Ações

Aposta na alta da ação de Bradespar gera novo “tiro certo” na Carteira InfoMoney

De olho no acordo para o pagamento de uma dívida da holding de investimento, o que valorizaria os ativos da empresa, analista substituiu a posição que tinha na carteira em Vale pelos papéis de Bradespar, sua controladora; só no dia 25, eles subiram +7,52%, terminando o mês com a melhor performance do Ibovespa, com alta de +19,3%

Por  Tarcisio Alves

SÃO PAULO — Conhecer os fundamentos e estar por dentro de tudo o que acontece com as grandes empresas da Bolsa. Só um bom analista faz isso e proporciona ganhos expressivos para quem o segue.

É o caso de Thiago Salomão, que, mais uma vez, mandou um call vitorioso.

Analista responsável pela Carteira InfoMoney, Salomão — que é também editor-chefe do InfoMoney — vinha acompanhando notícias sobre um iminente acordo que poderia pôr fim a uma disputa judicial de dez anos.

Seria um acordo bilionário entre Litel (holding que reúne os fundos de pensão Previ, Funcef, Petros e Funcesp), Bradespar (holding de investimentos do Grupo Bradesco) e Elétron (empresa do Grupo Opportunity, do empresário Daniel Dantas).

Litel e Bradespar são acionistas da Vale e pagaram um total de R$ 2,82 à Elétron, no dia 26 de setembro, para fins de indenização. Tudo porque a empresa de Daniel Dantas havia iniciado um processo judicial contra as duas empresas, pelo fato de não ter conseguido exercer uma opção de compra da ações da Valepar, antiga controladora da mineradora.

Inicialmente, a dívida era estimada em R$ 4,8 bilhões. Com a substancial diminuição no valor, a Bradespar ganha musculatura para tocar sua operação daqui para a frente.

A disparada do ativo
A divulgação da notícia sobre o acordo, dada pelo jornalista Lauro Jardim, de O Globo, ocorreu um dia antes (25) e fez as ações de Bradespar (BRAP4) dispararem +7,52% no pregão da Bolsa.

Para se ter ideia, os ativos da Vale (VALE3) avançaram menos da metade disso (+3,32%) no mesmo período.

Assim, quem havia se posicionado em Bradespar com antecedência ganhou. Mas, para tanto, era necessário fazer a leitura correta do movimento que vinha se desenhando nos últimos meses.

“Notícias recentes apontavam que o valor da indenização poderia ser muito menor que o anteriormente estipulado, algo entre R$ 2,5 bilhões e R$ 3 bilhões”, comenta Thiago Salomão.

A partir daí, era preciso também levar em conta a correlação entre as ações da Vale — uma das blue chips da Bolsa — e Bradespar, projetando uma iminente valorização desta última, caso as especulações se concretizassem. Foi o que aconteceu.

A troca no momento certo
O próximo passo foi fazer a troca dos ativos dentro de um timing que permitisse gerar ganhos para a Carteira InfoMoney.

“Nós estávamos posicionados em Vale, mas, como havia a expectativa sobre esse acordo — com diminuição do valor a ser pago por Litel e Bradespar à Elétron —, troquei as ações da Vale pelas de Bradespar logo no início do mês”, justifica Salomão.

Os ganhos gerados pelo ativo foram festejados por quem seguiu o call do editor-chefe do InfoMoney, como mostra o print screen do grupo fechado mantido pelo analista no Facebook, que é exclusivo para assinantes do relatório Carteira InfoMoney Premium e, também, para alunos do curso Como Montar uma Carteira de Ações Vencedora, ministrado por Salomão.

Em expansão, o grupo já agrega mais de mil membros.

carteira-saloma~o---bradespar

Em setembro, Bradespar liderou o ranking de ações do Ibovespa, com com alta de +19,3% no mês. Enquanto isso, Vale ficou em terceiro lugar, com valorização de +11,6%.

Salomão reforça que as próximas recomendações relacionadas às ações de Bradespar e Vale, bem como de outros papéis, continuarão sendo anunciadas por ele na comunidade exclusiva do Facebook.

Se você quer fazer parte deste seleto grupo, assine o relatório Carteira InfoMoney Premium. Para saber mais, clique aqui.

Compartilhe