Em mercados / acoes-e-indices

Cesp suspende desestatização, Vale estuda entrar em leilão de usinas da Cemig e bancos buscam interessados na JBS

Confira as principais notícias das empresas nesta sexta-feira

energia_bloomberg

SÃO PAULO - Enquanto os mercados acompanham cautelosos desdobramentos geopolíticos sensíveis, o noticiário corporativo traz informações que podem fazer preço no pregão desta sexta-feira (15), na B3. Confira os destaques do radar das empresas:

Azul (AZUL4)
A oferta pública de distribuição secundária da companhia totalizou 40.630.186 ações preferenciais de emissão da companhia e de titularidade dos acionistas, em um montante total de R$ 1,14 bilhão. Segundo a empresa, o preço por ação estabelecido após procedimento de bookbuilding foi de R$ 27,96.

Vale (VALE3; VALE5)
A mineradora está avaliando participar do leilão de usinas da Cemig. Segundo comunicado ao mercado, a ideia seria expandir a autoprodução e reduzir custos, uma vez que a Vale é uma das maiores consumidoras privadas de energia elétrica do Brasil. 

JBS (JBSS3)
Conforme noticia o jornal Valor Econômico, bancos de investimentos começam a se movimentar para buscar interessados na companhia, após o revés sofrido pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, ambos presos nesta semana. Embora ofertas pelo controle não sejam totalmente descartada, a reportagem diz que executivos de bancos disseram que o mais provável seria algum tipo de associação com a companhia ou proposta por algum ativo. Até o momento, entende-se que os irmãos não estariam interessados em vender a JBS agora ou futuramente, mas isso pode mudar.

Braskem (BRKM6)
A empresa assinou uma proposta de acordo sobre ação coletiva nos Estados Unidos. Ela concordou em pagar US$ 10 milhões para encerrar todas as demandas dos adquirntes de ADRs negociadas entre 15 de julho de 2010 e 11 de março de 2015, oriundas ou relacionadas ao objeto do processo. A Braskem, contudo, informa que a proposta de acordo está sujeita a condições como a homologação judicial.

CESP (CESP6)
O conselho diretor do programa estadual de desestatização decidiu suspender o processo de venda da companhia. Conforme comunicado ao mercado, a decisão se alongará "pelo prazo necessário à avaliação sobre a pertinência de eventuais ajustes", sem informar prazos para a retomada do processo.

Fleury (FLRY3)
A companhia adquiriu 100% do capital social da empresa gaúcha Serdil Serviço Especializado em Radiodiagnóstico, avaliada em R$ 29,8 milhões. "A Serdil atua há 45 anos com diferenciação técnica e de qualidade com amplo portfólio em diagnósticos de imagem. Essa aquisição permitirá a complementariedade de nossa oferta atual de análises clínicas na região, reforçando nosso posicionamento de portfólio completo em medicina diagnóstica", diz a Fleury em comunicado ao mercado.

Ambev (ABEV3)
A fabricante de bebidas teve cobertura iniciada pelos analistas do Morgan Stanley. A avaliação inicial é "equalweight".

Valid (VLID3)
A empresa teve seus papéis rebaixados de "overweight" para "neutros" pelo JPMorgan.

PDG Realty (PDGR3)
A companhia elegeu Pedro Bulhões da Fonseca como novo presidente do conselho.

 

Contato