Em mercados / acoes-e-indices

JBS reabrirá 4 unidades na Argentina, 7 balanços e bancos "desistindo" do IRB são destaques

Destaque ainda para o Bradesco BBI, que elevou a recomendação da Direcional e PDG, enquanto reduziu a recomendação para EzTec e Even; Petrobras, BTG e Oi também estão no radar

JBS_Bloomberg

SÃO PAULO - Enquanto o noticiário econômico é movimentado, com a expectativa pelo contingenciamento de R$ 24 bilhões pelo governo e a repercussão à fala do presidente do Banco Central Alexandre Tombini, a sexta-feira é movimentada, com destaque para resultados. Destaque ainda para a notícia de que o BB Seguridade (BBSE3),  o Itaú Unibanco  (ITUB4) e o Bradesco (BBDC4desistiram de oferta de ações do IRB. Veja abaixo mais notícias que agitam o noticiário corporativo: 

BM&FBovespa
A BM&FBovespa (BVMF3) acabou encerrando o quarto trimestre de 2015 com um prejuízo líquido de R$ 407,5 milhões por conta de um ajuste contábil sem efeito caixa de quase R$ 2 bilhões. No período, a companhia fez um ajuste contábil de valor recuperável de ativos de R$ 1,7 bilhão (R$ 1,1 bilhão, líquido de imposto) referente a ágio fundamentado em expectativa de rentabilidade futura gerado na aquisição da Bovespa Holding em 2008. Em termos recorrentes, a companhia teve lucro de R$ 534,1 milhões nos últimos três meses do ano passado, contra R$ 373,2 milhões no mesmo período de 2014. No acumulado do ano, o resultado ajustado atingiu R$ 1,819 bilhão, uma alta de 23% sobre o ano anterior.

No quarto trimestre, a receita líquida da BM&FBovespa teve alta de 1,8% sobre um ano antes, atingindo R$ 543,2 milhões, enquanto o resultado financeiro teve um salto de 436,2%, passando de R$ 54,1 milhões para R$ 289,8 milhões. No acumulado do ano, a receita atingiu R$ 2,216 bilhões, com ganhos de 9,2% em um ano, enquanto o resultado financeiro foi a R$ 508,8 milhões, uma alta de 144,4%.

Segundo o Diretor Executivo Financeiro e de Relações com Investidores, Daniel Sonder, "o crescimento observado tanto na receita total como no lucro líquido em 2015 destaca a base diversificada de receitas com uma equilibrada exposição a produtos nos mercados de ações, taxas de juros e câmbio". Segundo o BTG Pactual, os resultados foram positivos e a sinalização é de bons números, apesar do cenário difícil à frente.

Raia Drogasil
A Raia Drogasil (RADL3) informou nesta quinta-feira que teve lucro líquido de 78,3 milhões de reais no quarto trimestre, alta de 25,5 por cento sobre o mesmo período um ano antes. O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado entre outubro e dezembro de 2015 foi de 188,1 milhões de reais, ante 159,7 milhões de reais no quarto trimestre de 2014. Segundo o BTG Pactual, o ano de 2015 da companhia foi para ser lembrado. Os resultados foram um pouco acima do esperado pelo Votorantim, reforçando a avaliação da corretora como um ativo premium - e a companhia está bem posicionada em um mercado eficiente. 

Cosan
A empresa de energia e infraestrutura Cosan (CSAN3) informou lucro líquido de 674,2 milhões de reais no quarto trimestre, frente a prejuízo de 83,5 milhões de reais no mesmo período de 2014.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 1,85 bilhão de reais, aumento de 80 por cento na comparação anual.

Suzano
A Suzano Papel e Celulose (SUZB5) teve lucro líquido de 341 milhões de reais no quarto trimestre, revertendo resultado negativo de 197 milhões de reais no mesmo período do ano anterior. A companhia teve Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de 1,226 bilhão de reais, avanço de 48,4 por cento na comparação anual. No ano, as perdas mais do que triplicaram, passando para R$ 925,3 milhões. A receita líquida de vendas no ano passado chegou a R$ 10,22 bilhões, alta de 40,7% em relação a um ano antes.

Linx
A Linx (LINX3) divulgou resultado, registrando um lucro líquido de R$ 15,7 milhões no quarto trimestre de 2015, alta de 1,8% sobre o quarto trimestre de 2014. O Ebitda foi de R$ 32,2 milhões, ante estimado em R$ 32 milhões. A margem Ebitda do quarto trimestre foi de 26,5%. 

Banco Pine
O lucro líquido do banco Pine (PINE4) dobrou no quarto trimestre de 2015 na comparação anual, para R$ 10 milhões. O ROAE anualizado foi de 3,6% ante 1,7% no mesmo período de 2014, disse o Banco Pine em comunicado ao mercado. O carteira de crédito R$ 6,93 bilhões contra R$ 9,83 bilhões de quarto trimestre. O patrimônio líquido caiu para R$ 1,16 bilhão, ante R$ 1,26 bilhão. O Índice de Basileia foi de 15,0% ante 13,9% do mesmo período do ano passado. 

O lucro líquido do banco Pine (PINE4) dobrou no quarto trimestre de 2015 na comparação anual, para R$ 10 milhões. O ROAE anualizado foi de 3,6% ante 1,7% no mesmo período de 2014, disse o Banco Pine em comunicado ao mercado. O carteira de crédito R$ 6,93 bilhões contra R$ 9,83 bilhões de quarto trimestre. O patrimônio líquido caiu para R$ 1,16 bilhão, ante R$ 1,26 bilhão. O Índice de Basileia foi de 15,0% ante 13,9% do mesmo período do ano passado. 

Itaúsa
A Itaúsa (ITSA4) registrou um lucro líquido de R$ 8,87 bilhões em 2015. O Conselho de Administração da companhia ainda aprovou dividendos complementares de R$ 0,0755 por ação e juros sobre capital próprio adicionais de R$ 0,090355, a serem pagos em 29/fevereiro, segundo comunicado ao mercado. A Itaúsa vai propor ainda aumento de capital com bonificação 10% em ações, a ser discutida em reunião marcada para 29 de abril.

JBS
Segundo o Valor, a JBS (JBSS3) planeja reabrir quatro frigoríficos na Argentina, após o fim da tarifa cobrada pelo país nas exportações de carne bovina. Maior frigorífico instalado no país, a empresa brasileira já havia investido US$ 50 milhões nos últimos dois anos para elevar a capacidade de abate na Argentina e também prevê atingir já em 2016 a plena capacidade do abatedouro ampliado. 

BTG
O banco suíço EFG International disse nesta sexta-feira que está em negociações exclusivas com o grupo BTG Pactual (BBTG11) sobre a compra do banco privado suíço BSI. "A EFG International tomou conhecimento de uma reportagem online segundo a qual a EFG está em discussões exclusivas com o BTG Pactual sobre uma potencial aquisição do BSI e uma decisão é iminente", disse a EFG em comunicado.

"Em conformidade com a regulação suíça, a EFG confirma que está em discussões exclusivas com o BTG Pactual sobre uma potencial aquisição do BSI", afirmou a EFG. "Uma decisão ainda não foi tomada". Duas fontes com conhecimento do assunto disseram à Reuters que o BTG Pactual está em negociações para combinar sua unidade suíça BSI com a EFG International, numa transação que pode ser anunciada na próxima semana. O BTG afirmou em comunicado não saber se as perdas poderão chegar a acordo. 

Construtoras
Bradesco BBI elevou a recomendação da Direcional (DIRR3) para outperform e PDG (PDGR3) para neutra; enquanto reduziu a recomendação para EzTec (EZTC3) para neutra e a Even (EVEN3) para underperform, refletindo os persistentes desafios. MRV (MRVE3) e Direcional (DIRR3) são as top picks do banco no setor de construção.

Comgás
A Comgás (CGAS5) informou projetar capex de R$ 470 milhões a R$ 520 milhões em 2016. A companhia estima Ebitda de R$ 1,4 bilhão a R$ 1,6 bilhão no ano.

Oi
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) adiou nesta quinta-feira, devido a pedido de vista do conselheiro Igor de Freitas, o julgamento do acordo para a Oi (OIBR4) trocar multas que totalizam cerca de 1,2 bilhão de reais por investimentos na melhoria dos serviços. Em janeiro, a Anatel publicou acórdão com os critérios a serem adotados para determinar os projetos estratégicos que podem ser usados na assinatura de Termos de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC), como o da Oi, que permitem às operadoras trocar multas da agência por investimentos em projetos de interesse público no setor de telecomunicações.

Depois de passar pela Anatel, o eventual acordo precisa ainda do aval do Tribunal de Contas da União (TCU). A Anatel também adiou, por conta de pedido de vista, a análise de proposta do conselheiro Igor de Freitas para mudanças nos contratos de concessão da telefonia fixa e de metas para a universalização desses serviços. A proposta do conselheiro, que ainda pode ser alterada dentro do conselho da Anatel, prevê manter o regime de concessão apenas nas regiões que hoje não possuem serviço de telefonia móvel e dispõem apenas de telefones públicos. Nas demais, o serviço de telefonia fixa seria prestado no regime de autorização.

Petrobras
O presidente da Bolíveia, Evo Morales, pode ajudar a Petrobras (PETR3;PETR4) a retomar as obras da unidade de fertilizantes que a estatal estava construindo em Três Lagoas (MS), e que já consumiu uns R$ 3 bilhões, informa a coluna de Ancelmo Gois para O Globo.  

Para atrair um parceiro privado capaz de realizar os investimentos necessários à conclusão da fábrica, a Petrobras negocia a entrada na sociedade da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos. Assim, garante que não vai faltar gás.

Ações de rating
A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) fez modificações na classificação de ratings de 20 empresas brasileiras de infraestrutura e projetos de transições financeiras. As ações vêm na esteira do rebaixamento do rating soberano do Brasil de BB+ para BB- (longo prazo em moeda estrangeira) e de BBB- para BB (longo prazo em moeda local), nesta quarta-feira. As empresas que tiveram os ratings em escala global rebaixados para BB e os ratings em escala nacional rebaixados para brAA- (com perspectiva negativa): Duke Energy International, Geração Paranapanema S.A.; Itaipu Binacional. A agência afirmou o rating BB em escala global da Invepar e rebaixou a perspectiva da empresa de estável para negativa. O rating em escala nacional da companhia também foi rebaixado e de sua principal subsidiária Concessionária Auto Raposo Tavares de brAA- para brA+. A perspectiva para esses ratings é negativa. As empresas que tiveram os ratings em escala nacional rebaixados para brAA- (com perspectiva negativa) foram: EcoRodovias, Santos Brasil Participações S.A e Arteris S.A. As empresas que tiveram os ratings em escala nacional rebaixados para brAA-, mantidos em observação com implicações negativas foram CCR e Arteris. 

Tecnisa
A Tecnisa (TCSA3) aprovou a recompra de até 6,48 milhões de ações ordinárias em 18 meses.

BrasilAgro
A Brasilagro (AGRO3) informou que o JPMorgan Whitefriars zerou a posição em ações na companhia.

(Com Reuters e Agência Estado)  

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato