100 anos de Roberto Campo

As frases memoráveis do economista Roberto Campos

Maior legado do economista foi de difusor de ideias do pensamento liberal; confira frases memoráveis de Roberto Campos

Brasil, Rio de Janeiro, RJ. 18/08/1998. O deputado e ex-ministro Roberto Campos discursa durante evento sobre a crise econômica mundial na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo. – Crédito:RAIMUNDO VALENTIM/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Codigo imagem:122275

SÃO PAULO –  Um dos expoentes do liberalismo no Brasil, o economista Roberto Campos, morto em 2001, foi diplomata, economista, senador e deputado federal.

Porém, o seu maior legado foi no campo das ideias (veja mais sobre o perfil dele clicando aqui) ao encarnar o papel de pregador incansável do pensamento liberal, usando de ironia para combater o comunismo, o socialismo e o esquerdismo de botequim.

Ele segue sendo destaque nos corações e mentes dos seguidores do liberalismo no Brasil e também é conhecido por suas frases memoráveis.

PUBLICIDADE

Confira abaixo algumas das frases que marcaram a trajetória de Roberto Campos: 

“Haverá salvação para um país que se declara “deitado eternamente em berço esplêndido” e cujo maior exemplo de dinâmica associativa espontânea é o Carnaval?”

“Uma vez criada a entidade burocrática, ela, como a matéria de Lavoisier, jamais se destrói, apenas se transforma.”

“Sou chamado a responder rotineiramente a duas perguntas. A primeira é ‘haverá saída para o Brasil?’. A segunda é ‘o que fazer?’. Respondo àquela dizendo que há três saídas: o aeroporto do Galeão, o de Cumbica e o liberalismo. A resposta à segunda pergunta é aprendermos de recentes experiências alheias.” 

“Quando cheguei ao Congresso, queria fazer o bem. Hoje acho que o que dá para fazer é evitar o mal.”

“No Brasil, tivemos um autoritarismo encabulado”

PUBLICIDADE

“As reformas não conseguirão piorar nosso manicômio fiscal. Mas, como dizia um engraxate da Câmara, não há perigo de melhorar.” – ao falar sobre o projeto de reforma fiscal em tramitação no Congresso Nacional, em dezembro de 1999.

“Para as esquerdas brasileiras, o socialismo não fracassou; é apenas um sucesso mal explicado.”

“Segundo Marx, para acabar com os males do mundo, bastava distribuir. Foi fatal. Os socialistas nunca mais entenderam a escassez.”

“Fui um bom profeta. Pelo menos, melhor que Marx. Ele previra o colapso do capitalismo; eu previ o contrário, o fracasso do socialismo.”

“O doce exercício de xingar os americanos em nome do nacionalismo nos exime de pesquisar as causas do subdesenvolvimento e permite a qualquer imbecil arrancar aplausos em comícios.”

“Tal como os muçulmanos em suas mesquitas, deixarei minhas sandálias ideológicas do lado de fora da casa.” – em discurso de posse na Academia Brasileira de Letras, em novembro de 1999.

“Hoje eu estudaria biologia molecular. A economia é apenas a arte de alcançar a miséria com o auxílio da estatística.” – ao ser questionado se mudaria de profissão.

“A chamada ‘Terceira Via’ é incompetência para praticar o capitalismo e covardia para aplicar o socialismo.”

“Um espectro ronda o país –o espectro da desordem.”

“Nossa Constituição é uma mistura de dicionário de utopias e regulamentação minuciosa do efêmero.”

“Não me iludi com o totalitarismo de esquerda por um raciocínio muito simples. Deus não é socialista. Criou os homens profundamente desiguais.” – durante sua posse na ABL.

“Estamos ainda longe demais da riqueza atingível, e perto demais da pobreza corrigível. Minha geração falhou.”

“Continuamos a ser a colônia, um país não de cidadãos, mas de súditos, passivamente submetidos às ‘autoridades’ – a grande diferença, no fundo, é que antigamente a ‘autoridade’ era Lisboa. Hoje, é Brasília.”

“A mágica agora é o denuncismo do ‘pega corrupto’. Esquecemos as razões profundas da corrupção, a falência múltipla do Estado, obsoleto, corporativo, ocupado por interesses espúrios, cuja ineficiência tem por maiores vítimas, os pobres e indefesos.”

“A aliança Lula e Brizola é o casamento do analfabetismo com o obsoletismo.”

“O bem que o Estado pode fazer é limitado; o mal, infinito. O que ele pode nos dar é sempre menos do que nos pode tirar.”

“É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o socialismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar – bons cachês em moeda forte, ausência de censura e consumismo burguês. São filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola.”

“O mundo não será salvo pelos caridosos, mas pelos eficientes”

Invista com a ajuda da melhor assessoria do Brasil: abra uma conta na XP – é de graça!