbia, além de implementar mecanismos para oferecer opções de trabalho aos funcionários da Viva.