Em mercados / acoes-e-indices

ETF sem estatais de mercados emergentes supera pares

O fundo se inclina pelos setores de tecnologia e varejo, enquanto outros ETFs de mercados emergentes estão mais expostos a bancos e ao setor de petróleo e gás

Bolsa de valores
(Shutterstock)

(Bloomberg) -- A estratégia de evitar empresas estatais tem dado certo nos últimos tempos para quem busca ações no mundo em desenvolvimento.

O WisdomTree Emerging Markets ex-State-Owned Enterprises Fund (XSOE) subiu 19 por cento desde que foi criado, em dezembro de 2014, mais que o dobro do iShares MSCI Emerging Markets ETF (EEM). Além disso, ostenta um índice Sharpe mais elevado, padrão criado pelo ganhador do prêmio Nobel William Sharpe para medir desempenho em relação ao risco. O fundo negociado em bolsa XSOE exclui empresas como China Construction Bank Corporation, China Mobile e Industrial & Commercial Bank, nas quais a participação do governo supera 20 por cento.

Cerca de três quintos dos ativos do ETF estão na China, na Coreia do Sul e em Taiwan, liderados por Tencent Holdings, Alibaba Group Holding e Samsung Electronics. O fundo se inclina pelos setores de tecnologia e varejo, enquanto outros ETFs de mercados emergentes estão mais expostos a bancos e ao setor de petróleo e gás.

Repórter da matéria original: Ben Bartenstein em Lima, bbartenstei3@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Rita Nazareth, rnazareth@bloomberg.net, Alec D.B. McCabe, Peter Millard

©2018 Bloomberg L.P.

Contato