Em mercados / acoes-e-indices

Natura estuda captação no exterior; dividendos e notícias sobre 3 elétricas agitam o radar

Confira as principais notícias da noite desta terça-feira (26)

Loja Natura - sede SP
(Mariana Zonta)

SÃO PAULO - Apesar do dia mais tranquilo após a volta do feriado de Natal, o noticiário corporativo desta terça-feira (26) seguiu bastante agitado, principalmente para as empresas de energia elétrica. Confira os destaques:

Natura (NATU3)
Em comunicado enviado ao mercado, a Natura afirmou que estuda a viabilidade de realizar uma captação de recursos por meio de notas a serem emitidas no exterior. A declaração veio em esclarecimento da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) após notícia publicada no jornal O Estado de S.Paulo, que afirma que o valor pode chegar a US$ 1 bilhão.

Na nota, a companhia ressalta, porém, que esta eventual nova emissão se encontra em fase preliminar e não há qualquer definição sobre o volume total da emissão, prazo, taxa de juros, ou quaisquer outras definições sobre a estrutura e formas de captação. A Natura explica que avalia a possibilidade de novas captações para o refinanciamento da sua dívida após a aquisição da The Body Shop, feita em setembro.

Cemig (CMIG4)
A Cemig informou hoje que a subsidiária da Andrade Gutierrez, AGC Energia, vendeu a totalidade de sua participação acionária na companhia, o que corresponde a 12,69% do capital social, ou 53.403.756 ações ordinárias.

Eletropaulo (ELPL3)
A Eletropaulo informou que sua diretoria ainda discute com a Eletrobras os termos de um eventual acordo sobre empréstimo tomado da estatal em 1987. Segundo comunicado ao mercado, nenhuma proposta foi submetida ainda para deliberação e aprovação do conselho de administração da companhia.

O acordo se refere a um empréstimo que a Eletropaulo contratou da Eletrobras, quando ela e a Cteep eram uma empresa só. Depois da separação ocorreu uma disputa sobre quem seria responsável pelo passivo, em uma luta que nunca foi resolvida.

Fleury (FLRY3)
A Fleury informou que seu Conselho de Administração aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio no valor total de R$ 41.407.771,68, o que corresponde ao valor bruto por ação de R$ 0,131540294707668.

A remuneração será paga com base na composição acionária da companhia em 29 de dezembro, com as ações passando a ser negociadas na forma "ex" juros sobre o capital próprio a partir de 02 de janeiro de 2018. O valor será pago em 15 de janeiro.

 

Contato