Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras e Vale caem com ajuste de ADRs após feriado; construtoras sobem com votação no Senado e Oi dispara até 22%

Confira os destaques do mercado na sessão desta quarta-feira (21)

P-55 Petrobras
(Divulgação/Petrobras)

SÃO PAULO - O Ibovespa têm uma sessão de forte queda com o ajuste no feriado após a derrocada de 7% do petróleo e com as ações do setor de tecnologia em baixa. A ação da Petrobras (PETR3;PETR4) abriu em queda de mais de 3%, também com o impacto do impasse sobre a votação da cessão onerosa no Senado, mas tem as perdas amenizadas com a sessão de leve recuperação do petróleo.

Já os papéis da Vale (VALE3) caem mais de 2% também com a queda do minério na véspera, apesar da recuperação da commodity nesta sessão. Bancos como Santander (SANB11), Itaú (ITUB4) e Banco do Brasil (BBAS3) também registram queda. Por outro lado, construtoras avançam com o Senado aprovando o texto-base do projeto de distratos. Veja mais destaques abaixo:

Petrobras (PETR3; PETR4)

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), afirmou em sessão do Plenário na última terça-feira (20) que vai segurar a votação da cessão onerosa “por tempo indeterminado” até que haja consenso entre os líderes da Casa, praticamente descartando um avanço do projeto ainda nesta semana, como era esperado por boa parte do mercado.

Segundo o presidente do Senado, o tema ainda precisa de mais tempo de discussão entre as bases e destacou que será preciso um acordo sobre a destinação de parte dos recursos obtidos com as mudanças das regras para os Estados e municípios.

Banrisul (BRSR6)

A Banrisul anunciou através de fato relevante que o banco cancelou a oferta pública de ações da Banrisul Cartões, pagando um dividendo de R$ 353 milhões totalizando um dividend yield de 9% em 2018. De acordo com o Itaú BBA, isso já era esperado, visto que essa possibilidade já estava indicada no Fato Relevante publicado pelo banco em 23 de março de 2018. No entanto, a notícia sobre o pagamento de dividendo extra é positiva, segundo os analistas.

Banco do Brasil (BBAS3)

O atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, está avaliando se aceitará convite do futuro ministro
da Economia, Paulo Guedes, para presidir o Banco do Brasil, segundo afirmou uma fonte à Bloomberg. 
Monteiro argumenta que já fez seu trabalho à frente da Petrobras mas, por outro lado, em conversas privadas, diz que a presidência do BB é o cargo que ainda o interessa. 

Cemig (CMIG4)

A Cemig Distribuição está analisando a emissão de debêntures. Em fato relevante, a companhia também anunciou que a Cemig GT voltou à condição de "compliance" em bonds, no valor de US$ 1,5 bilhão e com vencimento em 5 de dezembro de 2024.

Gerdau (GGBR4); Bradesco (BBDC4); Petrobras (PETR4); Cyrela (CYRE3)

O Itaú BBA optou por tirar os papéis de Gerdau e Bradesco de sua seleção Top 5, incluindo no lugar Petrobras e Cyrela. A saída de GGBR4 deve-se à pouca valorização das ações desde a inclusão (4,5%) e ao aumento das incertezas quanto à possível redução do atual patamar das tarifas de importação sobre produtos siderúrgicos.

Já a retirada de Bradesco deve-se à concretização da expectativa de um bom resultado normalizado e à redução do desconto entre a cotação das ações e o valor que os analistas consideram justo.

B3 (B3SA3)

De acordo com a Bloomberg, o HSBC recomendou a redução da exposição aos papéis de B3, com preço-alvo de R$ 23.

Construtoras

O Senado aprovou ontem o texto-base do projeto de distrato imobiliário. O texto prevê multas de até 50% sobre o valor pago pelo consumidor em caso de rescisão do negócio, percentual considerado alto por representantes de interesses dos consumidores, uma vez que, atualmente, a jurisprudência dos tribunais determina uma retenção em torno de 10% a 25%.

Os senadores voltarão a se reunir nesta quarta, 21, para analisar as emendas apresentadas ao projeto e concluir a votação. A proposta deverá ainda voltar para análise da Câmara e ações de construtoras reagem positivamente à notícia. 

Na opinião do BTG Pactual, a notícia é positiva para as incorporadoras de média/alta renda, visto que  (i) poderão reter um percentual do valor do imóvel (até 50% do valor pago) versus praticamente zero hoje; e (ii) empresas poderão cortar bastante gastos gerais e administrativos com judicialização do processo de distratos (advogados, backoffice, etc.).

Segundo os analistas, a Even (EVEN3) é uma das empresas mais beneficiadas pela regra do distrato. "A empresa é nossa preferência em média/alta-renda hoje, pelo valuation atrativo (0,65 vez o preço sobre o booking value) e resultados mostrando melhora consistente (geração caixa forte, voltando a crescer lançamentos)", escrevem. MRV (MRVE3), Direcional (DIRR3), Cyrela (CYRE3), Gafisa (GFSA3) e Helbor (HBOR3) também registram ganhos. 

BRF (BRFS3) e JBS (JBSS3)

Em meio à leve alta do dólar e em recuperação das perdas recentes (principalmente no caso da primeira), as ações da BRF e da JBS registram ganhos.

Vale destacar ainda a notícia de que o Ministério da Agricultura informou na segunda que foram habilitados 26 novos estabelecimentos no país para exportar carne de frango para o México. Segundo o ministério, a habilitação ocorreu depois de auditoria realizada por autoridades mexicanas em agosto deste ano e representa aumento de 130% no número de plantas aptas para exportar carnes de aves para o México. Agora, são 46 estabelecimentos habilitados no país.

De janeiro a outubro de 2018, o volume de exportações de carne de frango do Brasil para o México atingiu a soma de US$ 138 milhões. No ano passado, as vendas externas para o país da América do Norte somaram US$ 185 milhões.

Eletropaulo (ELPL3)

A Eletropaulo teve seu rating elevado para “BB+” pela S&PGR com perspectiva estável.

Smiles (SMLS3)

A companhia recebeu uma solicitação de determinados documentos e informações sobre a possível reorganização societária envolvendo Smiles e Gol, mas optou por não entregar esses documentos aos minoritários por entender que a solicitação de cópias de seus documentos estratégicos e sigilosos, assim como de atos de gestão, não possui amparo legal.

Oi (OIBR3;OIBR4)

As ações PN da Oi chegaram a registrar alta de 22%. Vale destacar que o direito de preferência para o aumento de capital da companhia, mediante a emissão privada de 3.225.806.451 novas ações ordinárias, ao preço de R$ 1,24 , totalizando R$ 4 bilhões, começa no dia 22 de novembro e termina em 26 de dezembro. Os papéis passam a ser negociados sem direito de subscrição a partir desta quarta-feira. 

Ainda no radar da companhia, o ADR da Oi foi iniciado com recomendação de equal-weight pelo Barclays, com preço-alvo de US$ 2,23.

Vale destacar ainda que, na última terça, a operadora brasileira criticou  a “postura litigiosa” da portuguesa Pharol desde a aprovação do seu plano de recuperação judicial que, na semana passada, se traduziu num pedido de indenização de 2 bilhões de euros. 

Em comunicado, a Oi indica que “enviou nova carta aos administradores da Pharol (ex-Portugal Telecom), referenciando o pedido de indenização no valor de dois mil milhões de euros protocolado pelo acionista na Justiça portuguesa e reafirmando que esta trajetória se tem revelado totalmente contrária aos interesses da pluralidade dos acionistas da Pharol”.

Br Insurance (BRIN3)

A partir desta quarta-feira, a BR Insurance, empresa de corretagem de seguros, passa a adotar o nome “Alper”, em referência a “alta performance” e com a expectativa de iniciar um outro ciclo de desempenho. O processo de estruturação teve início há cerca de dois anos, quando houve mudança de acionistas e conselheiros.

Invista em ações com taxa ZERO de corretagem: abra uma conta na XP

(Com Bloomberg e Agência Estado)

 

Contato