Em mercados / acoes-e-indices

Maior gestora do mundo vende ações de 3 empresas na Bolsa; veja mais 7 destaques

Confira os principais destaques da Bovespa na noite desta quarta-feira de Copom

BM&FBovespa - sala de operações
(Divulgação)

SÃO PAULO - O noticiário seguiu agitado na noite desta quarta-feira, véspera de feriado, que manterá a Bovespa fechada amanhã. Entre os destaques, a maior gestora do mundo decidiu reduzir participações em três empresas da Bolsa, o Santander reverteu provisão de R$ 4,8 bilhões relativos à Confis e a AES Brasil e BNDESPar anunciaram a reorganização societária da Brasiliana e AES Tietê. Confira abaixo o que foi destaque nesta noite:

Santander 
O Santander informou nesta noite que reverteu provisão de R$ 4,8 bilhões relativos à Cofins com base na decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que negou, por unanimidade, na sessão plenária de 28 de maio de 2015, seguimento ao Recurso Extraordinário interposto pelo Ministério Público Federal referente à Cofins. O banco comunicou também que constituirá provisões complementares no montante total de R$ 1,6 bilhão, após efeitos tributários, com o objetivo de reforçar o balanço patrimonial. 

Bradespar, AES Tietê e BM&FBovespa
A maior gestora do mundo informou hoje que reduziu participação em três empresas da Bovespa. A BlackRock vendeu cerca de 20 milhões de ações da Bradespar, holding que possui participação na Vale, em um pregão, reduzindo sua exposição para o equivalente a 1,45% do total de ativos preferenciais da empresa, ou 3.282.642 ações.

Além dela, a gestora reduziu sua participação na AES Tietê (GETI4) para 7.976.351 ações, correspondentes à 4,34% das ações preferenciais da empresa, além de vender ações da BM&FBovespa (BVMF3) para 89.948.148 ações, que representam 4,96% dos papéis emitidos pela companhia. 

AES Tietê
Além disso, a AES Holdings Brasil e a BNDESPar, unidade de participações do BNDES, anunciaram nesta quarta-feira uma proposta de reorganização societária envolvendo a Companhia Brasiliana de Energia e a AES Tietê, assim como as companhias e empresas direta e indiretamente controladas pela Brasiliana. 

A reorganização envolverá a cisão parcial da Brasiliana, que deterá diretamente o controle exclusivo da AES Tietê, segundo fato relevante enviado ao mercado. Parte do acervo cindido irá para a Brasiliana Participações, que controlará, direta ou indiretamente, todas as demais empresas, como Eletropaulo, AES Elpa, AES Uruguaiana Empreendimentos e AES Serviços. 

Após a cisão, o capital social da Brasiliana Participações passará a ser detido por AES Brasil (46,15 por cento) e BNDES Participações (53,85 por cento), na mesma proporção em que as empresas participam atualmente do capital social da Brasiliana. 

A AES Brasil e a BNDESPar se comprometem a registrar a Brasiliana Participações, atualmente uma companhia fechada, em companhia de capital aberto categoria A. A reorganização societária está sujeita às aprovações da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e está prevista para ser concluída entre o fim de 2015 e o início de 2016, segundo comunicado.

Eletropaulo
A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) reduziu em R$ 32,7 mil multa aplicada à Eletropaulo (ELPL4), que terá que pagar R$ 4,6 milhões por descumprimento de indicadores de qualidade e ao pagamento de compensações por transgressão nos conjuntos de consumidores em 2011. O valor original da multa, de R$ 14,4 milhões, já tinha sido reduzido pela agência reguladora para cerca de R$ 4,6 milhões. 

Light
O conselho de administração da Light (LIGT3) aprovou a emissão de R$ 375 milhões em notas promissórias, com prazo de 360 dias. Os recursos serão usados para reforço do capital de giro ou refinanciamento de dívida, informou a empresa. 

Rumo
A Rumo (RUMO3) informou que reduziu sua participação na Brado de 62,22% para 61,71%. 

Prumo Logística 
A Prumo Logística (PRML3) e a BG Brasil assinaram hoje contrato para transbordo do petróleo no Porto do Açu, em São João da Barra (RJ). O contrato prevê que a BG irá utilizar o TOIL (terminal de petróleo) do porto por 20 anos, movimentando um volume médio de até 200 mil barris por dia. Os navios sairão do Porto do Açu e seguirão para clientes da BG em todo o mundo. A primeira operação está prevista para agosto de 2016.

Diagnósticos da América
A Dasa (DASA3) divulgou carta da Oppenheimer enviada à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no qual diz que a OPA (Oferta Pública de Aquisição) de ações é prejudicial aos acionistas minoritários. Segundo a Oppenheimer, em caso de saída do Novo Mercado, a companhia não estaria mais obrigada a garantir determinados direitos aos acionistas relacionadas à governança. Maior acionista da Dasa, a Cromossomo oferece R$ 10,50 por ação em OPA. No pregão de hoje, os papéis fecharam a R$ 9,70. 

(Com Reuters)

 

Contato