EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / analise-tecnica

Recomendações do "Visão Técnica" sobem 12% na semana; 4 ações ainda podem acionar compra na bolsa

O analista Thiago Bisi, que participou do "Visão Técnica" da última sexta-feira, indica uma nova ação que vê como oportunidade na bolsa e que tem potencial de alta de até 43%

SÃO PAULO - Ações recomendadas no "Visão Técnica" da última sexta-feira (3) acumulam ganhos de até 12% em 4 pregões. Das 7 ações mencionadas pelo analista Thiago Bisi, da L&S Análise, no último bloco do programa como oportunidades para a semana (veja aqui), 4 acionaram entrada. Foram elas: Cia Hering (HGTX3), BRF (BRFS3), Natura (NATU3) e M.Dias Branco (MDIA3). Vale menção também para o papel da Itaúsa (ITSA4), cujo alerta foi dado no segundo bloco (juntamente com comentários sobre o setor financeiro), que está com operação de compra em andamento.

A alta mais expressiva no período é da ação da Cia Hering, que acumula nos últimos 4 pregões ganhos de 12%. Na sequência, os papéis da BRF, que sobem 5% desde o ponto de entrada em R$ 37,85, acionado na última terça-feira. 

Em nova conversa com o InfoMoney, Bisi apontou ainda mais uma ação com grande potencial de valorização na bolsa, além de ter atualizado os calls que ainda não deram entraram, mas ainda são vistos como oportunidades. 

Veja abaixo os comentários do analista sobre cada ação:

A "novidade":
Helbor
(HBOR3
Pertence à classe de ativos de baixo valor nominal e movimentos potencialmente mais fortes, mas apresenta uma formação de boa relação risco/retorno. Apresenta uma figura de cunha descendente desde o topo de fevereiro. O padrão está no momento ideal para rompimento altista.

Dependendo do traçado usado para a figura, podemos considerar que já até houve o rompimento na metade de julho e que o movimento lateral desde então configura um pullback. Querendo ser mais agressivo, poderíamos buscar compra nesse patamar em torno de R$ 2,25 e stop em R$ 2,15 com expectativa de já estarmos posicionados antes de um próximo sinal de força altista. Uma entrada mais segura ocorreria no rompimento de R$ 2,45 e com stop provavelmente abaixo de R$ 2,30. Os alvos são R$ 2,87 e depois em torno de R$ 3,50 para médio e longo prazo. 

As ações do "Visão Técnica" que não deram entrada:

Profarma (PRFM3)
Outro ativo de baixa liquidez, mas ainda possível de ser operado em "swing trade". Em julho, a ação rompeu importante suporte em R$ 7,50 levando à uma queda até a mínima de R$ 7,06. O movimento seguinte foi uma alta aguda que trouxe o preço muito acima do suporte perdido, fazendo máxima em R$ 8,61. Essa reação altista abrupta indica que o rompimento do suporte em R$ 7,50 foi falso e isso sugere que o papel irá inverter a direção de médio prazo para alta.

Desde o topo de julho formado em R$ 8,61, o papel vem corrigindo lentamente respeitando uma LTB (Linha de Tendência de Baixa) de curto prazo. Interessa comprar uma demonstração de força altista rompendo para cima essa reta. O rompimento em si já ocorreu, mas falta uma barra maior que indique força. Ocorrendo isso teremos compra com stop abaixo de R$ 7,67 e alvo próximo de R$ 9,70.

Fibria  (FIBR3)
A ação deu uma sinalização importante de alta em maio quando rompeu em "gap" a resistência de longo prazo em torno de R$ 33,50. O alvo de longo prazo aponta para R$ 58,00. Após esse rompimento, o papel chegou a bater R$ 39,00 em junho. De lá para cá, a ação recuou até atingir o suporte oferecido pelo "gap" de rompimento em R$ 31,80 e ali segurou, desenhando uma figura ainda não rompida de triângulo ascendente com resistência em R$ 34,70. Quando ocorrer essa região, a ação mostrará sinal de alta, com primeiro alvo em R$ 39,00 e no longo prazo R$ 58,00.

M.Dias Branco (MDIA3)
A ação apresenta uma configuração interessante para o médio prazo. De forma similar à Cia Hering, a M.Dias Branco rompeu no dia 13 de julho o mesmo padrão de cunha descendente, gerando uma compra acima da máxima de R$ 48,93, com stop em R$ 46,89. Na evolução dos preços o ativo desenhou outro padrão altista chamado de OCOI (Ombro-Cabeça- Ombro Invertido), com linha de ruptura em R$ 50,30. Esse patamar foi vencido no final de julho e agora o papel testa essa região como suporte através do que chamamos de "pullback".

A expectativa é que o papel retome alta nos próximos pregões e quando o fizer deve buscar os R$ 55,00 e depois R$ 58,50. Assim que o papel oferecer nova barra de força compradora, poderemos ter nova oportunidade de entrada.

Veja abaixo os pontos mencionados pelo analista no programa das ações que já acionaram compra na bolsa: 

Cia Hering (HGTX3)
A compra ocorreu no rompimento de R$ 20,30, com stop em R$ 19,29. Os alvos: R$ 22,30 (alcançado ontem) e R$ 23,70. 

Natura (NATU3)
A entrada ocorreu acima dos R$ 24,00, com stop em R$ 22,80. Os alvos são R$ 27,20 no curto prazo e R$ 33,70 no médio prazo. 

Itaúsa (ITSA4)
A entrada ocorreu em R$ 9,60, com stop abaixo de R$ 9,20. O alvo da operação fica no fechamento do gap aberto no dia 18 de maio, em torno de R$ 10,07.

BRF (BRFS3)
A compra ocorreu em R$ 37,85, com stop abaixo de R$ 36,30. O alvo é incerto, mas espera-se por uma alta que leve o ativo para próximo do topo de maio em R$ 46,50. No curto prazo, a ação deve buscar os R$ 40,30; no médio prazo, os R$ 42,90.

Contato