Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras, disputa pela Usiminas, resultados e mais 11 notícias no radar desta 6ª

Confira os principais destaques da Bovespa na manhã desta sexta-feira

Petrobras - Plataforma P-56
(Agência Petrobras)

SÃO PAULO - A sexta-feira (27) inicia com o noticiário corporativo movimentado. Nos destaques, após uma longa reunião do Conselho de Administração nesta quinta-feira (26), a Petrobras (PETR3; PETR4) informou que o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega renunciou ao cargo de presidente e membro do Conselho. Com isso, foi aprovada, por maioria, a eleição de Luciano Coutinho para ocupar o cargo. 

Segundo a XP Investimentos, sem nada de balanço e com a "solução caseira" de Luciano Coutinho, a notícia é negativa. "Acreditamos que ninguém quis aceitar o cargo do presidente do conselho de administração, pois o risco é grande e precisa assinar balanço", disseram os analistas. Coutinho já é membro do Conselho de Administração da Petrobras desde abril de 2008. Além disso, ele também integra o Conselho de Administração da Petrobras Distribuidora e é presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) desde abril de 2007.

Coutinho é solução temporária no Conselho da Petrobras

Além disso, a empresa comunicou hoje que convocou assembleia geral ordinária para 29 de abril. O tema da reunião será eleição dos administradores e membros do conselho fiscal. Em comunicado, a estatal disse ainda que ainda não finalizou os trabalhos de elaboração de suas demonstrações financeiras do 3° trimestre de 2014 e do ano de 2014, para supervisão dos auditores independentes e aprovação pelo comitê de auditoria, conselho fiscal e de administração.

Oi
O grupo de telecomunicações Oi (OIBR4) teve prejuízo líquido consolidado de R$ 4,42 bilhões no quarto trimestre, revertendo resultado positivo obtido um ano antes diante de impactos contábeis gerados pela venda de ativos da Portugal Telecom. 
Em termos operacionais, excluindo resultado financeiro e tributos (Ebit, na sigla em inglês), a companhia teve lucro de R$ 2 bilhões, um recuo de 17% sobre o quarto trimestre de 2013, mas aumento de cerca de 81% sobre o período de julho a setembro do ano passado.

Aumento da TJLP
O BC informou ontem que o CMN decidiu aumentar a TJLP para 6% ao ano de 1º de abril até 30 de junho de 2015. A alta é de 0,50 p.p. em relação à taxa em vigor até agora, de 5,50% ao ano. Com a elevação, a TJLP já subiu 1 p.p. este ano - estava em 5% ao ano desde janeiro de 2013. Segundo a XP Investimentos, a notícia é r
uim para empresas de infraestrutura alavancadas no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). 

Ecorodovias
O conselho da Ecorodovias (ECOR3) aprovou a emissão de R$ 600 milhões em debêntures. A emissão para investidores qualificados será realizada em até duas séries, sendo a primeira com prazo de 3 anos e a segunda de 5 anos, diz o comunicado.

OSX Brasil
A holandesa Nordic apresentou pedido de falência das subsidiárias da OSX Brasil (OSXB3) - OSX 3 Holding, OSX 3 Holdco e OSX Leasing Group B.V.. 
A companhia entende que as sociedades objeto do pedido de falência têm ativos em valor suficiente para saldar todas as suas dívidas e tomará as medidas cabíveis para proteção de seus direitos, mantendo os seus acionistas e o mercado informados acerca da evolução de sua reestruturação e demais eventos relevantes relacionados ao assunto, informou a OSX, por meio de comunicado ao mercado divulgado hoje.

Cemig
A Cemig (CMIG4) apresentou lucro líquido de R$ 3,136 bilhões em 2014, alta de 1,06% na comparação com 2013. Os números são atribuíveis aos sócios da empresa controladora, base para a distribuição de dividendos. A receita líquida somou R$ 19,539 bilhões no ano passado, crescimento de 33,5% sobre 2013.  

CPFL Energia
A CPFL Energia (CPFE3) teve lucro líquido de R$ 512 milhões no quarto trimestre de 2014, alta de 70,1% sobre o mesmo trimestre de 2013. Para o ano de 2014, a companhia teve lucro líquido de R$ 949,1 milhões, em alta de 1,3% ante R$ 937,4 milhões de 2013. 

Banrisul
O Banrisul (BRSR6) informou que seu Conselho de Administração elegeu Luiz Gonzaga Veras Mota como novo presidente da companhia, na substituição de Túlio Luiz Zamin, com vice-presidência de Irany de Oliveira Sant'Anna Junior. De acordo com o comunicado, os diretores são Jorge Fernando Krug Santos, Jorge Luiz Oliveira Loureiro, Júlio Francisco Gregory Brunet, Leodir Antônio Araldi, Oberdan Celestino de Almeida, Ricardo Richiniti Hingel e Suzana Flores Cogo. O Conselho ainda informa que Odir Tonnolier e Marcelo Tuerlinckx deixaram seus cargos.

Usiminas
A Ternium-Techint decidiu alugar 25 milhões de ações ordinárias da Usiminas (USIM5) em seu poder, que correspondem a 4,95% do capital ordinário da siderúrgica, em uma tentativa de virar o jogo na disputa pela gestão da empresa, informou o Valor. A eleição do novo conselho de administração será decidida em assembleia extraordinária marcada para 6 de abril. Com a movimentação, a Ternium tenta criar um novo grupo de minoritários - além dos grupos formados por Lirio Parissoto e BTG Pactual - para ocupar o comando do conselho. O novo presidente que vai substituir Paulo Penido, indicado da Nippon Steel em 2012, vai sair da eleição de acionistas minoritários, já que Ternium e os japoneses - que disputam o controle da siderúrgica - não têm um nome de consenso. 

Gerdau
A Gerdau (GGBR4) informou por meio de fato relevante que Jorge Gerdau, Klaus Gerdau, Germano Gerdau e Frederico Gerdau deixaram seus cargos no Conselho de Administração da companhia. A companhia ainda propôs André Gerdau e Cláudio Gerdau como co-presidentes do Conselho, sendo que os administradores ainda convocaram assembleia para os dias 28 e 29 de abril. 

Forjas Taurus 
Os membros do Conselho de Administração do Forjas Taurus (FJTA4) aprovaram hoje a proposta de orçamento de capital da companhia para o exercício social de 2015, no montante total de R$ 31,2 milhões a qual deverá ainda ser submetida à aprovação dos acionistas da companhia em assembleia geral ordinária. 

Tegma
A Tegma (TGMA3) informou que teve receita líquida de R$ 397 milhões no quarto trimestre de 2014, queda de 2,6% frente o quarto trimestre de 2013, quando apresentou receita de R$ 407,7 milhões; no acumulado de 2014 o número ficou em R$ 1,4 bilhão. A companhia ainda informou que o lucro líquido do quarto trimestre do ano passado de R$ 13,4 milhões; no mesmo período do ano anterior, a companhia mostrou lucro de R$ 6,2 milhões: o aumento foi de 114,4% na comparação; no acumulado do ano, a companhia reportou prejuízo de R$ 23 milhões. O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 57,1 milhões, frente os R$ 52,7 milhões apresentados em 2013; no acumulado do ano o número ficou em R$ 188,6 milhões. 

Aliansce
A Aliansce (ALSC3) informou nesta noite que sua receita líquida para o quarto trimestre de 2014 ficou em R$ 143,5 milhões, um salto de 10% frente os R$ 130,5 milhões apresentados no mesmo período de 2013; no acumulado de 2014 o número ficou em R$ 507,2 milhões. Já o lucro líquido fechou o quarto trimestre de R$ 46,5, um aumento de 123,% na comparação com os R$ 20,8 milhões apresentados em 2013; no acumulado do ano o número ficou em R$ 174 milhões. 

Já o Ebitda ajustado da companhia ficou em R$ 107,7 milhões no quarto trimestre do ano passado, um aumento de 12,8% na comparação com os R$ 95,5 milhões apresentados em igual período de 2013; no acumulado de 2014 o Ebitda ficou em R$ 370,5 milhões. 

Sabesp
A audiência de conciliação do processo que trata das vazões de retirada do Sistema Cantareira terminou com a suspensão do caso até 11 de maio. Nesta data, o Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE) deverá juntar aos autos o estudo apresentado, no fim de abril, pela Companhia de Saneamento Ambiental de São Paulo (Sabesp) (SBSP3). Os dados subsidiarão o pedido de renovação de outorga. A Ação Civil Pública foi proposta em conjunto pelo Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo e pelo Ministério Público Federal (MPF).

Além disso, um acordo entre as partes determina que o departamento deverá responder em juízo o ofício encaminhado pela Agência Nacional de Água (ANA), que, entre outros pontos, pede o estabelecimento de uma meta de armazenamento para o Cantareira em novembro deste ano. Os representantes legais do DAEE negaram-se a responder na audiência se é possível o estabelecimento de uma meta para o fim do ano. Inicialmente, a proposta era que fosse apresentado no dia 11 de maio.

Gol
A Gol (GOLL4) divulgou seus dados prévios de tráfego no mês de fevereiro. A taxa de ocupação doméstica nos dois primeiros meses de 2015 foi de 81,0%, um aumento de 3,1 ponto percentual frente ao mesmo período de 2014. No mês de fevereiro de 2015, a companhia atingiu 77,1%, uma redução de 0,4 ponto percentual na comparação com fevereiro de 2014. "A diferença temporal do feriado de Carnaval em fevereiro de 2015 e março de 2014 impactou este indicador", informou a companhia. A companhia ainda informou que a demanda doméstica em janeiro e fevereiro aumentou 8% frente ao mesmo período de 2014. Já a demanda internacional no mesmo período de 2015 aumentou em 25,1%, levando a taxa de ocupação a 73,9% o que representa uma expansão de 1,1 ponto percentual. 

Qualicorp
A administradora de planos de saúde Qualicorp (QUAL3) teve lucro líquido recorrente de R$ 19 milhões no quarto trimestre, frente a prejuízo de R$ 41,2 milhões no mesmo período do ano anterior, informou na quinta-feira. 
A receita líquida recorrente foi de R$ 393,9 milhões, avanço de 18% na comparação anual. O segmento Afinidade teve aumento de 18,8%, enquanto o segmento Corporativo e Outros subiu 8%. Segundo o Itaú BBA, a companhia continua entregando forte crescimento de receita, influenciado pela adição líquida de clientes, bem como aumentos de preços. 

Marcopolo 
A Marcopolo (POMO4) teve preço-alvo reduzido de R$ 5,10 para R$ 2,30 pela Votorantim Corretora.

Rossi
O controlador da Rossi (RSID3) tem conduzido estudos sobre oportunidades de negócios para a empresa, que podem ou não incluir um aumento de capital social, por meio de conversas com investidores, entre eles o fundo Cerberus. Um possível aumento de capital ocorreria na esteira da concorrente PDG Realty (PDGR3), que anunciou na semana passada um acordo com a administradora de recursos Vinci Partners para aumento de capital privado entre R$ 300 milhões e R$ 500 milhões. 

Braskem 
A Braskem (BRKM5) informa que o investimento do projeto integrado no México, no qual a Braskem detém 75% e o grupo Idesa 25%, teve seu valor revisado e a contribuição adicional será da ordem de US$ 600 milhões, um desvio de 13% em relação ao desembolso previsto de US$ 4,6 bilhões.  

V-Agro
A Vanguarda Agro (VAGR3) teve prejuízo de R$ 24,9 milhões no quarto trimestre e receita líquida de R$ 131,5 milhões. Segundo o Bradesco BBI, o mercado deve ignorar os dados fracos do quarto trimestre, dada a alteração material no câmbio e o alívio nos preços das commodities. "Em nossa opinião, o mercado vai agora concentrar-se principalmente em 2015", disseram os analistas.

 

Contato