Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa Futuro sobe digerindo Datafolha e na expectativa pela reunião do Fed

Além disso, destaque para a produção industrial na China, que ficou abaixo do esperado em janeiro

Lula
(Ricardo Stuckert)

SÃO PAULO - Em meio ao bom humor do mercado internacional, os contratos futuros de Ibovespa com vencimento em abril sobem 0,91%, aos 85.525 pontos, às 9h17 (horário de Brasília) desta quarta-feira (31), com o mercado digerindo a pesquisa Datafolha, que mostrou Lula na liderança com folga mesmo após a condenação, assim como na expectativa pela reunião do Fed. Destaque também para a produção industrial na China, que ficou abaixo do esperado em janeiro.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta

Uma semana após sua condenação, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém liderança na corrida eleitoral, conforme aponta a última pesquisa do Datafolha, com o líder petista entre 34% e 37% da preferência do eleitorado dependendo do cenário considerado. Sem o petista na disputa, Bolsonaro aparece em primeiro lugar com 18%, superando Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Luciano Huck (sem partido): os dois últimos estão com 8% das intenções de voto.

Apesar de liderar em eventual corrida sem Lula, o deputado federal parou de crescer, oscilando negativamente em todos os quadros apresentados na pesquisa, em comparação com levantamento feito em novembro. Tal movimento também se registra nos cenários de segundo em que Bolsonaro é considerado candidato. Ele seria derrotado tanto por Lula (49% a 32%), quanto pela ex-senadora Marina Silva (42% a 32%). Nos demais cenários de segundo turno considerados, Alckmin aparece tecnicamente empatado com Ciro Gomes, em um placar de 34% a 32%, e com Bolsonaro, em um placar de 35% a 33% -- ambos favoráveis ao tucano.

Mesmo que não liderem a disputa nos cenários que não consideram a candidatura de Lula, a pesquisa mostra que a saída do líder petista hoje impulsiona principalmente os nomes de Marina e Ciro. Na comparação das situações, a porta-voz da Rede passa de 8% para 13%, enquanto o ex-ministro salta de 6% para 10%. Contudo, também fica clara uma pulverização dos votos concentrados por Lula e uma incapacidade de, neste momento, transferência de votos a possíveis candidatos do PT. Um dos principais nomes ventilados no partido, o ex-governador baiano Jaques Wagner, aparece com apenas 2% das intenções de voto na pesquisa. Por outro lado, o percentual dos eleitores que diz que não sabe em quem votar ou que votaria em branco ou nulo sobe de 16% para 26% quando Lula não é candidato.

Ainda falando sobre Lula, o vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, negou habeas corpus preventivo para evitar a prisão do petista. Na decisão, Martins, que está no exercício da presidência do STJ, negou pedido feito pela defesa do ex-presidente para impedir a eventual execução provisória da condenação, após o último recurso que será julgado pelo TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

Em meio ao clima favorável no mercado internacional, o dólar futuro com vencimento em março registrava desvalorização de 0,69%, aos R$ 3,172, em dia de fechamento da Ptax, enquanto os contratos com vencimento em janeiro de 2019 e 2021 operavam praticamente estáveis, cotados a 6,79% e 8,79%, respectivamente.

Bolsas mundiais
A correção da maior parte dos mercados mundiais tem um "alívio" no último pregão do mês com os investidores na expectativa pela reunião do Fed, além dos dados de emprego do setor privado e os estoques de petróleo norte-americanos na última semana, como também digerindo o discurso de Trump ao Congresso. Em sua fala, o presidente apresentou poucas informações sobre iniciativas comerciais ou para infraestrutura, mas não deixou de ressaltar seus feitos neste primeiro ano de mandato, como a reforma tributária e a melhora da economia, assim como pediu apoio aos congressistas para aprovar medidas de uma reforma nas leis de imigração do país.

Já na Ásia, as bolsas chinesas tentaram uma recuperação ao longo do pregão, mas fecharam em baixa por conta do resultado abaixo do esperado do setor industrial. O índice de atividade industrial perdeu fôlego e recuou de 51,6 em dezembro para 51,3 em janeiro, abaixo da previsão de 51,5, o que acabou afetando o minério de ferro, que recua na bolsa de Dalian.

Às 9h16, este era o desempenho dos principais índices:

*Dow Jones Futuro (EUA) +0,29%

*CAC-40 (França) +0,15%

*FTSE (Reino Unido) +0,02%

*DAX (Alemanha) +0,26% 

*Hang Seng (Hong Kong) +0,86% (fechado)

*Xangai (China) -0,19% (fechado)

*Nikkei (Japão) -0,83% (fechado)

*Petróleo WTI -0,68%, a US$ 64,06 o barril

*Petróleo brent -0,65%, a US$ 68,57 o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian -1,35%, a 510iuanes (nas últimas 24 horas)

*Bitcoin -9,55%, a R$ 32.245 (confira a cotação da moeda em tempo real)

Agenda de indicadores
Os investidores aguardam a decisão do Federal Reserve às 17h00, que pode sinalizar alta do juro em março por conta do fortalecimento da economia ao longo do ano passado. Neste encontro, a expectativa é que a taxa de juros permaneça entre 1,25% e 1,50%, com todos de olho no comunicado pós-reunião, que será a última comandada por Janet Yellen.

Antes disso, a agenda também terá diversos indicadores. Às 11h15, será divulgado o ADP Employment, com expectativa de criação de 180 mil vagas de trabalho no setor privado em janeiro, enquanto às 13h00 serão divulgadas as vendas de casas pendentes de dezembro e os estoques de petróleo às 13h30, com expectativa de aumento após 11 quedas consecutivas.

No Brasil, destaque para o resultado da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), com a taxa de desemprego encerrando dezembro em 11,8%, enquanto os analistas esperavam avanço de 11,9%. No ano passado, a taxa fechou em 12,7%, acima dos 11,5% verificados em 2016.

Previdência
Na noite de ontem, ministros e integrantes do governo buscaram mostrar confiança na aprovação da reforma da Previdência, que deve entrar na pauta do Congresso em fevereiro - mas também sinalizaram que podem suavizar mais a proposta. Responsável pela articulação política do governo com o Congresso Nacional, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse ter confiança que o texto será aprovado, mas admitiu que será um desafio, já que ainda não há votos suficientes para garantir a aprovação da proposta.

O vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), disse que faltam poucos votos para os 308 necessários para aprovar a reforma na Câmara, mas admitiu em seguida que a contagem dos apoios vai começar efetivamente na semana que vem. Segundo ele, a estratégia é que os líderes conversem com suas bancadas para mapear os apoios e os votos indecisos para então tentar revertê-los favoravelmente.

Noticiário corporativo
A temporada de resultados segue no radar. Na noite de terça, o Santander Brasil divulgou seu resultado do quarto trimestre e consolidado de 2017 apontando lucro societário de R$ 2,5 bilhões nos últimos três meses do ano, alta de 66,5% na base de comparação anual, como acima das estimativas do mercado de R$ 2,36 bilhões. Já a Gol anunciou emissão externa de US$ 150 milhões com vencimento em 2025, enquanto a Petrobras efetuou pré-pagamento de financiamento com CDB. No radar de recomendações, o Santander Brasil foi elevado a "equal-weight" pelo Brasil Plural, enquanto a Klabin foi elevada a neutra pelo Goldman Sachs. 

O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura.

 

Contato