Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa tem dia volátil entre alta de blue chips e três fatores de atenção no radar dos mercados

Após abertura dos EUA, Ibovespa virou para alta, em dia de repercussão dos resultados da Petrobras, mas logo virou para perdas após dados de petróleo dos EUA

Henrique Meirelles e Michel Temer
(Lula Marques/Agência PT)

SÃO PAULO - Após uma queda de quase 3% na véspera, o Ibovespa abriu em queda, virou para ganhos após a abertura dos EUA e volta a registrar queda nesta sessão, em meio aos dados de estoques do petróleo americano acima do esperado pelo mercado, com alta de 5 milhões de barris na última semana. Em meio a esse dia volátil, o Ibovespa passou a registrar alta mais forte, com Petrobras, Vale e alta de bancos fazendo com que o Ibovespa subisse 0,90% às  12h28 (horário de Brasília), a 63.544 pontos. 


O mercado fica de olho nos efeitos do primeiro grande recuo do governo na reforma da Previdência, ao excluir servidores estaduais e municipais da reforma da Previdência. De acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), retirar servidores facilitará a aprovação da reforma, mas o anúncio teria irritado o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha, que é fiador da reforma, informa o Estadão. A LCA Consultores segue com  o cenário de que a reforma será aprovada, mas em versão desidratada e aponta a seguinte a questão: "o que mais o governo terá de ceder a fim de garantir a aprovação da reforma?" (veja mais clicando aqui). 

De acordo com o Estadão, a decisão do presidente Michel Temer em restringir a reforma da Previdência aos servidores federais teve como principal motivação as pressões sofridas pelos integrantes da base aliada em seus respectivos redutos eleitorais e a efetiva ameaça de não serem reeleitos no próximo ano. Diante desse quadro, lideranças da base do governo intensificaram, nas últimas semanas, o alerta junto ao Palácio e aos integrantes da equipe econômica dos riscos de uma derrota "acachapante" na votação da proposta no Congresso (veja mais clicando aqui). 

Além disso, ainda sem hora marcada, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, divulgará o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias, com o corte no Orçamento e um eventual aumento de impostos. Nesta terça-feira, Meirelles afirmou que o número do contingenciamento ainda não está fechado e que seria definido em uma reunião na manhã desta quarta-feira. O objetivo da equipe econômica, segundo ele, é cumprir a meta fiscal de 2017, de déficit de R$ 139 bilhões. De acordo com o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), o governo vai contingenciar entre R$ 30 e R$ 35 bilhões. Ele também admitiu que será necessário reajustar tributos. 

A queda das commodities também abala o mercado, com o petróleo em queda de mais de 1%, enquanto o minério de ferro cai forte, com Qingdao em baixa de 2,97%, a US$ 84,99 a tonelada, enquanto o contrato futuro negociado em Dalian registrando queda de 6,33%. Os papéis da Vale alternam entre perdas e ganhos nesta quarta. 

No exterior, os EUA abriram em movimento misto após registrarem a maior queda do ano na véspera, em meio às incerteza sobre as políticas econômicas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, às vésperas do seu primeiro grande teste no Congresso. 

Trump advertiu os parlamentares republicanos na terça-feira de que os eleitores poderiam puni-los se não aprovarem um projeto de lei para desfazer o Obamacare, em uma nova pressão na primeira grande disputa legislativa de sua Presidência.  "As preocupações de que os republicanos não têm votos suficientes para aprovar a legislação de saúde (estão) afetando as ações e direcionando as apostas no mercado já que isso provavelmente provocará atrasos na legislação tributária também", disse Stephane Ekolo, estrategista-chefe do Market Securities, de acordo com informações da Reuters. A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos deve votar o projeto na quinta-feira. Em meio a esse ambiente de aversão ao risco, ouro e iene sobem. 

Voltando ao Brasil, por outro lado, o IPCA-15 de março veio praticamente em linha com o esperado pelo mercado. . Na base anual, a taxa ficou em 4,73% ante estimativa de 4,72%. Esta é a primeira vez que o IPCA-15 fica abaixo de 5% desde setembro de 2010.

Destaques da Bolsa
As ações da Petrobras sobem com o resultado positivo divulgado ontem à noite ofuscando a queda do preço do petróleo. A Petrobras encerrou o quarto trimestre  com lucro líquido de R$ 2,510 bilhões. 

Segundo o analista Roberto Indech, da Rico Corretora, o resultado da estatal foi positivo, especialmente olhando para a geração de caixa operacional, que veio um pouco acima do esperado, e alavancagem, medida pelo indicador dívida líquida/Ebitda, que reduziu na comparação com o 3° trimestre de 2016 e 4° trimestre de 2015. "O resultado foi satisfatório", comentou (veja mais detalhes da análise clicando aqui). De acordo com o Santander, a desalavancagem da companhia continua a ser um destaque chave, com a dívida líquida/Ebitda ajustado caindo para 3,6 vezes no final de 2016 ante 5,3 vezes no quarto trimestre de  2015”, segundo relatório assinado por Christian Audi e Gustavo Allevato. A expectativa do Santander era de queda para 3,9 vezes. Os analistas citam sólidos resultados operacionais em upstream e downstream e queda no capex.  Já o BTG Pactual aponta que a área de exploração e produção foi destaque com preço maior; despesa menor com dívida ruim foi outro destaque. Confira mais análises clicando aqui.  

Os papéis do Pão de Açúcar também registram ganhos, após a companhia ter a sua cobertura reiniciada pelo JPMorgan com recomendação overweight (exposição acima da média do mercado). 

As ações da Kroton, por sua vez, registram um dia de queda, A companhia  registrou lucro líquido 19,3% maior no quarto trimestre de 2016 na comparação com igual período do ano anterior, atingindo R$ 487,5 milhões. O número representa uma visão pro forma. No acumulado do ano, o lucro é de R$ 2,008 bilhões, aumento de 12,5% na comparação com 2015. Já a Cemig é destaque de queda após o STF revogar liminar que permitia à companhia estatal manter a hidrelétrica Jaguara. 

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CMIG4 CEMIG PN 9,14 -8,96 +18,55 82,44M
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 27,96 -3,92 +9,26 33,95M
 JBSS3 JBS ON 10,36 -3,72 -9,12 26,65M
 CSNA3 SID NACIONALON 9,60 -3,71 -11,52 24,34M
 CYRE3 CYRELA REALTON 12,64 -3,51 +23,08 5,34M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 PCAR4 P.ACUCAR-CBDPN 59,45 +2,82 +8,58 43,34M
 PETR3 PETROBRAS ON 14,04 +2,48 -17,12 48,81M
 PETR4 PETROBRAS PN 13,21 +1,62 -11,16 373,74M
 SBSP3 SABESP ON 30,68 +1,59 +6,56 11,20M
 VALE3 VALE ON 29,31 +0,93 +14,14 53,13M
* - Lote de mil a??es
1 - Em reais (K - Mil | M - Milh?o | B - Bilh?o)




 

Contato