Em mercados / acoes-e-indices

3 empresas anunciam dividendos e uma cancela proventos; 4 resultados e mais notícias no radar

Confira os principais destaques do noticiário corporativo da noite desta terça-feira (21)

Moedas com tabela de valorização ao fundo
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O noticiário da noite desta terça-feira (21) ganha destaque os diversos anúncios envolvendo pagamento de dividendos aos acionistas, além da temporada de resultados, com os balanços de SulAmérica, OdontoPrev e Iguatemi. Para fechar, a Lojas Renner deu início à negociação de seus ADRs. Confira os destaques:

 Lojas Renner (LREN3)
A Lojas Renner informou que seu programa de ADR (American Depositary Receipts) Nível 1 foi aprovado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e declarado efetivo pela SEC (Securities and Exchange Commission). Com isso, o programa de ADS (American Depositary Shares) fica disponível a partir de 21 de fevereiro.

Segundo a companhia, o programa visa "aumentar a visibilidade da empresa no mercado de capitais, promovendo a liquidez das ações, ampliando a base de acionistas e facilitando o acesso ao papel por parte dos investidores estrangeiros".

Telefônica Brasil (VIVT4)
A operadora de telecomunicações Telefônica Brasil, dona da marca Vivo, teve lucro líquido de R$ 1,21 bilhão no quarto trimestre, alta de 9% ante mesma etapa de 2015. O resultado da companhia medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 3,62 bilhões no trimestre, alta de 5,6% na comparação com um ano antes.

A companhia também anunciou que prevê investir um total de R$ 24 bilhões entre 2017 e 2019 e que pretende pagar R$ 4,1 bilhões em remuneração a acionistas neste ano.

OdontoPrev (ODPV3)
A OdontoPrev reportou lucro líquido de R$ 216 milhões em 2106, o que representa uma queda de 2,2% sobre o ano anterior. A receita líquida, por sua vez, subiu 9,2%, para R$ 1,3 bilhão, no mesmo período. Apenas no quarto trimestre, o lucro líquido da companhia foi de R$ 59 milhões, queda de 1,6%, enquanto a receita líquida subiu 7,3%, para R$ 352 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ajustado teve queda de 8,3% para R$ 327 milhões no ano passado. Ao passo que a margem Ebitda também teve forte redução, de 4,2 pontos percentuais, para 22% no ano passado.

SulAmérica (SULA11)
A seguradora SulAmérica registrou lucro líquido de R$ 315,7 milhões no quarto trimestre de 2016, o que representa uma alta de 5,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, porém, o lucro recuou 5,3%, para R$ 698,4 milhões.

O total de receitas operacionais foi de R$ 4,31 bilhões nos três últimos meses do ano passado, umas alta de 6,8%. Segundo a companhia, as receitas foram impulsionadas pelo desempenho dos segmentos de saúde e odontológico, previdência e capitalização.

Iguatemi (IGTA3)
A Iguatemi viu seu lucro líquido subir 18% no quarto trimestre, para R$ 49,7 milhões, enquanto a receita líquida avançou 6,9%, fechando os três último meses do ano em R$ 183,7 milhões. No acumulado do ano passado, porém, o lucro líquido atingiu R$ 164 milhões, queda de 15,2% ante 2015. A receita líquida, por sua vez, ficou em R$ 668,1 milhões, alta de 5%.

Hering (HGTX3)
O conselho de administração da Hering propôs o pagamento de dividendo adicional de R$ 74,99 milhões aos acionistas, valor que corresponde a R$ 0,4661 por ação. A proposta será votada pelos acionistas em assembleia no dia 26 de abril.

O conselho aprovou a proposta da administração de destinação dos lucros de 2016, no montante de R$ 199,5 milhões, da seguinte forma: R$ 9,97 milhões vão constituir reserva legal; R$ 130,2 milhões vão para reserva de subvenção de incentivos fiscais e o restante como pagamento de dividendos.

Por fim, também foi proposto um aumento do capital social de R$ 1,27 milhão, para R$ 360,69 milhões, sem emissão de novas ações. Esse aumento será feito por meio da capitalização da reserva de incentivos fiscais de reinvestimento de Imposto de Renda, relativos aos anos de 2011 a 2013.

Marcopolo (POMO4)
A Marcopolo informou que, "considerando a atual conjuntura econômica e a instabilidade política do Brasil, e considerando que o valor dos juros sobre o capital próprio imputados ao dividendo obrigatório declarado antecipadamente por conta do exercício de 2016 [...] ultrapassa o limite mínimo", irá deliberar em 30 de março sobre o não pagamento de dividendos e pela suspensão do programa de juros sobre capital próprio referente ao exercício de 2016.

Weg (WEGE3)
O conselho de administração da WEG aprovou a distribuição de R$ 102,7 milhões em dividendos complementares, equivalente a R$ 0,064 por ação. O pagamento será feito em 15 de março, com base na posição acionária em 24 de fevereiro. Também em 15 de março, serão pagos os juros sobre o capital próprio declarados em setembro e dezembro do ano passado.

Itaúsa (ITSA4)
A Itaúsa informou que pagará no dia 3 de abril o dividendo do 4º trimestre de 2016, no valor de R$ 0,015 por ação, sem retenção de imposto de renda na fonte, com base na posição acionária do dia 24 de fevereiro.

 

Contato