Em mercados / acoes-e-indices

Petróleo dispara 7% e leva Ibovespa para máxima do dia após fala do Irã; dólar cai

Mercado opera em alta refletindo o cenário externo enquanto o noticiário doméstico fica dominado por eleição do PMDB

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa acelera fortemente os ganhos nesta quarta-feira (17) graças a declaração do ministro do Petróleo do Irã, que disse que vai apoiar ações que permitam uma recuperação dos preços da commodity. Após as declarações, o barril do WTI (West Texas Intermediate) passou a disparar nada menos do que 6,5%, puxando praticamente todas as bolsas mundiais para suas máximas intradiárias. O mercado também espera pela ata do Fomc (Federal Open Market Committee) na qual o Federal Reserve explicará por que não elevou os juros na última reunião. Já no cenário doméstico, deputados do PMDB escolhem o novo líder do partido. 

Às 15h30, o benchmark da Bolsa brasileira subia 3,36%, a 42.322 pontos. Já o dólar comercial cai 2,12% a R$ 3,9843 na venda, enquanto o dólar futuro para março tem queda de 2,42% a R$ 3,991. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 cai 1 pontos-base a 14,23%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 recua 24 pontos-base a 15,74%. 

Ainda no noticiário político, a presidente Dilma Rousseff deve enviar PEC da Previdência em 60 dias. O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, deve falar sobre propostas de reforma da Previdência. 

Petróleo
O ministro do Petróleo iraniano, Bijan Zanganeh, disse que seu país apoia os esforços dos demais países para estabilizar a cotação da commodity. Nesta semana, os quatro países concordaram com um plano de limitar a produção de petróleo aos níveis de janeiro. No entanto, o Irã não se comprometeu, ainda a limitar sua produção de petróleo para ajudar a conter a queda do preço do barril.

Ações em destaque
Apesar da queda do minério de ferro, as ações da Vale (VALE3, R$ 12,51, +10,81%; VALE5, R$ 8,95, +8,35%) dão continuidade aos ganhos dois últimos dois pregões, seguindo o otimismo das demais mineradoras no exterior. Acompanham o movimento os papéis da Bradespar (BRAP4, R$ 4,22, +5,76%) - holding que detém participação na Vale - e as siderúrgicas Usiminas (USIM5, R$ 1,01, +7,45%), CSN (CSNA3, R$ 4,82, +8,80%), Gerdau (GGBR4, R$ 4,46, +8,78%) e Gerdau Metalúrgica (GOAU4, R$ 1,53, +9,29%).

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 VALE3 VALE ON 12,51 +10,81
 PETR3 PETROBRAS ON 6,93 +10,17
 GOAU4 GERDAU MET PN 1,53 +9,29
 CMIG4 CEMIG PN 6,59 +8,93
 CSNA3 SID NACIONALON 4,82 +8,80

 

 

Também subiam os papéis da Petrobras (PETR3, R$ 6,93, +10,17%; PETR4, R$ 4,78, +7,66%). No noticiário de hoje fica o destaque para a notícia de que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o Banco do Brasil e a Caixa podem trocar a dívida da petroleira por ações para auxiliar a estatal, de acordo com duas fontes familiarizadas com o plano ouvidas pela Reuters. O swap iria oferecer uma tábua de salvação do governo para a companhia. "Idealmente, gostaríamos de converter as dívidas em ações e ter a liberdade para vendê-las mais tarde, quando o seu valor subir", disse um executivo do BNDES, que pediu anonimato.

Um integrante da equipe econômica do governo confirmou que as autoridades estavam considerando essa opção entre outras. Vale destacar que o BTG Pactual foi o primeiro a levantar essa opção em nota distribuída a clientes na véspera.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 FIBR3 FIBRIA ON 40,17 -1,11
 SUZB5 SUZANO PAPELPNA 14,63 -0,81
 HGTX3 CIA HERING ON 13,72 -0,80
 CIEL3 CIELO ON 29,77 -0,40
 CYRE3 CYRELA REALTON 8,13 -0,25


As maiores quedas ficavam por conta das exportadoras de papel e celulose como Fibria (
FIBR3, R$ 40,17, -1,11%) e Suzano (SUZB5, R$ 14,63, -0,81%), que caíam pressionadas pela desvalorização do dólar. Como possuem suas receitas denominadas na moeda norte-americana, as ações destas empresas acabam caindo quando o dólar cai. 

PMDB em foco
O PMDB elegerá hoje o líder da Câmara dos Deputados, com a disputa entre Leonardo Picciani (RJ) e Hugo Motta (PB). O ministro da Saúde, Marcelo Castro, deixou o cargo interinamente para votar em Leonardo Picciani, deputado mais alinhado ao governo, e depois retomar o posto. Ele se encontrará com a presidente Dilma Rousseff às 18h. Além disso, em foco, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que entrou com uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo para que ele possa se defender no Conselho de Ética mesmo antes do colegiado decidir se abrirá ou não um processo contra ele. O processo que pode cassar o mandato de Cunha ainda não foi aberto, pois a maioria do plenário do Conselho ainda não aceitou a representação. Segundo o advogado do presidente da Câmara, a ideia da defesa prévia é que ter de responder a um processo já é uma punição. 

Banda fiscal 
De acordo com informações da Bloomberg, o governo já admite internamente que não conseguirá cumprir a meta de superávit primário de 0,5% do PIB deste ano e por isso vai propor ao Congresso a flexibilização da meta com compromisso de gasto fixo para este ano por causa da queda nas receitas, disseram duas fontes da equipe econômica a par do assunto. A discussão hoje no governo é se vale a pena todo sacrifício de cortes de investimentos e programas sociais para cumprir um primário de 0,5% do PIB e provocar uma paralisia ainda maior da economia, disse um dos interlocutores. A banda fiscal de 2016 pode ficar entre -0,6% e +0,8% do PIB.

Vencimento de contratos futuros do Ibovespa
Nesta quarta haverá o vencimento dos contratos futuros do principal índice da Bovespa. O exercício dos contratos deve trazer volatilidade ao pregão.  

Cenário externo
Os mercados externos tentam firmar tendência positiva na sessão desta quarta. As ações europeias avançam, com o DAX em alta de 1,81%, o FTSE com ganhos de 1,58% e o CAC 40 subindo 1,95%, enquanto o petróleo recupera parte das perdas de ontem, com o brent em alta de 2,56%, a US$ 33,68 o barril.

Na Ásia, as bolsas chinesas subiram novamente nesta quarta-feira para uma nova máxima de três semanas, com a demanda por ações de infraestrutura ajudando o mercado a manter uma recuperação alimentada pelas esperanças de estímulos econômicos, ainda que alguns analistas alertem que esta alta pode se reverter logo. 

 Enquanto isso, as ações no restante do continente caíram, após duas sessões seguidas de ganhos sólidos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,87%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,1%. No Japão, o índice Nikkei recuou 1,36%, mas ainda assim acumula alta de mais de 5% nesta semana.

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

Analista-chefe da XP diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato