Perspectivas

Ata do Copom, prévia de inflação e marco do saneamento: o que acompanhar na próxima semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar na semana

SÃO PAULO – Se de um lado a semana foi positiva na Bolsa, com o Ibovespa subindo 4%, o dólar também avançou nos últimos dias e voltou para acima de R$ 5,30, indicando que ainda não há um alívio sustentável no mercado, fato comprovado também pela forte volatilidade dos índices de ações por aqui e nos Estados Unidos.

Diante disso, os investidores terão uma semana mais tranquila na agenda de indicadores, enquanto os eventos políticos e o desenrolar da crise do novo coronavírus devem seguir guiando o humor dos mercados.

PUBLICIDADE

No Brasil, atenção especial para a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que na quarta passada cortou a Selic para 2,25% ao ano e ainda deixou aberta a possibilidade de uma nova redução de juros nos próximos meses. O documento será divulgado na terça-feira (23).

Na quinta (25) é a vez do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), mesmo dia em que ocorre a reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), que deve discutir as novas metas de inflação.

Ainda no dia 25 será divulgada prévia da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15). Segundo dados compilados pela Bloomberg, o indicador deve mostrar estabilidade após a deflação de 0,59% em maio. Indicadores da semana ainda incluirão contas externas, confiança do consumidor e números de crédito.

No exterior, a agenda não terá tantos dados, com destaque para os PMIs de junho e pedidos de bens duráveis nos EUA, que ainda contará com a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre.

A zona do euro também divulgará PMIs, que devem mostrar melhora em junho. Investidores ainda ficam de olho em novidades sobre estímulos ao redor do mundo e negociações entre EUA e China.

De volta ao noticiário doméstico, os desdobramentos da prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do filho do presidente, Flavio Bolsonaro, serão acompanhados e podem pesar no clima político e ainda respingar no mercado financeiro.

PUBLICIDADE

Sobre a pandemia, o Brasil superou a marca de 1 milhão de casos, mas nos últimos dias o número de casos diários mostrou recuo, com o governo chegando a falar em estabilização da doença. Apesar de parecer positiva, essa notícia precisará ser confirmada pelos números dos próximos dias.

Por fim, atenção também para o marco legal do saneamento, que deve ser votado na próxima semana. O marco estabelece mecanismos para atrair investimentos privados básicos para o setor. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre ainda definiu para a próxima terça a votação de uma PEC para adiar as eleições municipais deste ano.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!