Em mercados / acoes-e-indices

Vale e siderúrgicas disparam mais de 5%; varejista afunda 6% após balanço

Confira os principais destaques da Bolsa nesta quarta-feira (5)

Vale
(Bloomberg)

11h38: Vale (VALE3, R$ 19,12, +5,64%%;VALE5, R$ 15,45, +4,32%)
As ações da Vale registram ganhos nesta sessão, seguindo a alta do preço do minério de ferro, que avançou 2,7%, a US$ 56,78 o barril. Acompanham o movimento as ações da Bradespar (BRAP4, R$ 10,44, +4,82%), holding que detém participação na Vale, além do setor siderúrgico, com as ações da Usiminas (USIM5, R$ 4,36, +4,56%), CSN (CSNA3, R$ 4,56, +4,59%), Gerdau (GGBR4, R$ 6,33, +4,80%) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 4,07, +3,04%). 

Nesta manhã, a mineradora informou que pretende levantar entre US$ 6 bilhões e US$ 7 bilhões em caixa em 2015 com venda de ativos e parcerias. A companhia informou ainda que o break-even do preço do minério de ferro foi reduzido para US$ 39,1 a tonelada, no centro da faixa que já havia sido informada pela mineradora de US$ 37 a US$ 41 a tonelada.  

Em destaque, ainda estão os dados da China.  O PMI (Índice de Gerente de Compras) do Caixin/Markit, mostrou que serviços cresceu em julho no maior ritmo em 11 meses. O PMI subiu para 53,8, contra leitura de 51,8 em junho, atingindo o maior nível desde agosto de 2014 e marcando o 12º mês consecutivo de expansão.

Além disso, o Ministério dos Transportes aprovou o enquadramento, como prioritário, de projeto de investimento da Vale para fins de emissão de debêntures incentivadas, conforme portaria publicada no DOU (Diário Oficial da União. Com a decisão, a empresa captará recursos com incentivo fiscal para aplicar na expansão da Estrada de Ferro Carajás (EFC). Segundo fontes, a Vale deve protocolar na CVM até o final da semana uma emissão de R$ 1 bilhão em debêntures incentivadas, em duas séries.

10h35: Vanguarda Agro (VAGR3, R$ 0,90, +9,76%)
A Vanguarda Agro, uma das maiores produtoras de grãos e fibras do país, informou que teve no 2° trimestre de 2015 um lucro líquido de R$ 26 mil, contra perda de R$ 29,9 milhões de um ano antes. Segundo o Banco Espírito Santo, embora melhor do que no ano passado, o resultado ainda veio abaixo das expectativas. "Continuamos preocupados com os custos de plantação daqui para frente, especialmente porque condições de financiamentos pioraram no Brasil. Como resultado, gostaríamos de ver a companhia concentrar seus esforços em áreas onde a produtividade é mais elevada", comentaram os analistas. Eles reiteraram recomendação neutra para a ação. 

10h31: Guararapes (GUAR4, R$ 57,05, -8,91%)
A Guararapes, dona da Riachuelo, chegou a afundar 10% nesta manhã depois de balanço do segundo trimestre. A varejista reportou lucro líquido de R$ 74,6 milhões no segundo trimestre, o que representa uma queda de 40,1% na comparação com o mesmo intervalo do ano passado. Em relatório, a companhia informou que o elevado nível de estoques e as vendas abaixo do esperado levaram a Riachuelo a intensificar promoções e liquidações no trimestre, o que afetou a rentabilidade do período. 

10h23: Petrobras (PETR3, R$ 11,40, +2,61%PETR4, R$ 10,41, +2,26%)
As ações da Petrobras sobem forte nesta sessão, seguindo a alta do preço do petróleo de 0,57%, a US$ 46 o barril.

No radar da companhia, com o resultado do segundo trimestre próximo da divulgação (na noite da próxima quinta-feira), os agentes de mercado ficarão nas expectativas do balanço da Petrobras  do segundo trimestre. As expectativas recaem sobre o impacto que irão causar a multa de R$ 1,6 bilhão e a queda de 43% no preço do petróleo no lucro da empresa.

Além disso, ainda no radar da empresa, três delatores investigados pela Operação Lava Jato concordaram em devolver R$ 247 milhões à Petrobras, por se tratar de valores desviados em contratos com a estatal, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. Com esses valores, a Lava Jato deve ultrapassar a marca de R$ 1 bilhão recuperados, dos quais R$ 296 milhões já regressaram para o caixa da companhia. 

10h20: Bancos
Seguindo o maior otimismo do mercado e após a forte queda de 2,5% na sessão anterior, com a divulgação dos resultados do segundo trimestre, o Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 29,64, +1,64%) registra ganhos de mais de 1%. O BTG Pactual destacou em relatório que o banco começa a chamar muita atenção e a recomendação para agora é compra. 

Banco do Brasil (BBAS3, R$ 21,65, +0,93%) e Bradesco (BBDC4, R$ 26,24, +0,81%) também registram alta. 

10h19: TIM (TIMP3, R$ 8,84, -2,75%)
As ações da TIM (TIMP3) são destaque de queda, com baixa de cerca de 3%, após a divulgação dos resultados do segundo trimestre. A companhia viu seu lucro líquido subir 153,4% no segundo trimestre, para R$ 926,3 milhões. No entanto, a operadora de telefonia informou que o lucro inclui efeito de venda de torres de telecomunicações. Excluindo esse efeito, o lucro líquido orgânico da operadora ficou em R$ 290,8 milhões, 20,8% abaixo do observado em igual período do ano passado. O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), excluindo o efeito da venda de torres, ficou em R$ 1,27 bilhão, 4,4% inferior ao R$ 1,33 bilhão em período equivalente do ano anterior. 

Segundo o Morgan Stanley, o resultado ficou abaixo do esperado da receita ao lucro líquido. Após a divulgação, o JPMorgan cortou a recomendação de overweight (exposição acima da média) para neutra. 

 

Contato