Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Análise técnica: Ibovespa sobe em setembro, mas só após ‘Super Quarta” rumos devem ser definidos

Retomada de tendência de alta viria com Ibovespa superando a faixa dos 119,8 mil a 120,5 mil pontos, apontam grafistas

Rodrigo Petry

Publicidade

O mês de setembro segue positivo para o Ibovespa, com ganhos de quase 2% – apagando parte das perdas registradas em agosto, quando cedeu 5% e emendou inéditos 13 pregões consecutivos em queda. Assim, até agora, o principal índice da Bolsa brasileira avança quase 7,8% em 2023.

Nesta segunda-feira (18), o Ibovespa encerrou com queda de 0,4%, aos 118.288 pontos, com investidores em compasso de espera antes da “Super Quarta” (dia 20), quando saem as decisões de juros nos Estados Unidos e no Brasil.

Mais do que os resultados das reuniões de política monetária, porém, o que os investidores vão ficar atentos são aos comunicados e às falas posteriores, na busca de pistas sobre os próximos passos do Fed e do Copom.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Análise técnica do Ibovespa

Para o analista técnico da XP, Gilberto Coelho, o Ibovespa fechou em baixa pelo segundo pregão seguido, com “fraco volume”, o que aumenta a indefinição para o próximo pregão.

“Acima dos 119.800, o Ibovespa retomaria sinal de alta, com projeções entre 123.000 ou 130.000. O sinal de baixa seria retomado com um fechamento abaixo dos 117.000, mirando suportes nos 114.000 ou 108.000”, aponta.

Ibovespa; IBOV; análise técnica; análise gráfica; swing trade
Fonte: Relatório de análise técnica da XP

O analista técnico do PagBank, Rodrigo Paz, diz que, pelo gráfico diário do Ibovespa [veja abaixo], é possível notar que o índice busca retomada compradora, após lateralização de curto prazo, onde fez mínima nos 114.000 pontos.

Para seguir com movimento altista, acrescenta ele, será necessário romper a forte faixa de resistência nos 120.500/ 123.000, “a fim de buscar as faixas de resistência nos 125.000 pontos e a máxima histórica do índice nos 131.000 pontos.”

“Porém, se trata de uma forte resistência, onde poderá entrar fluxo vendedor, caso indique movimento de venda, a atenção se volta a faixa de suporte nos 115.300/ 114.000, pois caso perca essa faixa poderá buscar faixa de suporte na média de 200 períodos, nos 111.000 pontos”, afirma.

Ibovespa; IBOV; análise técnica; análise gráfica; swing trade
Fonte: trvd. Elaboração: Rodrigo Paz

Bolsa: médio prazo

Olhando para o gráfico semanal [que segue abaixo], Paz reforça que, recentemente, o Ibovespa não conseguiu se manter acima da faixa de resistência dos 120.500.

“Após não se consolidar acima de faixa de resistência, mostrou sinal que formou movimento corretivo, chegando até a faixa dos 114.000 pontos, onde retomou movimento comprador”, analisa.

Dessa forma, destaca ele, caso siga movimento altista e entre fluxo comprador o índice poderá buscar novamente o rompimento da faixa de resistência nos 120.500/ 123.000 pontos.

Isso acontecendo, diz, pode romper e buscar a resistência nos 125.000 pontos, “com alvo mais longo no topo na faixa de 131.000 pontos, onde foi registrada a máxima histórica.”

“Apesar da alta recente, vale atenção à faixa de suporte nos 114.000 pontos, que, se rompida, poderá intensificar fôlego vendedor com alvo na média de 200 períodos, nos 109.055 pontos”, conclui.

Ibovespa; IBOV; análise técnica; análise gráfica; swing trade
Fonte: trvd. Elaboração: Rodrigo Paz