Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa cai com ajuste de expectativas após novas falas de membros do Fed; dólar sobe

Mercado opera sem um sentido definido depois da forte alta da véspera, quando investidores do mundo todo se animaram com as declarações do presidente do Fed de Nova York

ações índices bolsa mercado
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa engata queda nesta sexta-feira (19), pressionado por um ajuste de expectativas em torno dos próximos passos do Federal Reserve. Mais cedo, o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, disse que apoiaria um corte de 0,25 ponto percentual nos juros dos Estados Unidos, mas não acredita que uma redução mais agressiva nas taxas de juros seja necessária. 

Ontem, a Bolsa subiu 0,83% repercutindo as declarações do presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, de que "é melhor tomar medidas preventivas do que esperar que o desastre aconteça." 

Às 11h01, o principal índice da B3 caía 0,53% a 104.165 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial sobe 0,2% a R$ 3,7348 na compra e a R$ 3,7366 na venda. O dólar futuro com vencimento em agosto tinha alta de 0,48% a R$ 3,74. 

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 cai um ponto-base a 5,52%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 registra ganhos de um ponto-base a 6,35%. 

O ânimo com a possibilidade do Fed fazer um corte de juros maior que o já precificado, de 0,25 ponto percentual, embasou as posições compradas no mundo todo na véspera. Contudo, o banco central dos Estados Unidos minimiza o caso e outros dirigentes estão tentando reajustar as expectativas dos investidores. 

O Fed de NY defendeu em nota que Williams falou o que falou como "discurso acadêmico" sem intenção de enviar sinais de política monetária. No entanto, como o dirigente é membro votante do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), o impacto total nos mercados dificilmente será revertido. 

Eric Rosengren, presidente do Fed de Boston, falará às 17h30 antes do início do período de silêncio na autoridade monetária. 

No Brasil, sem novidades sobre o andamento das reformas pelo início do recesso parlamentar, as atenções dos investidores se voltam às medidas de estímulo à retomada da atividade econômica.

Entre elas, a liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para estimular o consumo, acabou sendo adiada para a próxima semana, por pressão do setor da construção.

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro toma café da manhã com jornalistas, às 9h00, no Palácio do Planalto, e participa de solenidade do Dia Nacional do Futebol. Bolsonaro tem prevista ainda uma audiência, às 14h30, com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Vale lembrar que começa na semana que vem a temporada de resultados das empresas brasileiras relativos ao segundo trimestre deste ano. 

Noticiário Corporativo

A Petrobras (PETR3; PETR4) reduziu em R$ 0,0360 o preço médio do litro da gasolina nas suas refinarias, com vigência a partir desta sexta-feira, 19. Com a mudança, o preço médio vai recuar 2,14%, para R$ 1,646/litro.

O reajuste foi divulgado no site da estatal nesta quinta-feira, 18. A estatal também cortou em R$ 0,0444 o preço médio do litro do diesel em suas refinarias. Com a mudança, o preço caiu 2,15%, para R$ 2,021.

O Valor Econômico informa que uma série de grandes investidores tem procurado por parlamentares no Congresso questionando-os sobre o futuro da Vale (VALE3) e possíveis mudanças na legislação, após a tragédia de Brumadinho.

A presidente da CPI da mineradora no Senado, Rose de Freitas, disse à publicação que a Vale tentou “esvaziar” a comissão. “Mas houve uma pressão vitoriosa da sociedade em favor da CPI”, afirmou.

A BRF (BRFS3) continua aberta a transações que ampliem sua oferta de produtos e presença no exterior após o fim das conversas sobre uma possível fusão com a Marfrig (MRFG3).

A produtora de frangos pode se engajar em fusões, parcerias estratégicas ou acordos de fornecimento de longo prazo que lhe assegurem acesso a suprimentos de carne bovina, como forma de fortalecer seus negócios nas áreas de food service e alimentos processados.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 SUZB3 SUZANO S.A. ON 33,58 -2,61 -10,85 63,43M
 SBSP3 SABESP ON 52,71 -2,35 +67,33 11,45M
 HYPE3 HYPERA ON 28,76 -2,34 -3,06 11,75M
 UGPA3 ULTRAPAR ON 20,36 -2,26 -22,44 32,99M
 CYRE3 CYRELA REALTON ED 22,19 -1,60 +48,29 3,19M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BRAP4 BRADESPAR PN 33,47 +1,21 +9,86 3,23M
 CVCB3 CVC BRASIL ON 49,51 +1,04 -19,04 8,57M
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,42 +0,93 +19,77 65,15M
 QUAL3 QUALICORP ON 23,19 +0,87 +79,91 22,37M
 VALE3 VALE ON 53,04 +0,86 +4,00 139,98M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

FGTS

Após a expectativa quanto ao anúncio dos detalhes sobre a liberação de saques de recursos do FGTS e do PIS/Pasep, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que a divulgação ficará para a próxima quarta-feira, 24, às 16h. Ontem, era esperado o anúncio durante a cerimônia de comemoração dos 200 dias do governo Jair Bolsonaro.

Mais cedo, Onyx justificou que as equipes técnicas do Ministério da Economia ainda trabalham em cima dos ajustes necessários para a liberação dos saques. Após o evento no Planalto, ele disse que a especulação sobre tema só ocorreu porque houve vazamento. "Não era para vazar", reclamou.

Onyx voltou a destacar que o funding para os empréstimos imobiliários e para o Programa Minha Casa Minha Vida com recursos do FGTS não será ameaçado. "Não vai haver nenhum prejuízo às fontes de financiamento de construção de casas populares", disse. Ele frisou ainda que "nada vai afetar a construção civil". "Não vamos usar a parte do FGTS usada para o financiamento de imóveis", completou.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, avaliou que o adiamento pelo governo do anúncio de medidas para o saque de contas do FGTS "foi de muito bom senso". O executivo negou ter solicitado à equipe econômica o postergamento da medida.

Segundo Martins, os próprios secretários do Ministério da Economia admitiram que a proposta que vazou na imprensa ainda não estava devidamente formatada. Martins, no entanto, demonstrou preocupação com a possibilidade de liberação de cerca de R$ 42 bilhões em recursos do FGTS.

"Ainda não vi simulações suficientes para saques dessa magnitude. É preciso ter cautela, serenidade. Não se pode simplesmente chegar lá e tirar os recursos do fundo", disse, acrescentando que, no ano passado, foram sacados R$ 111 bilhões do fundo, o que já colocaria em risco os financiamentos de imóveis a partir de 2021.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

Além do impasse sobre a parcela que poderá ser retirada das contas do fundo, a Caixa também foi responsável pelo adiamento, após representantes do banco estatal reclamaram que estava muito em cima da hora para colocar de pé um plano de atendimento aos trabalhadores para o saque do FGTS.

O jornal O Globo diz que, entre as propostas de saques do FGTS em estudo, está a opção do trabalhador fazer uma retirada anual da conta. No entanto, quem optar por essa modalidade, perderá o direito a receber a integralidade do saldo em caso de demissão sem justa causa. O limite do saque ainda está sendo definido.

Segundo a Folha de S.Paulo, Bolsonaro recebeu, fora da agenda, ontem, os donos da MRV e da Direcional – empresas voltadas ao Minha Casa Minha Vida –, que reclamaram não ter sido ouvidos e que a medida poderia comprometer o financiamento do setor. Coube a Onyx anunciar a postergação do anúncio.

 

Contato