Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras tem pior prejuízo da história; Eletrobras e mais 8 notícias no radar

Confira os principais destaques da manhã desta terça-feira (22)

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - A manhã desta terça-feira (22) começa bastante agitada após a Petrobras divulgar seu balanço do quarto trimestre, com um prejuízo de R$ 36,9 bilhões, ficando bem abaixo da expectativa dos analistas. Além dela, notícias da OPA da Arteris, programa de ADRs da Raia Drogasil e rating do Pão de Açúcar também agitam o dia.

Confira os principais destaques da manhã desta terça-feira:

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras reportou na noite desta segunda-feira (21) prejuízo líquido de R$ 36,938 bilhões, contra média das expectativas coletadas pela Bloomberg de R$ 3,5 bilhões e prejuízo de R$ 26,6 bilhões no mesmo trimestre de 2014. Em 2015, a estatal registrou um prejuízo de R$ 34,836 bilhões, contra perdas de R$ 21,587 bilhões no ano anterior.

A companhia informou que a última linha do balanço foi afetada por um impairment de ativos de R$ 47,676 bilhões. A baixa contábil é decorrente em sua maioria da queda dos preços do petróleo e incremento nas taxas de desconto, reflexo do aumento do risco Brasil pela perda do grau de investimento. 

Do total do impairment de ativos, R$ 38,292 bilhões correspondem à área de exploração e produção; R$ 6,399 bilhões à área de abastecimento; R$ 2,507 bilhões à área de gás e energia; e R$ 478 milhões de outros ativos. Há mais R$ 2,072 bilhões de impairment de investimentos.  

O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ficou em R$ 17,064 bilhões, ante R$ 20,057 bilhões no 4° trimestre de 2014. A média das projeções compiladas pela Bloomberg apontava Ebitda de R$ 20,6 bilhões no período. No ano, o Ebitda ficou em R$ 73,859 bilhões, contra R$ 59,140 bilhões em 2014. 

A receita de vendas atingiu R$ 85,103 bilhões no trimestre, praticamente estável em comparação com o 4° trimestre de 2014, de R$ 85,04 bilhões. O resultado foi pressionado pela forte queda no preço do barril do petróleo vista no período. O número foi praticamente compensado, contudo, pelo reajuste nos preços de combustíveis anunciado no fim de setembro. 

Em 2015, a receita totalizou R$ 321,638 bilhões, ante R$ 337,26 bilhões no ano anterior. A estatal registrou fluxo de caixa livre positivo de R$ 15,626 bilhões em 2015, o melhor desde 2007. Em 2014, o fluxo de caixa livre foi negativo em R$ 19,554 bilhões.

Eletrobras (ELET3; ELET6)
Uma decisão do governo deverá garantir às distribuidoras controladas pelo grupo Eletrobras a oferta de até R$ 1,1 bilhão em novos empréstimos com juros subsidiados, segundo informações do Valor Econômico. O custo financeiro das operações de crédito será repassado aos consumidores de todo o país dentro do conjunto de despesas do orçamento de 2016 da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

A estratégia permite à Eletrobras pegar esse dinheiro barato dentro do conjunto de ações para sanear seus ativos de distribuição, que depois serão colocados à venda.

PetroRio (PRIO3)
A PetroRio, antiga HRT, convocou para 29 de abril uma assembleia para tratar de um grupamento de ações na proporção de 25 para 1.

Arteris (ARTR3)
A empresa de concessão de rodovias Arteris informou que sua controladora Partícipes en Brasil dará continuidade normalmente à oferta pública de aquisição de ações (OPA) para cancelar o registro de companhia aberta da empresa, depois da revisão do laudo de avaliação das ações.

O laudo foi elaborado pelo Banco BNP Paribas Brasil. A OPA prosseguirá de acordo com os termos e condições já divulgados ao mercado, acrescentou a Arteris. O novo valor para as ações ficou entre R$ 8,86 e R$ 9,58.

Raia Drogasil (RADL3)
A Raia Drogasil comunicou ao mercado que o programa de ADRs (American Depositary Receipts) foi aprovado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e declarado efetivo pela SEC (Securities and Exchange Commission), de modo que o programa de ADSs (American Depositary Shares) estará disponível a partir de 21 de março de 2016, de acordo com as seguintes características:

A instituição depositária será o Bank of New York Mellon, enquanto o banco custodiante é o Itaú Unibanco. SEgundo a companhia, casa ADR corresponde a uma ação ordinária da companhia. O ticker do ADR será RADLY.

Locamerica (LCAM3)
A Locamerica viu sua receita líquida aumentar 0,4% no quarto trimestre, atingindo R$ 178,9 milhões. Na mesma base de comparação, o lucro líquido caiu 68,5%, para R$ 2,4 milhões. No acumulado de 2015, a Locamerica teve receita líquida de R$ 708,2 milhões, aumento de 12,6% ante 2014, mas o lucro de R$ 18,6 milhões caiu 25,1%.

Tegma (TGMA3)
A Tegma viu sua receita líquida cair 28% no quarto trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, atingindo R$ 287 milhões. Enquanto isso, o prejuízo líquido da companhia ficou em R$ 4 milhões, revertendo o lucro de R$ 13 milhões dos três últimos meses de 2014.

No acumulado de 2015, a companhia registrou uma receita de R$ 1,12 bilhão, o que representa uma queda de 22% sobe o lucro de R$ 1,44 bilhão do ano anterior. Por outro lado, a companhia conseguiu apagar o prejuízo de R$ 23 milhões de 2014 para um lucro de R$ 10 milhões no ano passado.

Unipar Carbocloro (UNIP6)
A Unipar Carbocloro informou que seu Conselho de Administração aprovou, em reunião realizada hoje, a convocação de assembleia especial de acionistas titulares de ações em circulação, a se realizar em 12 de abril de 2016, às 10h30, na sede da Companhia, para deliberar sobre a realização de nova avaliação, para determinação do valor justo das ações da Companhia, para fins da oferta pública de aquisição de ações, com o objetivo de cancelar o registro de companhia aberta da Companhia.

Pão de Açúcar (PCAR4)
A agência de classificação de risco Standard & Poor's reafirmou hoje o rating do Pão de Açúcar em brAA+, e retirou a perspectiva negativa sobre a companhia. Segundo nota, a reafirmação do rating segue-se ao rebaixamento do rating de seu grupo controlador Casino em apenas um degrau e reflete a opinião de que o Pão de Açúcar manterá sua posição de liderança no mercado varejista brasileiro.

"O ambiente macroeconômico tem se deteriorado materialmente com contração do PIB, aumento nas taxas de desemprego, de inflação e de juros, além de uma maior restrição de crédito aos consumidores. Esses fatores têm impactado negativamente as taxas de crescimento e de rentabilidade da CBD. Porém, a empresa tem tomado iniciativas importantes de controle de custos e de gerenciamento de capital de giro que resultaram em uma forte geração de caixa operacional em 2015", disse a S&P.

EzTec (EZTC3)
A EzTec anunciou o lançamento do empreendimento Le Premier Moema, na Zona Sul de São Paulo. O projeto contará com 1 torre residencial, totalizando 38 unidades de alto padrão, com áreas de 172 m², para um VGV total de R$ 103,7 milhões.

Especiais InfoMoney:

As novidades na Carteira InfoMoney para março

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato