Ambipar (AMBP3) tem baixa de 79,6% no lucro ajustado no primeiro trimestre

Resultado foi impactado negativamente pelo aumento das despesas financeiras no período

Felipe Moreira

Ambipar (Reprodução/Reset)

Publicidade

A Ambipar (AMBP3) registrou baixa de 79,6% no lucro líquido ajustado no primeiro trimestre de 2023 em relação a igual período do ano passado, caindo de R$ 49 milhões para R$ 10 milhões. Sem ajuste, a Ambipar registrou prejuízo líquido de R$ 110,9 milhões no primeiro trimestre, revertendo lucro líquido de R$ 48,9 milhões de um ano antes.

Segundo a companhia, o resultado foi impactado negativamente pelo aumento das despesas financeiras no período.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi de R$ 290,7 milhões, alta anual de 42,6%.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Já a margem Ebitda ajustada caiu 1,1 p.p. (ponto percentual), para 25,5%.

O retorno sobre o capital investido (ROIC) ajustado atingiu 9,9% nos três primeiros meses do ano, uma retração de 1,1 p.p..

A receita líquida, por sua vez, somou R$ 1,141 bilhão no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 49% na comparação com igual etapa de 2022.

Continua depois da publicidade

O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 329 milhões no primeiro trimestre de 2023, um aumento de 36,1% na comparação com igual etapa de 2022. A margem bruta foi de 28,8% no 1T23, queda de 2,7 p.p. frente a margem do 1T22.

O resultado financeiro líquido ajustado foi negativo em R$ 182,9 milhões no primeiro trimestre de 2023, uma elevação de 202,8% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2022.

Em 31 de março de 2023, a dívida líquida da companhia era de R$ 3,946 bilhões, um crescimento de 74,3% na comparação com a mesma etapa de 2022.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 3,39 vez em março/23, alta de 0,62 p.p. em relação ao mesmo período de 2022.