Em mercados / acoes-e-indices

"Pânico" nas pontocom: B2W, Via Varejo e Magazine Luiza desabam mais de 6%

Cenário econômico brasileiro preocupa, em especial o dólar, enquanto notícias sobre o Casino pressionam ativos da Via Varejo

Compra online
(mtkang)

SÃO PAULO - Junto com o dia bastante negativo para todo o mercado, com o Ibovespa caindo quase 2%, a terça-feira (4) foi especialmente ruim para as varejistas online, com o Magazine Luiza (MGLU3), Via Varejo (VVAR11) e B2W (BTOW3) liderando as perdas do índice nesta sessão.

O cenário brasileiro tem sido complicado, mas na semana passada, o presidente do Magazine Luiza, Frederico Trajano, afirmou que o câmbio é o único elemento macroeconômico que pode afetar o desempenho do varejo. Ele avaliou que o ambiente de instabilidade da moeda brasileira gera incertezas e pode afetar negociações com fornecedores e os preços ao consumidor no quarto trimestre deste ano e em 2019.

O executivo afirmou que a depreciação do real já levou a aumentos de preço de produtos, mas esses reajustes não refletem ainda o impacto total que pode ocorrer caso o dólar se mantenha por vários meses em níveis próximos de R$ 4,20 ou acima disso. Nesta terça, a moeda fechou com leve alta, no patamar de R$ 4,15.

Outra notícia que permeia o mundo das varejistas é a crise que vive o Casino, controlador do Pão de Açúcar (PCAR4), que teve seu rating rebaixado pela Standard & Poor's de "BB+" para "BB". A agência de risco citou riscos elevados sobre a necessidade de financiamento e a estrutura de capital da holding, a Rallye.

Além disso, a S&P citou a situação da venda da Via Varejo, que é dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio. O negócio, caso ocorra, poderá reduzir a dívida do grupo francês em 300 milhões de euros. 

Na sexta-feira, as ações do Casino desabaram 16% após o norte-americano Muddy Waters sinalizou o atraso de um documento regulatório da subsidiária Casino Finance. O grupo tentou acalmar o mercado dizendo que a posição de caixa da subsidiária era de 801 milhões no primeiro semestre, contra 586 milhões em dezembro de 2017.

No entanto, as preocupações dos investidores com a alavancagem da empresa levaram o preço das ações ao seu nível mais baixo desde 1996. A situação tem gerado preocupações no setor e a questão da venda da Via Varejo tem sido acompanhada de perto pelo mercado, apesar da chance diminuir a acada dia diante do complicado cenário econômico brasileiro.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato