Em mercados / acoes-e-indices

Rali nem começou: Ibovespa ainda está muito longe do seu ápice para os "gringos"

Índice tem potencial de valorização de 65% considerando o topo histórico do gráfico dolarizado

bull

SÃO PAULO - Desde o rompimento do antigo topo em 78.024 pontos no segundo pregão do ano, o Ibovespa já renovou máxima histórica por nove oportunidades, sendo que a última foi justamente na quarta-feira (31), quando cravou novo topo histórico em 86.213 pontos. Apesar desta sequência impressionante, o mercado está longe do seu ápice, na verdade na metade do seu caminho quando olhamos o Ibovespa dolarizado. Mas por que ele é importante?

O Ibovespa em dólar nada mais é do que a divisão da pontuação atual do Ibovespa nominal (em reais) por uma taxa de câmbio R$/US$ e serve como referência para os investidores estrangeiros, que correspondem por cerca de 50% do volume financeiro movimentado na bolsa brasileira. A importância de saber disso é que, se para os pessimistas de plantão o rali do Ibovespa está próximo do fim, aos olhos dos "gringos" o índice parece estar ainda bem barato.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta

Olhando para o gráfico em dólar, o topo histórico do mercado foi marcado em 2008, quando atingiu 44.852 pontos, ou seja, temos um potencial de valorização de 65% tendo como base o último fechamento. Na realidade, o índice acabou de testar a máxima de 2014 na região de 28.000 pontos, como mostra o gráfico mensal:

 Fonte: Bloomberg

Projeções
Olhando agora para o gráfico semanal, com o rompimento de 25.000 pontos no começo do ano, o índice consolidou um "pivô de alta" (linhas verdes) entre 18.170 e 24.870 pontos, que tem como objetivo final 31.565 pontos, ou seja, um potencial de valorização de 27% considerando o ponto que o padrão gráfico foi confirmado.


Fonte: Bloomberg

Esse mesmo otimismo também pode ser visto no gráfico nominal do Ibovespa. Assim como no dolorizado, o rompimento do antigo topo histórico em 78.024 pontos na primeira semana do ano consolidou um "pivô de alta" entre 60.550 pontos e a última máxima rompida, cujo objetivo principal aponta para a faixa de 100 mil pontos, comprovando o bom momento em todos os tempos gráficos.

Gráficos não estão sozinhos
Para corroborar este cenário positivo, os analistas fundamentalistas também destacam o grande potencial de valorização do mercado. Estrategistas de corretoras e grandes bancos de investimentos apontam que o mercado tem potencial de atingir a marca de 90 mil pontos em breve. Mais otimista, o BTG Pactual vê espaço para o mercado atingir os 110.000 pontos ainda este ano, citando a recuperação da economia, melhores resultados das empresas e o cenário eleitoral menos caótico após a condenação de Lula.

Ainda falando sobre o banco de investimento, o time de estratégia do BTG, liderado por Carlos Siqueira e Bernardo Teixeira, prevê que o fluxo dos investidores estrangeiros seguirá forte neste ano e cerca de R$ 200 bilhões podem estar prestes a vir para o Brasil - confira a reportagem completa aqui.

Clear oferece a menor corretagem do Brasil; Clique aqui e abra sua conta

 

Contato