Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras cai e Ibovespa zera ganhos em dia de Wall Street fechada; dólar sobe

O principal índice da B3 tende a apresentar um pregão menos conturbado já que está sem sua referência nos EUA

investimento gráfico negócios
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa ensaiou uma recuperação após a queda de 1,33% na véspera, pressionada pelas incertezas sobre o acordo entre Estados Unidos e China, mas zerou os ganhos pressionado pela queda das ações da Petrobras (PETR4; PETR3). 

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) pode obrigar a Petrobras a vender refinarias. De acordo com o jornal Valor Econômico, será apresentado hoje o resultado de um estudo da área técnica do Cade e da ANP, que conclui que a estatal se aproveita do monopólio no setor para influenciar a formação de preços dos combustíveis no mercado interno. Se o processo for adiante, a Petrobras pode ser obrigada a reduzir sua participação no refino de petróleo no país. O impasse sobre a votação da cessão onerosa também segue no radar.

Às 11h48 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 0,14%, a 88.497 pontos. O contrato de dólar futuro com vencimento em janeiro de 2019 tinha alta de 0,31%, cotado a R$ 3,867, e o dólar comercial subia 0,16%, para R$ 3,866 na venda. 

O principal índice da B3 tende a apresentar um pregão menos conturbado nesta quarta-feira (5) já que está sem sua referência nos Estados Unidos. 

Os mercados em Wall Street permanecerão fechados em luto pela morte do ex-presidente George H. W. Bush, que será enterrado hoje. Nos mercados futuros, os índices em Nova York também mostram recuperação após as perdas de ontem. 

Ainda segue no radar dos investidores as preocupações de que os Estados Unidos possam estar na iminência de uma recessão após queda significante na taxa dos Treasuries de 10 anos. No radar doméstico está ainda a proposta de fatiamento da reforma da Previdência.

No exterior, as bolsas asiáticas seguiram a aversão ao risco observada no Ocidente na véspera e encerraram em queda diante da preocupação com a efetividade do acordo firmado entre China e Estados Unidos durante o G-20 para dar uma trégua na guerra comercial. 

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

Além disso, os Treasuries de 10 anos dos EUA caíram para 2,946%, reduzindo o spread contra a taxa de dois anos para sua menor diferença desde 2007. Analistas avaliam que este tipo de movimento indica que o mercado está vendo como cada vez mais próxima uma recessão nos EUA. Contudo, o desempenho do futuro dos índices americanos, cujos índices à vista não abrirão nesta quarta, indicam um maior controle da aversão ao risco dos investidores. 

As bolsas europeias seguem impactadas pelas incertezas nos Estados Unidos e recuam. Os preços do petróleo seguem a tendência de desvalorização dos ativos mundiais diante das preocupações com o ritmo de crescimento das economias globais.

Destaques da Bolsa

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CIEL3 CIELO ON 9,27 -2,73 -57,86 31,46M
 CSAN3 COSAN ON 33,91 -2,22 -15,94 6,31M
 BRKM5 BRASKEM PNA 51,65 -1,92 +25,67 15,44M
 RADL3 RAIADROGASILON 63,18 -1,28 -30,73 6,63M
 PETR3 PETROBRAS ON N2 28,07 -1,23 +67,26 22,94M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 JBSS3 JBS ON 12,00 +4,53 +22,98 45,23M
 QUAL3 QUALICORP ON 14,29 +3,33 -52,22 10,24M
 CPLE6 COPEL PNB 33,97 +2,63 +36,71 19,97M
 SMLS3 SMILES ON 43,23 +2,56 -40,06 5,04M
 TAEE11 TAESA UNT N2 23,23 +2,24 +22,05 11,27M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

Noticiário político 

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que a reforma da Previdência pode ser encaminhada ao Congresso de forma "fatiada". Ele sinalizou que o foco inicial deve ser o estabelecimento de idade mínima para aposentadoria, respeitando uma diferença de tempo entre homens e mulheres.

Ele antecipou que está "bastante forte" na equipe de transição a "tendência" para começar o encaminhamento da reforma pela idade mínima. Questionado se seria mais fácil aprovar a matéria desta forma, ele respondeu que é "menos difícil".

Apesar das especulações de que a proposta teria perdido força, Bolsonaro reforçou que quer apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição sobre o tema e "começar a reforma pela previdência pública, com chance de ser aprovada".

O presidente eleito conversou nesta terça-feira com lideranças do MDB e do PRB, mas não entrou no tema da reforma da Previdência. Durante a reunião com os emedebistas, foi indagado sobre o tema pelo deputado Darcísio Perondi, mas não respondeu.

Ainda sobre Bolsonaro, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou por unanimidade e com ressalvas a prestação de contas da campanha eleitoral da chapa do presidente eleito e do vice, General Mourão. Com a aprovação, Bolsonaro poderá receber, na próxima segunda-feira (10), o diploma de candidato eleito, última formalidade antes da posse, que está marcada para 1º de janeiro.

No Senado, a aprovação da revisão da cessão onerosa da Petrobras, prevista para terça-feira (4), foi adiada mais uma vez diante da falta de acordo para fazer o repasse de parte dos recursos a Estados e municípios sem ferir o teto de gastos.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), disse que "é possível" que a votação do projeto ocorra somente em 2019. Jucá voltou a dizer que o "ideal" seria apreciar a proposta - que destrava o megaleilão de áreas do pré-sal - até 22 de dezembro deste ano, mas que não adianta passar uma proposta "prematura".

 

Contato