Em mercados / acoes-e-indices

Governo Bolsonaro apresenta pontos da reforma da Previdência e Ibovespa dispara 2,3%

Mercado se empolga após serem divulgados os pontos da reforma da Previdência

Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro
(Wilson Dias/Agência Brasil)

SÃO PAULO - Em mais uma sessão volátil, o Ibovespa chegou a cair forte com o exterior, mas disparou na última hora de pregão após o secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, anunciar que a proposta de reforma escolhida por Jair Bolsonaro define idades mínimas de 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres, com um período de transição de 12 anos.

O Ibovespa fechou com forte alta de 2,27%, a 98.015 pontos, praticamente na máxima do dia, com o volume financeiro atingindo R$ 18,057 bilhões. O índice futuro, também arrancou, encerrando o dia com ganhos de 2,16%, a 99.000 pontos.

Enquanto isso, o contrato de dólar futuro com vencimento em março teve queda de 0,94%, a R$ 3,723, e o dólar comercial fechou com queda de 0,34%, cotado a R$ 3,7401 na venda. 

No mercado de juros, os contratos futuros com vencimento em janeiro de 2021 caíram 7 pontos-base, para 6,97%, ao passo que os contratos para janeiro de 2023 recuaram 12 pontos-base, a 8,06%.

Segundo Marinho, a proposta coloca um período de 12 anos de transição, ao fim do qual a idade mínima ficará em 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres. Ele disse ainda que a equipe econômica defendeu uma idade mínima única de 65 anos para homens e mulheres, mas que Bolsonaro recusou.

O secretário afirmou que o presidente deve assinar a proposta na próxima quarta-feira, dia 20 de fevereiro, e que no mesmo dia ela deve ser entregue ao Congresso. Bolsonaro também fará um pronunciamento no mesmo dia. Marinho disse esperar que a proposta seja "brevemente" aprovada pelo Congresso Nacional. "O Brasil precisa e tem pressa de voltar a crescer".

Segundo o Estadão, Bolsonaro queria uma idade mínima de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens, com uma transição mais longa. Por outro lado, o ministro Paulo Guedes defendia idades mínimas iguais de 65 anos e uma transição de apenas 10 anos. O texto final acabou ficando em um meio termo entre as duas propostas.

A proposta ainda deve demorar uma semana para ir ao Congresso porque precisa ser avaliada por outras instâncias dentro do governo para verificar, por exemplo, se existe alguma inconstitucionalidade no texto. É possível que até sua assinatura a reforma ainda passe por alguma pequena mudança.

A Bolsa vai subir, e você precisa aproveitar as oportunidades: abra uma conta gratuita de investimentos na XP!

Mais cedo, os analistas da Rico Investimentos, Matheus Soares e Thiago Salomão, já haviam destacado em relatório que a "a reforma da Previdência é o tema mais importante para o 'call de recuperação do Brasil'", e que os dois pontos mais importantes eram exatamente a idade mínima e o tempo de transição.

Apesar da notícia, outro tema delicado que o governo precisa lidar é uma grande crise que pode impactar o andamento da reforma. "É realmente difícil imaginar a anuência e participação do grupo do presidente, principalmente pela campanha estoica e totalmente fora dos padrões históricos brasileiros, mais próxima das campanhas do falecido deputado Enéas Carneiro", avalia Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset.

Mas nem por isso o tema perde importância. Os analistas da Rico acreditam que a crise pode afetar a aprovação da reforma da Previdência. "A cizânia dentro do próprio governo, ainda que natural, é um fato disruptivo, com a base formada por uma série de políticos inexperientes, muitos puxados mais pelo ânimo com a eleição de Bolsonaro do que com seus próprios nomes", avalia Vieira. No fim das contas, "as reformas é que importam", completa Vieira.

Destaques de ações
As maiores altas, dentre as ações que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON 170,69 +5,82 -5,42 174,02M
 SBSP3 SABESP ON 40,36 +5,32 +28,13 149,85M
 BBAS3 BRASIL ON 54,74 +5,11 +17,75 1,48B
 ESTC3 ESTACIO PARTON 31,51 +4,93 +32,62 412,43M
 B3SA3 B3 ON 32,36 +4,25 +20,70 351,43M

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 SUZB3 SUZANO PAPELON 45,05 -1,79 +18,30 314,12M
 MRFG3 MARFRIG ON 5,58 -0,53 +2,20 23,66M
 GOLL4 GOL PN N2 28,50 -0,52 +13,55 110,69M
 HYPE3 HYPERA ON 30,11 -0,13 -0,30 43,83M
 EQTL3 EQUATORIAL ON 84,30 -0,11 +13,06 88,93M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN N2 26,95 +3,45 2,15B 1,38B 79.076 
 BBAS3 BRASIL ON 54,74 +5,11 1,48B 566,65M 50.907 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN 37,89 +2,66 1,22B 942,28M 46.577 
 VALE3 VALE ON 45,66 +0,37 1,09B 1,69B 46.748 
 BBDC4 BRADESCO PN 46,30 +3,81 981,41M 682,13M 54.137 
 ESTC3 ESTACIO PARTON 31,51 +4,93 412,43M 114,37M 17.574 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,59 +1,09 371,59M 469,14M 35.650 
 ITSA4 ITAUSA PN 13,40 +2,52 355,49M 341,83M 34.063 
 B3SA3 B3 ON 32,36 +4,25 351,43M 406,68M 31.035 
 SUZB3 SUZANO PAPELON 45,05 -1,79 314,12M n/d 16.892 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Bolsas mundiais
Os índices dos Estados Unidos operavam entre leves perdas e ganhos após a divulgação de números do varejo que frustraram as estimativas do mercado. As vendas caíram 1,2% em dezembro, no maior tombo desde setembro de 2009. 

"Esse número foi terrível", disse Peter Boockvar, chefe de investimentos no Bleakley Advisory Group, à CNBC. As bolsas europeias também perderam fôlego com os números fracos da economia dos Estados Unidos. 

As bolsas na Ásia encerraram em leve queda à espera de informações mais sólidas sobre as discussões entre EUA e China.

No mercado de commodities, os preços do petróleo sobem pelo terceiro dia seguido com a queda nos embarques da Arábia Saudita, que prometeu cortar sua produção, e da Venezuela, que sofre com sanções dos Estados Unidos. O otimismo com as negociações entre China e o governo de Trump também dá suporte à alta.

Agenda econômica 

O volume de serviços prestados cresceu 0,2% em dezembro ante novembro na série com ajuste sazonal, segundo  dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No mês anterior, o resultado foi de uma estabilidade. A queda registrada em 2018 completa uma sequência de quatro anos consecutivos de taxas negativas no segmento.

Na comparação com dezembro do ano anterior, houve queda de 0,2% em dezembro de 2018, já descontado o efeito da inflação. A mediana estimada pelo mercado apontava para queda de 0,4% na comparação anual, conforme levantamento da Bloomberg.

Segundo Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, a compressão do setor de serviços coloca em xeque a atual pausa nos cortes de juros promovidos pelo Banco Central e a eficácia do instrumento de política monetária solitário na busca pelo estímulo da economia.

Clique aqui para conferir a agenda completa de indicadores.

Noticiário político 

O clima de tensão no governo ganha corpo após declarações de Bolsonaro e de Gustavo Bebianno, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, que protagoniza acusações sobre candidaturas de laranjas para ter acesso a fundos públicos. 

O conflito entre os dois toma as manchetes dos jornais após Bolsonaro endossar o ataque de seu filho, Carlos Bolsonaro, a Bebianno ao afirmar que não conversou sobre o tema com o ministro enquanto esteve no hospital nos últimos dias.

O presidente disse ainda que pediu que a Polícia Federal investigue o caso e não descartou a demissão de Bebianno. "Se estiver envolvido e, logicamente, responsabilizado, lamentavelmente o destino não pode ser outro a não ser voltar às suas origens", disse. 

Informações de bastidores apontam que Bolsonaro pretendia chegar a Brasília ontem, após ter alta médica, e receber um pedido de demissão do próprio Bebianno e, assim, mostrar força política ao mesmo tempo em que coloca panos quentes na crise de seu governo.

Sua expectativa foi frustrada e Bebianno disse, em entrevista à GloboNews, que não pretende pedir demissão. "Não tenho essa intenção porque não fiz nada de errado. Meu trabalho continua sendo em beneficio do Brasil. O presidente, se entender que eu não deva mais continuar, ele certamente vai me comunicar", afirmou.

Para aquecer ainda mais as discussões, o jornal Folha de S. Paulo traz uma reportagem informando que uma gráfica de pequeno porte de um membro do diretório estadual do PSL foi a empresa que mais recebeu verba pública do partido em Pernambuco nas eleições. Sete candidatos declararam ter gasto R$ 1,23 milhão dos fundos eleitoral e partidário na gráfica Vidal, que nunca havia participado de uma eleição e funciona em uma pequena sala na cidade de Amaraji, interior de Pernambuco.

O dono da gráfica é Luis Alfredo Vidal Nunes da Silva, que se apresenta como presidente do PSL em Amaraji. O empresário afirmou que não havia irregularidades na prestação de serviços. Questionado se teria como mostrar alguns exemplares do material que havia sido impresso, disse que nem tudo estava lá. "Se for necessário, eu apresento à Justiça", disse à Folha.

Procurado pela Folha, Bebianno não se manifestou e Luciano Bivar, deputado e fundador do PSL, declarou que não cometeu nenhuma ilicitude e que as contas do partido foram aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Vale lembrar que grande parte do apelo eleitoral de Bolsonaro veio de sua promessa de tolerância zero à corrupção após anos de escândalos políticos de alto nível. O próprio presidente não enfrenta alegações de irregularidades, mas as questões sobre a conduta do seu partido e as lutas internas entre os principais aliados estão azedando o clima político, enquanto ele se prepara para iniciar sua agenda legislativa. 

Proteja seu dinheiro das incertezas: abra uma conta de investimentos na XP - é de graça!

Ao mesmo tempo, já se discute nos porões de Brasília que o tratamento com as acusações que envolvem seu filho Flávio Bolsonaro tiveram um tratamento diferente do presidente - bem menos duro do que a forma como o tema de Bebianno vem sendo debatido. 

 

Contato