Em mercados / acoes-e-indices

"Rali de impeachment" faz Bolsa subir 4%; Petrobras e BB sobem mais de 10%

Suspensão de aprovação da chapa pró-impeachment não desanima mercado e investidores voltam a comprar impeachment

Ações em alta
(ShutterStock)

SÃO PAULO - O Ibovespa fecha em alta de quase 4% nesta quarta-feira (9), tendo acelerado os ganhos no começo da tarde com a nomeação de Leonardo Quintão (PMDB-MG) para líder do PMDB na Câmara dos Deputados. Reconhecidamente anti-Dilma, Quintão deve fazer uma pressão ainda maior para que a presidente deixe o cargo. Pela manhã, a Bolsa já subia com a vitória da chapa de oposição na Comissão Especial de Impeachment na Câmara, ignorando a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de suspender a decisão. Lá fora, as bolsas dos Estados Unidos caem, assim como a cotação do petróleo. 

O benchmark da Bolsa brasileira disparou 3,75%, a 46.109 pontos. O volume financeiro negociado na Bovespa foi de R$ 7,771 bilhões. Já o dólar comercial fechou em queda de 1,92% a R$ 3,7365 na compra e a R$ 3,7370 na venda, enquanto o dólar futuro para janeiro de 2016 tem queda de 1,03% a R$ 3,780. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 recua 7 pontos-base a 15,71%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 tem baixa de 8 pontos-base a 15,68%. 

Na opinião de Ari Santos, trader da H. Commcor, o mercado está satisfeito com o processo de impeachment no Congresso e a chance do vice-presidente, Michel Temer, assumir. "De resto não tem mais nada, não é algo pontual de empresa. É uma recuperação dos preços por essa expectativa de que Dilma caia. O cenário mudou tanto assim", afirma. 

Cenário político
O mercado ainda repercutiu notícia de que Henrique Meirelles seria o ministro da Fazenda em um eventual governo do vice-presidente Michel Temer. O senador José Serra (PSDB-SP) também seria colocado em alguma pasta forte, mas não da parte econômica, segundo informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo. Cabe ressaltar que hoje, após a polêmica carta do vice Michel Temer para Dilma, os dois (presidente e vice) devem se reunir às 19h30.

Além disso, ontem, o ministro Luiz Edson Fachin, do STF decidiu suspender a instalação da Comissão do impeachment, que analisará o processo de impedimento da presidente Dilma na Câmara dos Deputados. Uma das questões levantadas pelo ministro, por exemplo, e que será analisada pelo plenário, foi a votação secreta realizada na Câmara para eleger os membros da comissão.

No despacho, Fachin ressalta que a Constituição e o Regimento Interno da Câmara não preveem votação fechada. Com 39 integrantes, a chapa 2 - Unindo o Brasil, formada em sua maioria por deputados da oposição e dissidentes da base aliada, havia vencido ontem a votação para compor a comissão especial para a análise do impeachment contra Dilma.

Indicadores
O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) avançou 1,01% em novembro, frente à alta de 0,82% no mês anterior, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta. O resultado ficou acima do esperado pelo mercado.

Com isso, no acumulado de 12 meses, o IPCA tem alta de 10,48%, bem acima do teto da meta do governo de 6,5%. O resultado foi superior aos 9,93% dos doze meses imediatamente anteriores. A mediana das expectativas dos analistas era de avanço de 0,95% no mês passado, segundo a pesquisa Bloomberg. Para o acumulado em 12 meses, a expectativa mediana era de em torno de 10,42% de inflação.

Desde 2002, quando atingiu 3,02%, não havia registro de IPCA mais alto num mês de novembro. Com o acumulado no ano em 9,62%, bem acima dos 5,58% de igual período de 2014, constitui-se no mais elevado acumulado com referência ao período de janeiro a novembro desde 2002, que ficou em 10,22%.

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 9,46, +10,77%; PETR4, R$ 7,65, +7,29%) dispararam em meio ao cenário político apesar da queda do petróleo. Depois de cair 5% na segunda e mais 1% ontem, o barril do WTI (West Texas Intermediate) tem queda de 1,36% a US$ 37, ao mesmo tempo em que o barril do Brent cai 0,91% a US$ 40,22.  

Notícias desfavoráveis ao governo voltam a repercutir de forma positiva nos ativos, em especial aos papéis das estatais. A Petrobras ainda tem no radar expectativa com venda de ativos e leve recuperação do preço do petróleo.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano
 PETR3 PETROBRAS ON 9,46 +10,77 -1,36
 BBAS3 BRASIL ON 18,80 +10,07 -13,67
 BBSE3 BBSEGURIDADE ON 28,50 +7,55 -6,36
 PETR4 PETROBRAS PN 7,65 +7,29 -23,65
 SMLE3 SMILES ON 38,34 +6,50 -13,55

 

Quem também subiu foi o Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 29,15, +5,42%). Dona de uma participação de mais de 10% na carteira teórica do Ibovespa, a ação preferencial do banco reflete, além do cenário macro, a decisão do Santander de cortar a recomendação das ações do Banco do Brasil (BBAS3, R$ 18,80, +10,07%) de compra para manutenção. Agora, Itaú é a única empresa do setor financeiro com recomendação de compra. 

Ainda entre as altas, após a rejeição do Conselho de Administração da Cetip (CTIP3, R$ 39,29, +2,21%) à oferta de aquisição feita pela BM&FBovespa (BVMF3, R$ 11,98, +5,55%), as ações da empresa registraram ganhos. A rejeição baseou-se especificamente no preço ofertado, não levando em conta se a operação faz sentido estratégico, disse na terça-feira o presidente-executivo da Cetip, Gilson Finkelsztain, acrescentando que a companhia ainda não recebeu oferta concorrente à feita pela bolsa paulista.

"O Conselho foi muito claro na questão de mencionar que o preço oferecido não era adequado", disse o executivo a jornalistas, durante encontro com investidores e analistas da Apimec.

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 SUZB5 SUZANO PAPEL PNA 17,49 -3,58 +57,71
 FIBR3 FIBRIA ON ED 48,80 -3,02 +61,23
 ESTC3 ESTACIO PART ON 15,05 -2,78 -35,69
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N2 23,20 -2,44 +60,85
 EMBR3 EMBRAER ON 29,29 -2,11 +20,56

 

Em queda estiveram os papéis de companhias exportadoras de papel e celulose como Fibria (FIBR3, R$ 48,80, -3,02%) e Suzano (SUZB5, R$ 17,49, -3,58%). Por possuírem suas receitas em dólar e custos em reais, as companhias são prejudicadas pela apreciação da nossa moeda.  

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN ED 29,15 +5,43 823,89M
 PETR4 PETROBRAS PN 7,65 +7,29 598,55M
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 21,95 +5,02 527,41M
 BBAS3 BRASIL ON 18,80 +10,07 371,25M
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,48 +1,87 304,00M
 ITSA4 ITAUSA PN ED 7,76 +5,01 252,05M
 PETR3 PETROBRAS ON 9,46 +10,77 216,52M
 VALE5 VALE PNA 9,65 +3,54 209,25M
 CIEL3 CIELO ON 37,50 +4,95 181,86M
 BBSE3 BBSEGURIDADE ON 28,50 +7,55 179,60M

* - Lote de mil ações 
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
 

Cenário externo
As bolsas asiáticas tiveram um dia misto nesta quarta-feira em meio aos dados econômicos sugerindo desaceleração da economia da China. Contudo, Xangai conseguiu fechar em leve alta de 0,09%, impulsionado pela alta das ações imobiliárias devido a expectativas de estímulo e por sinais de que as seguradoras estão disputando participações nas principais companhias do mercado imobiliário.

Ontem às 23h30 saíram o CPI (Índice de Preços ao Consumidor, na sigla em inglês) e o PPI (Índice de Preços ao Produtor, na sigla em inglês) da China, referentes a novembro. A inflação ao consumidor subiu 1,5% em novembro na comparação com o mesmo período de 2014, diante de uma expectativa mediana do mercado de que houvesse avanço de 1,4%, ao mesmo tempo em que a inflação ao produtor teve uma queda de 5,5%, contra projeções de que ela sofresse uma contração de 5,9%.

Vale destacar que a China orientou o yuan ao menor nível em mais de quatro anos nesta quarta-feira, por meio de uma taxa de referência diária. O dia foi de queda para os índices europeus, que seguiram cautela após o sell-off da véspera.

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

 

Contato