Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras e bancos sobem em Nova York e índice de ADRs fecha 2017 com alta de 21%

Brazil Titans 20 ignora leve queda das bolsas norte-americanas no último pregão do ano

Ações
(Shutterstock/Golden House Studio)

SÃO PAULO - Em dia sem atividades na bolsa brasileira, o índice Brazil Titans 20, que reúne os principais ADRs (American Depositary Receipt) de empresas nacionais negociados em Wall Street, fechou com alta de 0,34%, aos 22.690 pontos, refletindo a valorização das commodities, em especial do petróleo, além do bom desempenho dos bancos. Com isso, o índice fecha o ano com ganhos de 21,05%.

Esse otimismo, porém, não teve reflexo na bolsa norte-americana, com os três principais índices do mercado registrando perdas. O Dow Jones recuou 0,48%, enquanto S&P 500 e Nasdaq registraram perdas de 0,52% e 0,67%, respectivamente. Apesar disso, os três índices encerraram o ano com ganhos de mais de 20%, no melhor ano desde 2013.

Com alta de 0,47%, os contratos futuros de petróleo negociados na bolsa de Chicago fecharam acima de US$ 60,00 o barril pela primeira vez em dois anos e maio, tendo em vista da nova queda nos estoques da commodity nos Estados Unidos. Assim como na semana de 15 de dezembro, quando recuou 6,5 milhões de barris, a última semana foi marcada por um novo retrocesso nos estoques, desta vez de 4,7 milhões de barris, apontando para uma queda na oferta do produto. Ainda falando sobre commodities, destaque para a alta de 2,71% dos contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian.

Em vista da valorização do petróleo, os ADRs da Petrobras (PBR.A) - referentes às ações preferenciais da estatal - subiram 0,61%, a US$ 9,83, enquanto os PBR - que representam os papéis ordinários - registraram alta 0,68%, a US$ 10,29. Além disso, chamou atenção o desempenho dos bancos, que subiram cerca de 1% neste pregão.

Confira o desempenho dos principais ADRs brasileiras na NYSE:

Empresa ADR Variação Preço
CSN SID -2,78% US$ 2,45
Bradesco BBD +0,59% US$ 10,24
Santander BSBR +1,47% US$ 9,67
Itaú Unibanco ITUB +0,54% US$ 13,00
BRF BRFS +1,35% US$ 11,26
Ultrapar UGP +0,73% US$ 22,73
Sabesp SBS +0,10% US$ 10,45
Pão de Açúcar CBD +0,04% US$ 23,57
Gafisa GFA +0,08% US$ 12,62
Fibria FBR +0,62% US$ 14,70
Copel ELP +1,46% US$ 7,63
Ambev ABEV +0,62% US$ 6,46
Telefônica Brasil VIV +0,07% US$ 14,83
TIM Participações TSU -0,59% US$ 19,31
Embraer ERJ -0,91% US$ 23,93
Cemig CIG +0,98% US$ 2,06
Petrobras PBR.A +0,61% US$ 9,83
Vale VALE +0,33% US$ 12,23
Petrobras PBR +0,68% US$ 10,29
Gerdau GGB -0,53% US$ 3,72

Europa em queda
Contrariando o otimismo do mercado norte-americano, os principais índices de ações europeus recuaram no último pregão do ano após o presidente da Itália, Sergio Mattarella, dissolver o Parlamento e lançar oficialmente a campanha para eleições legislativas, marcadas para 4 de março. O índice italiano FTSE MIB recuou 1,21%, enquanto DAX (Alemanha) e CAC 40 (França) registraram queda de 0,48% e 0,50%, respectivamente. Na contramão, o inglês FTSE 100 subiu 0,85%, impulsionado pelas mineradoras.

Na Ásia, as principais bolsas encerraram a sessão desta sexta-feira em alta, mais uma vez ajudadas pelo setor de tecnologia, que se recupera depois de sofrer no começo da semana com as projeções mais pessimistas da Apple para as vendas do mais recente modelo do iPhone. O índice Xangai (China) subiu 0,35%, enquanto Hang Seng (Hong Kong) fechou em alta de 0,19%.

 

Contato