Em mercados / acoes-e-indices

Desalavancagem da Vale, venda da Oi, 5 recomendações, Eike e outros 9 destaques no radar

As principais notícias corporativas desta segunda-feira (12)

Vale minério
(Facebook)

SÃO PAULO - Entre os destaques do noticiário corporativo estão a avaliação do Santander de que a Vale deve se desalavancar mais rápido que o esperado e a notícia de que o empresário egípcio Naguib Sawiris apresentará uma proposta pela compra da Oi ainda nesta semana. Além disso, o Banco do Brasil revelou o custo do seu programa de incentivo à aposentadoria e a Magazine Luiza anunciou mudanças no modelo de lojas a partir do ano que vem.

Veja os destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira:

Vale (VALE3; VALE5)
O banco Santander avalia que a Vale deve se desalavancar mais rápido que o antecipado anteriormente. Relatório de analistas do banco considera que há um ‘momentum’ sustentando o desempenho da ação. A instituição financeira elevou o preço-alvo do ADR da Vale no fim de 2017 de US$ 6 para US$ 9, ante fechamento de US$ 8,78 na sexta-feira (9). “Acreditamos que as ações da Vale incorporam no preço muito da recuperação das principais commodities metálicas, oferecendo um ganho limitado em relação aos níveis atuais”, diz o texto.

O banco alerta, no entanto, para preocupações sobre os fundamentos do minério de ferro, que poderiam pressionar os preços das commodities, levando a uma correção nos preços das ações no médio prazo. O Santander estima que o Ebitda da mineradora em 2017 deve ser de US$ 11,8 bilhões, 52% maior do que estimativa anterior, “dada a recente recuperação das principais commodities metálicas e seu efeito carryover”. Ainda segundo os analistas do banco, o preço médio da tonelada do minério de ferro 2017 em deve ficar em US$ 54, US$ 2 por tonelada a mais do que a estimativa anterior.

Oi (OIBR3; OIBR4)
O empresário egípcio Naguib Sawiris prometeu ao governo fazer uma proposta pela compra da Oi ainda nesta semana, segundo o jornal O GloboNa sexta-feira, a Bloomberg informou que o China Development Bank, agências de crédito à exportação e seguradoras estão em negociações com grupo de credores da operadora para apresentar um plano de reestruturação alternativo para a empresa até 16 de dezembro. Segundo a fonte, eles trabalhando com o investidor bilionário do Egito.

Além disso, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) deve aprovar também nesta semana que os representantes do fundo Societé Mondiale, do empresário Nelson Tanure, ocupem seus assentos no conselho de administração da companhia, segundo o jornal Valor Econômico. No entanto, uma fiscal da agência que vem acompanhando os encontros do colegiado deve seguir nesta função.

Banco do Brasil (BBAS3)
O programa de incentivo à aposentadoria do Banco do Brasil gerará despesas não recorrentes com pagamento de incentivos em 2016 de R$ 1,4 bilhões, segundo comunicado do banco à CVM. Adesão ao plano foi de 9.409 pessoas, informa a Bloomberg. O impacto financeiro com a redução de despesa de pessoal em 2017 deve ser de R$ 2,3 bilhões.

Magazine Luiza (MGLU3)
A empresa deve mudar o papel de suas lojas físicas em 2017 e transformar 790 delas em “minicentros de distribuição”, segundo o Valor Econômico. A ideia é que os clientes que fizeram compras pela internet possam retirar seus produtos nestes locais, uma medida que pretende reduzir custos com frete.

Na sexta-feira (9), o conselho de administração da Magazine Luiza aprovou a captação de recursos no valor de R$ 250 milhões com o banco Santander por meio de emissão de títulos de dívida. O financiamento, com prazo de dois anos, tem o objetivo de alongar a dívida de curto prazo da companhia e não terá variação cambial.

Petrobras (PETR3; PETR4)
O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou, sem restrições, a venda de fatia da Petrobras em campo à Total, segundo informou o órgão antitruste brasileiro em seu site.

O acordo envolve a transferência da participação de 50% no campo de Xerelete Sul à Total, que passará a deter 100% da concessão. Em outra decisão, o Cade considerou a compra da Alesat pela Ipiranga como ‘complexa’, pedindo mais informações para avaliar a transação.

Marfrig (MRFG3)
O CFO da companhia, Eduardo Miron, afirmou em entrevista que pode considerar IPO da Keystone ou joint-venture para destravar o valor do empreendimento. Ele acredita que a companhia não está totalmente precificada nas ações.

OSX (OSXB3)
Os advogados de defesa de Eike Batista afirmam que o empresário tem chances de ser absolvido pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em dois processos em que acusado de insder trading, por ter negociado papéis da OSX com informações privilegiadas. Nesta terça-feira (12), haverá audiência de um processo na Justiça Federal do Rio de Janeiro e, na sexta-feira (16), é a vez do colegiado da CVM julgar o caso. 

Gol (GOLL4)
O conselho de administração da companhia aérea aprovou a eleição de André Béla Jánszky e Francis James Leahy Meaney como novos membros do CAE (Comitê de Auditoria Estatutário).

Usiminas (USIM5)
O banco Santander elevou a recomendação da Usiminas de manutenção para compra.

Gerdau (GGBR4)
O Santander rebaixou a recomendação da Gerdau de compra para manutenção.

MRV (MRVE3)
O Itaú BBA elevou a recomendação da MRV de market perform (em linha com o mercado) para outperform (acima da média do mercado).

Equatorial (EQTL3)
O banco UBS elevou a recomendação da Equatorial de neutra para compra. 

Braskem (BRKM5)
O UBS também também elevou de neutra para compra a recomendação da Braskem. 

Itaú Unibanco (ITUB4)
O conselho de administração do Itaú Unibanco aprovou juros sobre o capital próprio no valor bruto de R$ 0,47140 por ação. O pagamento será feito dia 30 de dezembro, com base na posição acionária do dia 22 de dezembro. Além disso, o conselho do banco anunciou a eleição de André Sapoznik e Caio Ibrahim David como diretores vice-presidentes da instituição. Com isso, o banco aumentou de 22 para 24 o número de diretores.

CCR (CCRO3)
A operadora de concessões de infraestrutura CCR informou nesta sexta-feira que acertou com o governo do Rio de Janeiro uma extensão da concessão da Ligação Viária Rio Bonito-Araruama, operada pela sua subsidiária CCR ViaLagos. Segundo a companhia, o acerto visa a reequilibrar a equação econômico-financeira do contrato, após o governo cobrar investimentos não previstos originalmente. "A recomposição foi realizada mediante extensão por 10 anos do prazo da concessão e revisão tarifária a partir de 1 de agosto deste ano, em observância ao princípio da modicidade tarifária", afirmou a CCR em fato relevante.

Suzano (SUZB5)
A Moody's elevou o rating da Suzano de Ba2 para Ba1 em escala global, assim como a perspectiva, que passou de negativa para estável. Segundo a agência de classificação de risco, a alteração reflete melhores métricas de crédito da companhia nos últimos dois anos, enquanto manteve uma sólida posição de liquidez, assim como continuou a implementar iniciativas para reduzir os custos e assegurar o acesso competitivo ao mercado do seu principal insumo.

Banrisul (BRSR6)
O Banrisul informou que iniciará o pagamento de juros trimestrais sobre o capital próprio referente ao 4º trimestre de 2016. O montante bruto é de R$ 17 milhões. Terão direito aos proventos todos os acionistas detentores de ações no dia 14 de dezembro.

 

Contato