Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa fecha perto dos 100 mil pontos após superar patamar pela 1ª vez; dólar vai a R$ 3,79

Índice chegou a 100.037 pontos na máxima do dia, mas não conseguiu sustentar a marca histórica

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Esta terça-feira (18) ficará marcada como o dia em que o Ibovespa superou a marca histórica dos 100 mil pontos. O feito aconteceu às 14h44 (horário de Brasília), mas não se sustentou, e o índice fechou abaixo da marca, em 99.993 pontos, com alta de 0,86%. O volume financeiro ficou em R$ 27,749 bilhões.

Enquanto isso, o dólar comercial teve queda de 0,76%, cotado a R$ 3,7916 na venda, ao passo que o dólar futuro com vencimento em abril recuou 0,56%, a R$ 3,794. Já os juros futuros recuaram, com os contratos para janeiro de 2021 caindo 6 pontos-base, a 6,93%, enquanto os DIs de janeiro de 2023 tiveram perdas de 4 pontos, para 8,01%.

O mercado registrou alta de olho no noticiário sobre a reforma da Previdência, além do cenário externo, onde os índices subiram, incluindo Wall Street, que fica atento à reunião do Fomc (Federal Open Market Committee).

A expectativa é que o Fed mantenha seus juros básicos no encontro de terça e quarta-feira (19 e 20) e reduza suas projeções para futuros aumentos das taxas, assim como para o crescimento econômico dos EUA, além de planejar a redução do seu balanço patrimonial, que é formado por quase US$ 3,8 trilhões em títulos.

Mais cedo, as ações sofreram com grande volatilidade de olho também no vencimento de opções sobre ações, que movimentou R$ 13,266 bilhões no segmento Bovespa da B3. Desta soma, R$ 10,864 bilhões foram gerados pelas opções de compra, enquanto os outros R$ 2,402 bilhões foram da ponta da venda.

Destaques de ações
As ações do setor de frigoríficos seguiram em alta ainda repercutindo o "efeito China", em meio ao surto de peste suína no país, com potencial de alavancar a exportação de empresas brasileiras de carne para o gigante asiático. As ações da Ambev também subiram forte em meio à notícia de que houve a maior venda de cerveja em quatro anos, de acordo com dados do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja.

Aproveite a máxima histórica da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

Já as ações da Vale caíram com o bloqueio pela Justiça de mais R$ 1 bilhão, visando garantir eventual ressarcimento de prejuízos decorrentes da evacuação ocorrida na comunidade de São Sebastião das Águas Claras-Macacos (MG), além da parada da Operação da Mina de Timbopeba, em Ouro Preto (MG).

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BRFS3 BRF SA ON 23,29 +4,82 +6,20 269,62M
 JBSS3 JBS ON 15,55 +4,71 +34,17 158,45M
 GOLL4 GOL PN N2 28,86 +4,57 +14,98 99,62M
 CVCB3 CVC BRASIL ON 56,64 +4,44 -7,42 74,79M
 CSNA3 SID NACIONALON 16,30 +4,42 +84,39 219,13M

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BRML3 BR MALLS PARON 13,01 -1,21 -0,46 124,68M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON 9,95 -1,09 +6,08 61,82M
 RADL3 RAIADROGASILON 67,92 -1,08 +18,85 62,32M
 UGPA3 ULTRAPAR ON 54,50 -0,95 +3,80 172,01M
 WEGE3 WEG ON 19,09 -0,88 +9,31 62,32M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN N2 28,74 +1,73 2,61B 1,46B 106.063 
 VALE3 VALE ON 50,46 -0,18 1,15B 997,73M 28.055 
 BBAS3 BRASIL ON EJ 53,80 -0,76 649,34M 565,94M 27.488 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 17,31 +3,28 544,52M 382,59M 32.198 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN 36,86 +0,16 414,20M 685,50M 21.666 
 PETR3 PETROBRAS ON N2 32,26 +2,02 397,64M 307,52M 28.924 
 GGBR4 GERDAU PN ED 15,52 +2,71 356,80M 157,22M 37.018 
 BBDC4 BRADESCO PN 45,94 +0,53 310,71M 708,94M 17.271 
 BRFS3 BRF SA ON 23,29 +4,82 269,62M 166,57M 23.779 
 B3SA3 B3 ON 34,36 +1,45 266,63M 318,51M 15.471 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Bolsonaro e Guedes nos EUA
Em Washington (EUA), o presidente Jair Bolsonaro tiveram reuniões hoje  com o ex-secretário do Tesouro norte-americano Henry "Hank" Paulson, participa de cerimônia de assinatura de atos e janta com executivos do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos. No final da tarde, ele participa da cerimônia de assinatura de atos. As atenções estão voltadas para o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre o Brasil e os Estados Unidos. 

Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, reúne-se com secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, com o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer e participa de mesa redonda com empresário e de painel sobre futuro da economia brasileira.

Amanhã está previsto o encontro de Bolsonaro com o presidente Donald Trump, seguido por uma declaração à imprensa no Rose Garden. Logo após a reunião, o presidente irá ao cemitério de Arlington.

Bolsonaro deve chegar a Brasília na quarta-feira (20). Em seguida, no dia 21, irá para o Chile onde participa da Cúpula do Prosur, grupo que se destina a implementar medidas de interesse dos países da América do Sul.

Reforma da Previdência
Os integrantes da equipe econômica do governo se reuniram neste sábado com membros das Forças Armadas para afinar o projeto que altera a previdências dos militares. A intenção do governo é que a proposta seja apresentada na quarta ao Congresso.

Segundo o Secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, a equipe econômica ainda analisa algumas ponderações feitas pelos militares. "Eles alertam, o que é legítimo, que é preciso se pensar daqui para a frente na reestruturação das carreiras militares como nos últimos anos se fez com as carreiras civis", afirmou. Ele cita disparidades salariais e benefícios que não constam nas carreiras militares.

Contudo, Bolsonaro informou neste domingo que não recebeu ainda a versão do projeto de lei que trata da previdência dos militares. Em sua conta no Facebook, ele disse ainda que, "possíveis benefícios, ou sacrifícios, serão divididos entre todos, sem distinção de postos ou graduações".  

Vale ressaltar que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou neste sábado, após almoço com presidentes dos três Poderes, que quer começar a votar a reforma da Previdência no plenário até o final de maio.

Aproveite a máxima histórica da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

 

Contato