Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa reduz alta com Petrobras tentando resistir à queda de 5% do petróleo

Mercado avança em dia de forte volatilidade antes da divulgação da meta fiscal para 2017 pelo governo interino

Michel Temer
(Lula Marques/ Agência PT)

SÃO PAULO - O Ibovespa registra ganhos, mas ameniza o movimento nesta quinta-feira (7), ganhando força das sinalizações mais "dovish" (moderadas, no sentido de cortar juros) das atas do Banco Central Europeu e do Fomc (Federal Open Market Committee). Apesar disso, as tensões continuam na esteira das incertezas geradas pelo "Brexit", principalmente depois que uma série de fundos imobiliários britânicos foram fechados para resgate em meio a riscos de uma corrida para retirar dinheiro desse tipo de investimento. O cenário externo também pesa com o aumento da inadimplência em bancos chineses.

Por aqui, os investidores aguardam pela divulgação da meta fiscal de 2017, que deve ser entregue pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles ao presidente interino Michel Temer às 12h (horário de Brasília) e anunciada por esse último às 18h. Segundo o senador Wellington Fagundes (PR-MT), relator da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) 2017, não foi cogitado um déficit maior do que R$ 170 bilhões ou menor do que R$ 150 bilhões.   

Às 14h41 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa brasileira tinha leve alta de 0,56%, a 52.194 pontos.

De acordo com o trader da Daycoval Investimentos, Renan Alpiste, a alta da Bolsa é impulsionada pelo movimento mais positivo das bolsas europeias e norte-americanas, que se deve às duas atas de política monetária divulgadas nas últimas 24 horas. "Foi mais um reflexo da ata do Fomc, que teve tom dovish, e deu força para um não aumento das taxas de juros até o fim deste ano", disse. 

Já o dólar comercial vira para alta de 0,15% a R$ 3,3419 na venda, enquanto o dólar futuro para agosto acelera ganhos para 0,37% a R$ 3,368. O câmbio chegou a ameaçar uma queda depois do Banco Central colocar todos os 10.000 contratos de swap reversos ofertados em leilão das 9h30 às 9h40, mas depois voltou a registrar um movimento positivo. 

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2018 vira para queda de 1 ponto-base a 12,77%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 registra perdas de 6 pontos-base a 12,24%. 

Cunha renuncia
Eduardo Cunha (PMDB-RJ) anunciou hoje à tarde a sua renúncia da presidência da Câmara dos Deputados; ele estava afastado do cargo desde 5 de maio.

No pronunciamento, ele leu a carta de renúncia que enviou ao primeiro-vice-presidente da Casa. "É público e notória que a Casa está acéfala, fruto de uma interinidade bizarra. Somente a minha renúncia poderá por fim a essa instabilidade", afirma.

Agenda política
A agenda político-econômica é bastante agitada nesta quinta-feira. O presidente interino da República, Michel Temer, deverá anunciar na tarde de hoje a meta fiscal (economia que o governo promete fazer para pagar a dívida pública) da União para 2017, que lhe foi entregue, por volta do meio-dia, pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, no Palácio do Planalto. A estimativa é de um déficit entre R$ 150 e R$ 170 bilhões. Além disso, a votaçãodo projeto de Lei que altera as regras do exploração do pré-sal foi adiada para hoje pela manhã.

Vale ressaltar que, ontem à noite, por uma diferença de apenas quatro votos, fracassou a tentativa do governo interino do presidente Michel Temer de aprovar a urgência para o projeto de lei (PLP 257) que trata da renegociação das dívidas dos estado e do Distrito Federal. A urgência precisava de 257 votos para ser aprovada, mas obteve 253. Cabe lembrar também que hoje a Polícia Federal deflagrou a Operação Caça-Fantasmas, a 32ª fase da Lava Jato, que investiga uma instituição financeira panamenha que atuava no Brasil ilegalmente, sem autorização do Banco Central, e comercializava empresas offshore. Cerca de 60 policiais cumprem 17 ordens judiciais – sete conduções coercitivas e dez mandados de busca e apreensão – nas cidades de Santos, São Paulo e São Bernardo do Campo.

Ata do BCE
Na ata da sua última decisão de política monetária, o BCE (Banco Central Europeu) disse que a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia seria uma grande fonte de incerteza do ponto de vista econômico e poderia ter reflexos significativos, embora difíceis de antecipar, sobre a zona do euro. 

O BCE também reiterou que as pressões inflacionárias continuam fracas na zona do euro e que a inflação subjacente ainda precisa dar "sinais claros" de tendência de alta. Dados preliminares de junho mostram que a inflação anual do bloco está em apenas 0,1%, muito abaixo da meta oficial do BCE, que é de taxa ligeiramente inferior a 2%.

Pré-sal: fim da obrigatoriedade de exploração
A Comissão Especial da Petrobras e Exploração do Pré-Sal aprovou há pouco o texto-base do Projeto de Lei 4567/16, que retira a obrigatoriedade de atuação da Petrobras como operadora única dos blocos contratados pelo regime de partilha de produção em áreas dopré-sal.

A comissão acompanhou o relatório do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), pela aprovação do projeto original, que é do Senado. Foram 22 votos favoráveis ao parecer e 5 contra. Ainda há cinco destaques supressivos para serem analisados, que pedem a exclusão de trechos do projeto.

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 12,00, +2,65%; PETR4, R$ 9,59, +0,95%) sobem depois de terem a recomendação elevada pelo Morgan Stanley para overweight (exposição acima da média do mercado). O preço-alvo é de US$ 9,50 por ADR (American Depositary Receipt). Apesar disso, elas sofrem com a virada do petróleo para queda com o brent registrando perdas de 4,88%, a US$ 46,42 o barril.

O petróleo passou a cair após a EIA (Energy Administration Information) divulgar a queda de 2,22 milhões nos barris dentro dos estoques em Cushing, Ocklahoma (EUA), na semana passada. O número decepcionou apesar de ser melhor do que o esperado (queda de 2,1 milhões), porque ontem a API (American Petroleum Institute) mostrou uma queda de 6,7 milhões nos estoques. Não só, o dado de produção de gasolina também assustou os investidores, avançando em 10 milhões de barris diários em relação aos números da semana anterior. 

A estatal também ganha força depois da aprovação do texto-base do Projeto de Lei 4567/16, que retira a obrigatoriedade de atuação da Petrobras como operadora única dos blocos contratados pelo regime de partilha de produção em áreas do pré-sal.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 RUMO3 RUMO LOG ON 5,49 +3,39
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 24,50 +3,38
 CIEL3 CIELO ON 34,80 +3,26
 VIVT4 TELEF BRASILPN EJ 45,40 +3,11
 SMLE3 SMILES ON 47,83 +3,04

 

Dentro do setor mais pesado no Ibovespa, o financeiro, bancos grandes viram para alta. Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 31,23 +1,43%), Bradesco (BBDC3, R$ 27,14, +1,08%; BBDC4, R$ 25,91, +0,82%) sobem, enquanto Banco do Brasil (BBAS3, R$ 16,93, -0,18%) segue em queda. Juntas, as quatro ações respondem por pouco mais de 20% da participação na carteira teórica do nosso benchmark.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 SUZB5 SUZANO PAPELPNA 11,32 -3,74
 MRVE3 MRV ON 11,06 -2,90
 LAME4 LOJAS AMERICPN EJ 16,87 -2,37
 BRAP4 BRADESPAR PN 9,16 -2,35
 VALE5 VALE PNA 12,90 -2,20

Já a Vale (VALE3, R$ 15,98, -1,90%; VALE5, R$ 12,91, -2,12%) vira para queda, indo na mesma direção do minério de ferro. A commodity spot com 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao teve baixa de 1,5% a US$ 55,07 a tonelada seca.

ADP
O setor privado dos EUA criou 172 mil empregos em junho contra 159 mil esperados pela mediana das projeções dos economistas, de acordo com a pesquisa ADP Research Institute.

Cenário externo
O dia é de leve alívio para as bolsas mundiais, com uma "pausa" na tensão que derrubou os ativos nos últimos dias. As bolsas europeias subiram, embora os EUA operem entre perdas e ganhos. A Europa seguiu a recuperação da véspera dos EUA com a ata do Fomc "pré-Brexit" dovish, uma vez que mostrou que estava em compasso de espera de mais dados econômicos para definir a alta dos juros pela autoridade monetária. Por outro lado, o ouro segue em alta pelo 7º dia seguido, mostrando que prossegue a busca por ativos mais seguros diante das incertezas geradas pelo Brexit. Na Ásia, o dia foi de menores ganhos seguindo as preocupações com o Brexit. Além disso, notícia de uma alta da inadimplência nos bancos chineses também agitou os investidores.

Assista ao InfoMoney na Bolsa desta quinta-feira: 

 

Contato