Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa Futuro sobe de olho em privatizações de Guedes e com exterior à espera de ata do Fed

Mercado se anima com a alta das bolsas internacionais e declarações de Paulo Guedes

ações home broker índices mercado bolsa
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa Futuro abre em alta nesta quarta-feira (21) seguindo o desempenho das bolsas europeias e futuros dos índices norte-americanos. No radar, os investidores se animam com as falas do ministro da Economia, Paulo Guedes, ontem, quando ele anunciou a privatização de 17 estatais, para levantar R$ 20 bilhões.

Também será acompanhada com atenção a divulgação da ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). 

Às 09h05 (horário de Brasília) o contrato Futuro do Ibovespa para outubro subia 1,1% a 100.740 pontos, enquanto o dólar futuro para setembro cai 0,75% a R$ 4,026. 

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 recua quatro pontos-base a 5,41%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 tem queda do mesmo montante a 6,40%. 

No Brasil, o Banco Central começa hoje a atuar no mercado de câmbio, com a venda de dólar em leilão à vista das reservas internacionais totalizando US$ 550 milhões. Vale destacar que ontem a moeda norte-americana fechou cotada a R$ 4,05. A venda de dólares à vista não ocorria desde 2009, em meio à crise financeira global.

O discurso de Jerome Powell, na sexta-feira, durante evento anual do Fed, deverá trazer maiores indicações sobre os rumos da política monetária norte-americana, já que a situação se deteriorou muito após a última reunião do Fomc.

Noticiário Corporativo

O plenário da Câmara rejeitou a Medida Provisória 879, que prevê um aporte de R$ 3,5 bilhões na Eletrobras, e a matéria foi arquivada. Já havia um acordo entre as lideranças da Casa para deixar a matéria, que perde sua validade nesta quarta, caducar. O governo já conta com uma proposta alternativa, que deverá ser enviada ao Congresso como projeto de lei sobre o mesmo tema e com um pedido de urgência.

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) emitiu decisão favorável à Petrobras em um processo administrativo fiscal que trata da cobrança de CIDE-Importação sobre remessas ao exterior para pagamento de contratos de afretamento, em 2013. O valor aproximado é de R$ 5,1 bilhões, segundo informações do balanço. A empresa não deu detalhes, mas afirma que o julgamento não altera a classificação de expectativa de perda possível.

Ainda sobre a petroleira, os seus empregados participaram de um processo de consulta promovido pelos sindicatos para avaliar as propostas de acordo coletivo da direção da companhia, que “não atendem aos anseios da categoria”, segundo o diretor da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), Adaedson Costa. Já há posição entre empregados sobre uma possível greve.

Privatizações

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo deverá anunciar hoje as 17 empresas públicas que serão incluídas na lista de privatização até o final do ano. Guedes não adiantou o nome das empresas, mas disse que o governo vai acelerar ainda mais as privatizações.

“As coisas estão acontecendo devagarzinho, vai uma BR Distribuidora aqui, daqui a pouco vem uma Eletrobras, uma Telebras, daqui a pouco vem também os Correios, está tudo na lista”, disse, sobre o anúncio de hoje. Segundo ele, “ano que vem tem mais”.

Guedes disse que o governo atingiu, em agosto, a meta de arrecadação de recursos com privatizações, de R$ 80 bilhões, estipulada para todo o ano de 2019. “Na privatização nós vamos acelerar. E nós achamos que vamos surpreender”, disse, à noite durante evento em São Paulo.

(Com Agência Estado, Agência Brasil e Bloomberg)

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

 

Contato