Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras, recompra do BB e mais 14 notícias agitam o radar desta terça-feira

Confira os principais destaques corporativos desta terça-feira; a matéria será atualizada até a abertura da Bovespa às 10h (horário de Brasília)

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - O noticiário aparece agitado nesta terça-feira (19). Com o fim oficial da temporada de balanços do primeiro trimestre, a Petrobras (PETR3; PETR4) volta novamente para os destaques. Segundo informações da Bloomberg, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, poderá querer uma compensação de até R$ 20 bilhões da estatal, estimativa inicial pela diferença entre o valor do barril usado na cessão onerosa em 2010 e o preço do combustível quando os campos do pré-sal declarados comerciais. O valor ainda está sendo negociado e deve ser fechado no início do ano que vem, disse uma fonte com conhecimento direto nas negociações à agência.

Além disso, no noticiário da petrolífera, a Petrobras é alvo em novas ações na Justiça dos Estados. Mais um grupo de fundos americanos entrou com processo contra a estatal na Corte de Nova York, alegando que o esquema de corrupção na empresa provocou prejuízos de milhões de dólares.   

Ainda hoje, a Petrobras informou que a produção total de petróleo e gás no Brasil em abril somou 2,596 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), alta de 0,8% sobre março. Segundo a estatal, a produção total de óleo e gás operada por ela no país, incluindo a das sócias, foi de 2,886 milhões de boed, volume 1,8% superior ao de um mês antes.

Banco do Brasil (BBAS3)
O banco estatal aprovou um novo programa de recompra de até 50 milhões de ações com o prazo de 365 dias, com término em 16 de maio de 2016. Atualmente, a companhia possui 1.411.929.905 ações em circulação no mercado. A operação será intermediada pelo Votorantim, Goldman Sachs e Concórdia.  

Usiminas (USIM5)
A siderúrgica comunicou que sua diretoria decidiu desligar temporariamente os Altos Fornos nº 1 da Usina de Cubatão e nº 1 da Usina de Ipatinga, a partir de 31 de maio e 04 de junho de 2015, respectivamente, reduzindo assim sua produção de ferro gusa em aproximadamente 120 mil toneladas por mês.

"Tal ajuste visa a adequar a produção ao atual ritmo de demanda do mercado siderúrgico, trazendo oportunidades de redução de custo e melhoria da competitividade da Usiminas no atual cenário de mercado", disse a companhia em fato relevante.

Copel e Sanepar
O governo do Paraná estuda vender fatias da Copel (CPLE6) e Sanepar (SAPR4) para obter recursos, informou o Valor. "Estamos estudando para levar ao governador. A venda pode ocorrer neste ano, dependendo das condições do mercado", afirmou o secretário da Fazenda do Estado, Mauro Ricardo Machado da Costa, ao Valor 

Concessões rodoviárias
A CCR MSVia, concessionária do grupo CCR (CCRO3) responsável pela administração, reforma, operação e duplicação da BR-163/MS, teve aval para alta de 2,67% no pedágio para veículos. Já a Invepar teve aprovada a alta de 3,3% em pedágio de veículo na BR-040.  

MRV Engenharia (MRVE3)
A companhia imobiliária informou que a Janus Capital Managements, em nome de alguns de seus clientes, na qualidade de administrador de investimentos, adquiriu ações ordinárias emitidas pela companhia, atingindo no dia 15 de maio uma participação de 5,06%, com 22.744.500 ações ordinárias. "A Janus, na qualidade de administrador de investimentos, declara que tal aquisição é apenas para fins de investimento e não objetiva adquirir controle da Companhia, disse a MRV.

Embraer
Segundo matéria do Valor, a Embraer (EMBR3) pretende vender mais jatos executivos nos Estados Unidos para compensar a queda na demanda no mercado interno, na China e Rússia. Apenas o mercado americano no segmento está em ascensão.  

BR Properties (BRPR3)
A companhia afirmou que, em reunião realizada nesta segunda, seu Conselho de Administração decidiu por cancelar o Programa de ADRs (American Depositary Receipts) registrado na CVM junto ao Deutsche Bank e pela adoção das medidas cabíveis para o término do programa junto aos detentores de ADRs. "A Companhia manterá o mercado e seus acionistas informados a respeito de eventos subsequentes relevantes relacionados ao cancelamento do Programa de ADRs", afirmou em comunicado.

São Carlos (SCAR3)
A São Carlos anunciou a venda do Centro de Distribuição Barueri (CD Barueri), pelo valor total de R$ 110,8 milhões. "O CD Barueri está localizado em Alphaville. O imóvel tem 37.590 m² de área locável e está integralmente locado para a empresa DHL Logistics. A eficácia da transação e o pagamento integral do preço estão sujeitos à verificação de determinadas condições, usuais em negócios de alienação de imóveis", afirmou a companhia em comunicado.

JHSF (JHSF3)
A JHSF firmou com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) um contrato de financiamento no valor de R$ 75 milhões para uso nas obras de implantação do São Paulo Catarina Aeroporto Executivo (Aeroporto Catarina) cujo projeto foi enquadrado para receber financiamentos de até R$ 390 milhões do BNDES. "O Bridge Loan será quitado quando da liberação do valor do financiamento de longo prazo", disse a empresa.

O aeroporto fica a 35 minutos de carro de São Paulo e ocupará área de aproximadamente 2.000.000 m², com cerca de 50 mil m² de hangares e 50 mil m² de pátios na primeira fase. Estão previstos centros de serviço e manutenção (MRO), hangares de estadia, operadores de base (FBO) e pernoite, além de heliponto para conectar os usuários aos diversos destinos de negócios.

Energisa 
A Energisa (ENGI4) pode iniciar operação de geradora da Vista Alegre II, em Maracaju (MS). A empresa tem autorização para início da operação comercial a partir de hoje, segundo está em despacho da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) publicado no Diário Oficial.  

Ecorodovias
A Ecorodovias (ECOR3) negocia sua entrada como acionista minoritária, mas com parcela expressiva do capital, na sociedade responsável pela operação do aeroporto internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, o segundo mais movimentado do país em número de passageiros, informou o Valor

Além disso, a empresa informou hoje que a BRZ Investimentos, gestora da Logística Brasil, exerceu direito de opção de venda da totalidade das ações detidas pela Logística Brasil na Elog, o que fará com que 100% do capital desta última passe a ser detido pela Ecorodovias. A Logística Brasil tinha 20% do capital social votante e total da Elog. O valor da opção de venda é de R$ 214 milhões e será atualizado monetariamente pelo IPCA mais 6 por cento ao ano até sua liquidação, a ocorrer em até dois meses.

Multiplus
A Multiplus (MPLU3) informou que Ronald Domingues foi eleito novo diretor financeiro e de relações com investidores da companhia.

Odontoprev
A Odontoprev (ODPV3) foi incluída na lista de empresas cuja venda de planos foi suspensa pela ANS. Estão suspensos 17 dentre os 387 plano de saúde odontológicos ativos que compõem o portfólio da companhia. A empresa disse que tomará medidas necessárias para preservar clientes. A suspensão começará no próximo dia 20 de maio e não resultará em qualquer prejuízo no atendimento aos beneficiários dos planos suspensos, nem faturamento regular dos contratos em vigor e nos demais produtos da companhia. Segundo a Guide Investimentos, a notícia poderá impactar negativamente as ações no curto prazo, mas logo a suspensão deve ser revista. 

Sabesp
A tarifa de contingência da Sabesp (SBSP3) gerou R$ 79,3 milhões no primeiro trimestre. O programa de bônus gerou R$ 211,2 milhões nos primeiros meses deste ano.

Dasa 
A Dasa (DASA3) definiu lista tríplice de empresas para fazer laudo de avaliação em OPA (Oferta Pública de Aquisição). A lista inclui Rothschild, Itaú BBA e KPMG. 

 

Contato