Em mercados / acoes-e-indices

Os 5 assuntos que vão agitar os mercados nesta sexta-feira

Pesquisa eleitoral, debate e embate dos Estados Unidos contra China e Turquia estão no radar dos investidores

Debate Band
(Kelly Fuzaro/Band)

SÃO PAULO - Na véspera, o cenário de cautela voltou ao mercado brasileiro com as incertezas políticas por aqui se sobrepondo ao alívio da guerra comercial entre Estados Unidos e China. Já nesta manhã, o noticiário internacional também gera apreensão em meio à tensão entre o governo Trump e a Turquia, que se mantém diante da expectativa de decisão sobre o futuro do religioso preso que deu início às sanções imputadas entre os dois países. 

No Brasil, o destaque fica para nova pesquisa eleitoral, expectativas com o segundo debate televisionado e o rumo da candidatura de Lula. 

Veja no que ficar de olho nesta sexta-feira:

1. Bolsas mundiais

As bolsas europeias e os índices futuros dos Estados Unidos operam em direções mistas caminhando para o final de uma semana tumultuada pela crise turca e movimentos da guerra comercial entre China e Estados Unidos. Na Ásia, as ações chinesas caíram após Donald Trump pedir ao gigante asiático que ofereça mais na mesa de negociações. 

A maior parte das principais moedas tem valorização em relação ao dólar, mas a lira volta a ter queda expressiva e pares do real, como rand e peso mexicano, operam em queda.

O petróleo WTI tem leve alta e se sustenta na faixa de US$ 65, enquanto os metais retomam o 'selloff' em Londres com receio de que alta do dólar freie a demanda. O minério de ferro sobe com possível restrição de oferta na China. 

Confira o desempenho do mercado, segundo cotação das 8h (horário de Brasília):

*S&P 500 Futuro (EUA) -0,22%

*Dow Jones Futuro (EUA) -0,29%

*Nasdaq Futuro (EUA) -0,26%

*DAX (Alemanha) -0,38%

*FTSE (Reino Unido) -0,13%

*CAC-40 (França) -0,18%

*FTSE MIB (Itália) -1,09%

*Hang Seng (Hong Kong) +0,42% (fechado)

*Xangai (China) -1,33% (fechado)

*Nikkei (Japão) +0,35% (fechado)

*Petróleo WTI +0,27%, a US$ 65,73 o barril

*Petróleo brent +0,85%, a US$ 72,03 o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian +1,51%, a 504,50 iuanes (nas últimas 24 horas) 

*Bitcoin US$ 6.461,65 +0,38%
R$ 25.315 -0,71% (nas últimas 24 horas)

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

2. Agenda do dia 

Nesta sexta-feira, ocorre o segundo debate de presidenciáveis na RedeTV!/IstoÉ (confira aqui a agenda completa de debates), às 22h (de Brasília) Além da televisão, o encontro será transmitido pelo portal da emissora, pelo UOL, e nos perfis da RedeTV! no Facebook, Twitter e YouTube.

Antes, vale ficar de olho na pesquisa eleitoral semanal da XP/Ipespe, que será divulgada às 10h30 (confira o resultado do último levantamento clicando aqui).

Os Estados Unidos divulgam, às 11h, o índice antecedente de julho. A perspectiva da mediana da pesquisa Bloomberg aponta para alta de 0,4% ante 0,5% no mês anterior. O Sentimento da Universidade de Michigan preliminar de agosto será conhecido no mesmo horário. A estimativa é de que o índice suba de 97,9 pontos para 98 pontos. 

3. Conexão Brasília

O Conexão Brasília desta semana recebe o advogado Cristiano Vilela, especialista em direito eleitoral, e o analista político Ricardo Ribeiro, da MCM Consultores. Na pauta, os próximos passos da corrida eleitoral, a batalha jurídica da defesa de Lula contra as impugnações apresentadas no TSE e as estratégias dos candidatos com o início do período de campanhas. O programa é transmitido ao vivo, pela IMTV e pela página do InfoMoney no Facebook, a partir das 14h45 (horário de Brasília).

4. Noticiário político e internacional

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) negou participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no debate de hoje, mas ainda não deu resposta aos pedidos de impugnação de sua candidatura. O ministro Roberto Barroso, do TSE, será o relator dos autos referentes ao registro de candidatura de Lula e às impugnações apresentadas à participação dele na disputa presidencial.

O prazo para contestar candidatura de Lula vai até próxima quarta-feira, mas a procuradora-geral, Raquel Dodge, quer saltar essa etapa e adiantar a análise do registro de Lula, questão que ainda precisará ser avaliada pelo TSE. Enquanto isso, o PT também planeja acionar o STF para tentar suspender a inelegibilidade de Lula, além do STJ; a ideia é dar início ao debate nas cortes superiores para desacelerar a decisão do Tribunal Eleitoral. Até agora, sete pedidos já foram protocolados no TSE para impedir que Lula dispute a eleição.

Geraldo Alckmin (PSDB) divulgou na quinta-feira (16) um vídeo em suas redes sociais em que rejeita a possibilidade uma aliança com o PT ou com Jair Bolsonaro (PSL) em eventual segundo turno das eleições. “Minha aliança é com você. PT e Bolsonaro são dois radicais. O Brasil não precisa de radicalismo, mas de equilíbrio e bom senso. Vou governar com você e para você”, disse o candidato.

O vídeo foi postado após o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso dizer em entrevista a uma rádio que não descarta uma aliança entre PT e PSDB para enfrentar Bolsonaro, caso Alckmin vá para o segundo turno. “Espero que o PSDB vá para o segundo turno e acho que o PT espera a mesma coisa, mas, dependendo das circunstâncias, eu não teria nenhuma objeção a isso”, disse FHC.

Um advogado de Mangaratiba (RJ) entrou com um pedido no TSE para barrar a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, Rodrigo Phanardzis Ancora da Luz alega que o deputado federal é réu em ação penal do STF (Supremo Tribunal Federal) por suposto crime de apologia ao estupro e injúria e, seguindo um dispositivo da Constituição, réus em ação penal não podem ser candidatos à Presidência. 

Na cena internacional, o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, disse na quinta-feira (16) que os Estados Unidos estão prontos para impor mais sanções à Turquia caso o pastor Andrew Brunson não seja libertado. Os dois países elevaram tarifas de importação um contra o outro depois que Trump tentou convencer o presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, a desistir da prisão do pastor. 

A Corte de apelação na cidade costeira de Izmir deve decidir neste sábado (18) sobre a situação do pastor. OS Estados Unidos pressionam a Turquia a liberar o religioso ou sob ameaça de novas sanções. 

Na relação com a China, o conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, alertou que Pequim não deve subestimar a determinação de Trump em pressionar o país para mudanças nas políticas econômicas. A retomada do diálogo será conduzida do lado chinês pelo vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, que viajará a Washington na próxima semana para se reunir com o subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, David Malpass.

5. Noticiário corporativo

Petrobras está revisando sua estratégia sobre petroquímica e pode voltar atrás na decisão de vender sua fatia na Braskem e sair do setor, informou o diretor-financeiro da Petrobras, Rafael Grisolia, em entrevista à Bloomberg. A Brasil Brokers aprova grupamento de suas ações ordinárias na proporção de 10 para 1. 

A S&P elevou o rating a Oi de CCC+ com perspectiva positiva para B com perspectiva estável. A Light (LIGT3) informou que está avaliando a possibilidade de realizar oferta pública de ações ordinárias. E empresa não mencionou o valor nem disse quando a oferta de ações poderia ocorrer.

Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) foi elevado para outperform pelo Bradesco BBI, com preço-alvo em R$ 107. A XP Investimentos iniciou a cobertura da Taesa (TAEE11) com recomendação de compra e preço-alvo médio de R$ 23,65. 

A Tyson negocia a compra da Keystone da Marfrig (MRFG3) por US$ 2,5 bilhões, segundo informações de Ancelmo Gois, colunista de O Globo. O leilão de privatização de distribuidoras da Eletrobras (ELET6), agendado para 30 de agosto, está ameaçado mais uma vez por decisão judicial, após o órgão especial do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro decidir retomar efeitos de uma liminar que exigiu da estatal estudos prévios sobre o impacto das desestatizações sobre trabalhadores. A empresa, o governo e o BNDES estudarão medidas cabíveis sobre a suspensão do leilão. 

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

 

Contato