Em mercados / acoes-e-indices

Revolução das small caps: Lupatech desaba 40%, Saraiva salta 20% e OSX "renasce"

Rebaixamento de preço-alvo e para market perform afundam ViaVarejo enquanto compra por R$ 725 milhões da Saraiva pela Abril Educação faz ação disparar quase 30% em pregão

Saraiva Mega Store
(Divulgação)

SÃO PAULO - A sexta-feira chegou e é tempo de ver quais ações caíram e subiram esta semana na Bolsa. Além das blue chips da Bolsa, as small caps também chamaram atenção nesta semana, com o desdobramento da Lupatech, resultado surpreendente da OSX Brasil, empresa fundada por Eike Batista em recuperação judicial, venda de área da Saraiva, além da empresa que mudou de ramo, nome e, por fim, de ticker na Bovespa. Confira abaixo o que foi destaque no mundo das small caps:

Lupatech (LUPA3, R$ 9,09, -39,40%)
A Lupatech, fornecedora da Petrobras que entrou recentemente com pedido de recuperação judicial na Bolsa após ter visto suas ações desabarem praticamente 100% nos últimos dias, realizou na quinta-feira grupamento de suas ações na proporção de 500 para 1. Como diversos agentes de mercado já previam, as ações desabaram no dia da operação já que os papéis que eram cotados a poucos centavos passaram a ser negociados a R$ 25, dando "espaço" para que os investidores que já estavam pessimistas se se desfazessem dos papéis. Ou seja, as perdas acumuladas na semana, de 39,4%, foram praticamente em um só dia. Depois da forte derrocada na quinta, as ações até subiram 4% hoje. 

Entenda por que Lupatech era o "trade idiota" do dia: ação caiu 42% após grupamento 

Saraiva (SLED4, R$ 5,81, +19,79%)
Após ser vender sua divisão de editoria para a Abril Educação por R$ 725 milhões, as ações da Saraiva (SLED4) dispararam 29,13% ontem, chegando a alcançar ganhos de 37,40% na máxima do dia. Hoje, no entanto, os papéis corrigiram parte dos ganhos na Bovespa, mas ainda assim encerraram a semana com ganhos de quase 20%.

OSX (OSXB3, R$ 0,22, +22,22%)
Chamaram atenção também as ações da OSX Brasil, que dispararam 66,67% depois da divulgação do resultado do primeiro trimestre. A empresa de estaleiros, em recuperação judicial e fundada por Eike Batista, conseguiu reverter um prejuízo de mais de R$ 2 bilhões no primeiro trimestre de 2014 para lucro de R$ 168 milhões nos três primeiros meses deste ano. 

Apesar a euforia com o balanço, no entanto, os papéis da companhia só caíram na Bolsa, ofuscando praticamente todo o "brilho" de terça-feira. Na semana, as ações encerraram com alta de 22%.

ViaVarejo (VVAR11, R$ 12,59, -15,56%)
As ações da varejista vivem uma maré ruim na Bolsa que já dura duas semanas. Desde a semana passada, quando dois grandes bancos cortaram recomendações da companhia, seus papéis praticamente só caem. Do dia 10 (quando saíram os cortes) até o fechamento de hoje, a queda de foi de mais de 20%. 

Para completar a maré ruim, hoje o HSBC rebaixou o preço-alvo da companhia, que passou de R$ 19,00 para R$ 16,50. Somente nessa sessão as ações caíram 6,46%. 

Seman passada foi a vez do Itaú BBA rebaixar a recomendação da companhia para market perform (desempenho em linha com a média) e o Santander, de compra para manutenção. O banco espanhol afirmou que o motivo para o rebaixamente se deve à piora do cenário econômico. 

SweetCosmetics (SWET3, R$ 0,40, +24,24%)
A Sweet Cosmetics, ex-mineradora que passou a atuar no mercado de produtos de beleza e cosméticos, mudou seu ticker de negociação na Bolsa nesta quarta-feira (17). Renovada e sob novo código, as ações acumularam em seus quatro pregões de negociação alta de 24%.

 

Contato