Em mercados / acoes-e-indices

Os 5 assuntos que vão agitar os mercados nesta quinta-feira

Confira os principais eventos deste pregão

Plenário, Câmara
(José Cruz/Agência Brasil)

SÃO PAULO - A volta do feriado dos EUA, que levou a uma sessão de baixa liquidez nas principais praças mundiais na última quarta-feira, é bastante movimentada, com atenção para a divulgação do ADP, ata do Fomc e estoques de petróleo, enquanto os desdobramentos comerciais seguem sendo destaque. 

No Brasil, as notícias de empresas que alavancaram ações de estatais na véspera seguem com desdobramentos positivos. A Câmara concluiu a aprovação da Lei que permite a cessão onerosa de áreas pela Petrobras e também aprovou o texto-base sobre distribuidoras da Eletrobras, enquanto a Embraer comunicou nesta manhã ter fechado acordo para joint venture com a Boeing. No noticiário "político-policial", o ministro do Trabalho foi afastado pelo STF no âmbito da nova fase da Operação Registro Espúrio. Confira o que é destaque nesta quinta-feira (5):

1. Bolsas mundiais

A sessão é de alta para os índices futuros em Nova York e para as bolsas europeias, com destaque para as ações de montadoras, com esperanças de um acordo entre EUA e Europa. Segundo o jornal Handelsblatt, o embaixador dos Estados Unidos na Alemanha afirmou a chefes de montadoras alemãs de veículos que o presidente norte-americano, Donald Trump, vai suspender as ameaças de impor tarifas de importação sobre veículos da União Europeia se o bloco levantar sobretaxas sobre veículos dos EUA.

Trump quer em troca que a UE zere tarifas de importação atuais sobre carros dos EUA importados pelo bloco, apontou a publicação alemã. 

Enquanto isso, o dia foi de queda para as bolsas asiáticas, enquanto o mercado se prepara para a implementação das tarifas dos EUA à China nesta sexta-feira.

Já no mercado de commodities, o petróleo sobe e sustenta nível acima de US$ 74, mesmo após Trump criticar Opep por não baixar preços; metais avançam em Londres, enquanto o minério cai na China.

Às 8h10 (horário de Brasília), este era o desempenho dos principais índices:

*S&P 500 Futuro (EUA) +0,59%

*Dow Jones Futuro (EUA) +0,60%

*Nasdaq Futuro (EUA) +0,65%

*DAX (Alemanha) +1,45%

*FTSE (Reino Unido) +0,59%

*CAC-40 (França) +1,18%

*FTSE MIB (Itália) +1,49%

*Hang Seng (Hong Kong) -0,21% (fechado)

*Xangai (China) -0,91% (fechado)

*Nikkei (Japão) -0,78% (fechado)

*Petróleo WTI +0,53%, a US$ 74,53 o barril

*Petróleo brent +0,04%, a US$ 78,27 o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian -1,40%, a 456,50 iuanes (nas últimas 24 horas) 

*Bitcoin US$ 6.739 +2,89%
R$ 25.665 +2,13% (nas últimas 24 horas)

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

2. Agenda agitada

A volta do feriado dos EUA é de agenda forte no país, com atenção para o ADP Employment de junho a ser divulgado às 9h15, com perspectiva de criação de 190 mil vagas no setor privado, segundo estimativa mediana de economistas consultados pela Bloomberg. Às 10h45, o Markit divulgará os dados de PMI composto e serviços. Ao meio-dia, serão divulgados os dados de estoque de petróleo, com estimativa de queda de 5,17 milhões de barris. 

Já às 15h, será divulgada a ata do Fomc (Federal Open Market Committee), que pode trazer mais detalhes sobre a decisão do dia 13 de junho de elevar a taxa de juros pela segunda vez no ano, em uma nova faixa de 1,75% a 2%. 

Vale destacar ainda que a Verde Asset divulgou carta de estratégia destacando que a alocação comprada em dólar do fundo foi reduzida para 5%, por acreditar que os preços atuais já não justificam a alocação anterior. Já a posição comprada em bolsa brasileira foi ligeiramente aumentada, por ver preços atrativos em setores ligados à economia doméstica.

3. IMTV

No IMTV, o Papo com Gestor recebe André Lion, gestor de renda variável da Ibiúna Investimentos, às 13h. Mais tarde, o analista responsável da Carteira InfoMoney, Thiago Salomão, apresentará as alterações ao vivo, a partir das 15h, e também explicará a performance positiva do portfólio, que terminou o 1º semestre do ano quase 10 pontos percentuais à frente do Ibovespa. Confira a grade completa da IMTV clicando aqui. 

4. Notícias do dia

A quinta-feira começa movimentada com mais uma operação da Polícia Federal, a Registro Espúrio,  que apura supostas fraudes em registros sindicais.  Ministro do trabalho, Helton Yomura, foi afastado do cargo nesta quinta-feira (5) pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no âmbito da Operação, que também cumpre mandado de busca e apreensão no gabinete do deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP). 

De acordo com a PF, a terceira fase da Operação tem como objetivo de “aprofundar as investigações a respeito de organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.”

O noticiário eleitoral também segue movimentado, com a coluna Painel, da Folha, destacando que integrantes de partidos do centrão foram sondados por emedebistas sobre as chances de a aversão do grupo ao PSDB mudar com a troca de Geraldo Alckmin por João Doria no posto de presidenciável. Contudo, a tese foi rejeitada.  Aliados de Michel Temer dizem que o presidente, que esteve recentemente com Doria e com Fernando Henrique Cardoso, não deu aval ao movimento. Já em jantar com Alckmin, os dirigentes  do bloco formado por DEM, PP, PRB, Solidariedade e PSC indicaram que estão mais inclinados a apoiar Ciro Gomes (PDT) na campanha eleitoral, informa o Estadão.

Apesar das dificuldades, o Valor noticia que o tucano acredita em uma "arrancada fulminante" nos últimos 30 dias do horário eleitoral gratuito, quando ele espera que prevaleça uma "onda de racionalidade". Confiança também é expressada por Jair Bolsonaro, que afirmou a empresários, segundo o Estadão: "não vai ter segundo turno". 

5. Noticiário corporativo

O noticiário corporativo tem como principal destaque notícias positivas para as ações de Petrobras, Eletrobras e Embraer. Ontem, o dia foi bastante positivo para a petroleira, com a Câmara rejeitando os destaques e o PL da cessão onerosa indo agora ao Senado, no mesmo dia em que o TCU revisou a regra que tira obstáculo para a realização do leilão ainda este ano. 

Também a Eletrobras foi destaque na quarta, disparando 17%, na maior alta desde agosto de 2017, após Câmara aprovar urgência para o projeto que viabiliza privatização de distribuidoras. Ontem, a Câmara aprovou o texto-base, com a votação dos destaques ficando para a próxima semana. Já a Embraer comunicou ter fechado acordo para formar joint venture com a Boeing (veja mais clicando aqui). O acordo dependerá do aval do governo federal. Neste sentido, o Valor informa que iminência do anúncio da sociedade entre as companhias, o TCU deve autorizar na próxima semana a possibilidade de extinção das ações de classe especial que o governo possui em empresas que foram privatizadas no passado, como é o caso da fabricante de aeronaves.

 

(Com Agência Estado, Bloomberg e Agência Brasil) 

 

 

Contato