Em mercados / acoes-e-indices

BB despenca 8%, "small cap" sobe 35% em 9 dias e CCR cai 3,5% com decisão da Justiça

No radar também estiveram as ações da Petrobras, que fecharam com queda de até 3% sem o anúncio do reajuste nos preços do combustível, além das ações das educacionais que fecharam em alta

SÃO PAULO - A sessão desta quarta-feira (5) foi negativa para o Ibovespa, que fechou com queda de 1,26%, a 53.698 pontos. Destaque negativo para as ações do Banco do Brasil, que fecharam com forte queda de 8% após a divulgação dos seus resultados para o terceiro trimestre. Já no lado positivo, fora do índice, estiveram as ações da CSU CardSystem, que fecharam seu nono dia de alta, acumulando ganhos de 35%.

Também ficaram na ponta negativa do principal índice da Bolsa hoje as ações da Petrobras, que sofrem sem o anúncio do tão aguardado reajuste no preço dos combustíveis. Além da estatal, as ações da concessionária CCR, que fechou a sessão em queda em meio à notícia de que a Justiça derrubou a liminar que autorizava a Autoban a aplicar reajuste de pedágio acima do autorizado pela Artesp.

E se a temporada de resultados afundou as ações do BB, também trouxe algumas surpresas positivas para fora do Ibovespa, como foi o caso da Paranapanema, que viu suas ações fecharem em alta, dando continuidade às altas após a divulgação de bons resultados. E na ponta positiva da principal carteira de ações da Bovespa, estiveram as ações do setor de educação, que fecharam entre os maiores ganhos da sessão.

Confira os destaques da Bolsa nesta quarta-feira:

Banco do Brasil (BBAS3, R$ 26,47, -7,93%)
As ações do Banco do Brasil fecharam com forte queda nesta quarta-feira depois de balanço do terceiro trimestre, contrariando a reação otimista registrada após resultados dos outros bancos grandes nos dias anteriores, como Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 36,89, -1,10%), Bradesco (BBDC3, R$ 35,40, -2,43%;BBDC4, R$ 36,74, -1,47%) e Santander (SANB11, R$ 13,64, -2,92%). Em meio ao desempenho negativo do BB e a queda do Ibovespa, os papéis desses bancos também fecharam entre altas e quedas nesta sessão. 

O BB teve lucro líquido maior no terceiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado, mas o resultado veio abaixo da média de projeções do mercado e a instituição reduziu a perspectiva para o crescimento de sua carteira de crédito em 2014. A maior instituição financeira do Brasil teve lucro líquido de R$ 2,78 bilhões entre julho e setembro, alta de 2,8% sobre o resultado obtido em 2013, mas recuo de 1,7% sobre o segundo trimestre deste ano.

Petrobras (PETR3, R$ 13,86, -2,74%; PETR4, R$ 14,40, -2,83%)
As ações da Petrobras também fecharam com forte queda sem anúncio do tão esperado reajuste dos combustíveis na véspera, quando o conselho de administração da companhia se reuniu. Em comunicado enviado ao mercado ontem, a estatal disse que, até aquele momento, não havia qualquer decisão sobre o reajuste. "O governo não aproveitou o voto de confiança que boa parte do mercado tem dado e ontem mostrou que não está próximo de seu slogan da campanha: 'Novo Governo, Novas Ideias'", comentou a XP Investimentos.  

CCR (CCRO3, R$ 17,46, -3,48%)
As ações da companhia fecharam em queda nesta sessão em meio à notícia de que 
a Justiça derrubou a liminar que autorizava a Autoban, da CCR, a aplicar reajuste de pedágio acima do autorizado pela Artesp. A Autoban informou que recorrerá da decisão.

A Autoban era uma das únicas concessionárias que ainda tinha liminar para cobrar tarifas de pedágio com reajuste integral do IPCA, já que em julho deste ano a Artesp definiu índices abaixo da inflação para a cobrança dos pedágios.

Educacionais
As ações da Kroton (KROT3, R$ 17,80, +1,14%) renovaram, nesta sessão, sua máxima histórica, subindo 29% desde o fechamento do pregão do dia 23 de outubro para cá. Já os papéis da Estácio (ESTC3, R$ 29,05, +1,93%), companhia do mesmo setor, chegou a alta de 3% em sua máxima intradiária e subiu 23% do fechamento do dia 23 para cá.  

TIM (TIMP3, R$ 13,13, -2,38%)
As ações da TIM fecharam a sessão em queda após balanço do terceiro trimestre. O lucro líquido da operadora de telecomunicações subiu 10,6% no terceiro trimestre, impulsionado pelas receitas de dados que compensaram o impacto da redução da taxa de interconexão. A empresa teve lucro líquido de R$ 348,3 milhões no terceiro trimestre, frente a R$ 315 milhões no mesmo período de 2013. Analistas ouvidos pela Reuters esperavam lucro líquido de R$ 342 milhões no terceiro trimestre deste ano. 

Além do balanço, apareceu no radar da empresa ainda a notícia de que investidores minoritários da Telecom Italia pediram nesta terça-feira que o Conselho do grupo considere uma potencial fusão de sua subsidiária brasileira, a TIM, com a operadora Oi (OIBR4). O grupo Asati, que diz representar cerca de 6 mil acionistas minoritários da Telecom Italia que têm uma participação de 1 por cento da empresa, disse em uma carta ao Conselho que um acordo deste tipo poderá incluir um aumento de capital "modesto".

CSU CardSystem (CARD3, R$ 3,90, +2,63%)
As ações da "small cap" CSU CardSystem voltaram a disparar nesta sessão, registrando sua nona alta consecutiva e acumulando no período valorização de 35%. Apesar dos ganhos, não há nenhuma notícia no radar da empresa. Na próxima sessão, a companhia divulgará seu resultado do terceiro trimestre, após o fechamento do pregão. 

Gerdau (GGBR4, R$ 11,38, -0,61%) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 13,75, -0,65%)
Chegando a subir mais de 2% nesta sessão, as ações da siderúrgica fecharam com alta mais leve após divulgação do seu resultado do terceiro trimestre. A Gerdau teve lucro líquido de R$ 262 milhões no terceiro trimestre, queda de 59,2 % sobre o resultado obtido no mesmo período de 2013. A Metalúrgica Gerdau fechou com leve queda, enquanto as demais siderúrgicas fecharam entre ganhos e perdas: Usiminas (USIM5, R$ 5,81, -0,17%) e CSN (CSNA3, R$ 8,09, -3,23%).

Para a XP, o resultado da siderúrgica foi bem satisfatório, principalmente se levar em conta o cenário difícil que o setor enfrenta. "A diversificação geográfica (e bom desempenho nos Estados Unidos) tem promovido certa resiliência neste momento difícil para o setor", comentou.

BR Malls (BRML3, R$ 17,69, -4,84%)
Dando continuidade à queda dos últimos dois dias, as ações da BR Malls fecharam na ponta negativa do Ibovespa após divulgação de balanço. O impacto negativo da Copa do Mundo em julho e a desvalorização do real ante o dólar pressionaram os resultados da BRMalls no terceiro trimestre, levando a uma queda do lucro líquido no período. O lucro líquido ajustado foi de R$ 123,6 milhões entre julho e setembro, queda de 3,7% em relação ao terceiro trimestre de 2013. A média das estimativas obtidas pela Reuters apontava para um lucro ajustado de R$ 97,4 milhões. 

Paranapanema (PMAM3, R$ 2,68, +2,68%)
Fora da principal carteira de ações da Bolsa, as ações da Paranapanema fecharam com forte valorização hoje. A companhia divulgou seu resultado na última sexta-feira (31) e surpreendeu positivamente o mercado. De lá para cá, os papéis já subiram 31%. Mas considerando o dia da divulgação, hoje completa a quinta alta seguida das ações da mineradora. 

A companhia mostrou uma boa evolução em seu processo de recuperação após registrar lucro de R$ 131 milhões entre julho e setembro. O resultado financeiro da empresa ficou positivo em R$ 112 milhões, contra uma perda de R$ 129,7 milhões um ano antes, o que contribuiu para a boa melhora na linha final de seu resultado. 

Bematech (BEMA3, R$ 7,73, -0,90%)
As ações da Bematech fecharam em queda nesta quarta-feira após chegarem a alta de 3,6% em sua máxima intradiária. A companhia registrou receita líquida de R$ 110,7 milhões no período, crescimento de 15,1% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, enquanto o lucro líquido passou de R$ 13,9 milhões para R$ 15,3 milhões, crescimento de 13,7% na mesma base de comparação.  

 

Contato