Em mercados / agro

Rio Grande do Sul fatura menos com exportações do agronegócio

Nos três primeiros meses do ano, vendas externas do setor totalizaram US$ 1,694 bilhão, queda de 10,5% sobre o mesmo intervalo em 2015

carregamento de soja em MT
(Paulo Whitaker/Reuters)

SÃO PAULO - No primeiro trimestre de 2016, as exportações do segmento agropecuário do Rio Grande do Sul totalizaram US$ 1,694 bilhão, queda de 10,5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O volume comercializado para o exterior também foi menor, assim como os preços também se retraíram, (-6,3%) e (-4,4%), respectivamente.

De acordo com a Fundação de Economia e Estatística (FEE), geralmente, o primeiro trimestre é o período do ano em que as exportações do agronegócio registram o menor valor exportado. Esse resultado é explicado pela dinâmica das vendas de grãos (sobretudo a soja), que se concentram no segundo e no terceiro trimestre.

Os cinco principais setores exportadores do agronegócio do Rio Grande do Sul no primeiro trimestre de 2016 foram carnes (US$ 399,5 milhões), complexo soja (US$ 297,6 milhões), fumo e seus produtos (US$ 287,0 milhões), produtos florestais (US$ 213,4 milhões) e cereais, farinhas e preparações (US$ 182,0 milhões). As vendas externas desses itens caíram de US$ 1,517 bilhão no primeiro trimestre de 2015 para US$ 1,379 bilhão em 2016. Apesar da queda em valores absolutos, a participação desses setores no total das vendas externas do agronegócio cresceu, passando de 80,2% para 81,4%.

Em relação ao primeiro trimestre de 2015, os principais setores responsáveis pela queda nas exportações gaúchas do agronegócio neste ano foram cereais, farinhas e preparações (-45,7%), complexo soja (-25,7%), fumo e seus produtos (-9,2%), máquinas e implementos agrícolas (-34,3%).

De janeiro a março deste ano, principais compradores do agronegócio gaúcho foram União Europeia (US$ 323,4 milhões), China (US$ 240,8 milhões), Estados Unidos (US$ 102,0 milhões), Coreia do Sul (US$ 77,5 milhões) e Rússia (US$ 64,5 milhões).

 

Contato