Em mercados / acoes-e-indices

Mesa de trading do JPMorgan mantém posição em títulos Oi, revelam fontes

Bancos dos EUA estão mantendo posições em papéis da Oi a menos de uma semana da assembleia de credores

Oi - Bloomberg
(Paulo Fridman/Bloomberg)

A mesa de negociações do JPMorgan Chase & Co. está mantendo uma posição em títulos de dívida externa da Oi, disseram quatro pessoas familiarizadas com o assunto.

As pessoas, que pediram para não ser identificadas porque o assunto é privado, não especificaram o tamanho da posição ou se o banco está agindo em nome de clientes. JPMorgan e Oi não quiseram comentar.

Bancos dos EUA estão mantendo posições em papéis da Oi a menos de uma semana da assembleia de credores agendada para votar o plano de reestruturação proposto pela operadora, protagonista do maior caso de recuperação judicial da América Latina, com US$ 19 bilhões em dívidas.

O Goldman Sachs é o 3º maior acionista da Oi, com 4,92% do capital total, posição construída para atuar como formador de mercado na ação, disse uma pessoa com conhecimento direto do assunto no mês passado. O Bank of America detém posição de 1% do capital, de acordo com a Oi.

Na semana passada, a Oi apresentou um plano revisado no qual oferece aos credores a opção de comprar até R$ 3,5 bilhões em novas ações. A empresa precisará do apoio dos credores para aprovar o plano proposto, mas os detentores de títulos aconselhados por Moelis & Co. e G5 Evercore disseram em carta que não o aprovarão do jeito que está.

Credores estão pressionando por conversas diretas com a gestão da Oi. O fracasso em obter apoio dos credores pode levar à falência ou a uma intervenção do governo brasileiro.

Detentores de dívida devem votar o novo plano de recuperação em assembleia geral marcada para 23 de outubro, com segunda chamada para 27 de novembro.

 

Contato