Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa ameniza ganhos após Petrobras virar para queda; Datafolha no radar

Corrida eleitoral e vencimento de opções sobre ações dão o tom na Bolsa hoje; em pesquisa Datafolha, Marina aparece à frente de Dilma no 2° turno

Ibovespa
(Divulgação)

SÃO PAULO - Assim como ocorreu na última sexta-feira, o "efeito Marina" voltou a puxar o Ibovespa na abertura desta sessão. A euforia, no entanto, não durou muito, com as ações "pesos-pesados" da Petrobras (PETR3, R$ 18,83, -0,05%; PETR4, R$ 20,02, -0,20%) virando para o negativo passado cerca de uma hora de negociação na Bolsa. Outra estatal que também subia hoje - a Eletrobras (ELET3, R$ 6,85, +0,44%; ELET6, R$ 10,99, +1,01%) -, próximo de 2%, minimizou a alta nesta sessão. 

O mercado digere uma pesquisa eleitoral do Datafolha - a primeira com Marina (PSB) substituindo Eduardo Campos -, que mostrou a possível candidata à frente de Dilma Rousseff no 2° turno. Em meio a esse cenário político, o Ibovespa avançava 0,25% às 11h45 (horário de Brasília), a 57.105 pontos.

O otimismo do mercado segue pesquisa Datafolha, divulgada nesta segunda-feira, que mostrou Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Marina (PSB), com 21%, e Aécio Neves (PSDB), com 20%. Essa é a primeira pesquisa que inclui Marina como substituta de Eduardo Campos (PSB).

Na simulação de um segundo turno, Marina, que deve ser apresentada oficialmente como presidenciável do PSB na quarta-feira, está numericamente à frente da presidente, com 47% de apoio, ante 43% de Dilma. Ainda que a diferença seja de quatro pontos porcentuais, as duas estão tecnicamente empatadas nos limites máximos da margem de erro de 2 pontos porcentuais para cima ou para baixo. 

"Com Marina na disputa, parece consolidar-se o segundo turno. Mais do que isso, ela se mostra até mais forte do que Aécio num eventual segundo turno", apontou a Guide Investimentos. Neste cenário, a maior perdedora é Dilma Rousseff, disse a XP Investimentos. 

Destaques da Bolsa
Do lado positivo, destaque para as ações da TIM (TIMP3), que sobem forte após notícia de que a Telecom Italia, dona da operadora brasileira, está preparando uma oferta de até 7 bilhões de euros (US$ 9,4 bilhões), para ultrapassar a proposta da espanhola Telefónica, na corrida para adquirir a GVT, unidade brasileira da Vivendi, de acordo com uma reportagem da Bloomberg neste domingo. 

Aparecia entre as maiores altas do Ibovespa também as ações do JBS (JBSS3, R$ 9,25, +2,78%). Segundo operadores do mercado, o Deutsche Bank elevou a recomendação dos papéis do frigorífico de manutenção para compra. Por outro lado, lideravam as perdas os papéis da Cemig (CMIG4, R$ 19,25, -1,03%), Estácio (ESTC3, R$ 27,56, -0,90%) e Usiminas (USIM5, R$ 8,13, -0,85%). 

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 TIMP3 TIM PART S/A ON 11,26 +3,02
 JBSS3 JBS ON 9,23 +2,56
 SBSP3 SABESP ON 20,49 +2,50
 CCRO3 CCR SA ON 18,29 +1,78
 BVMF3 BMFBOVESPA ON ED 12,88 +1,58

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 CMIG4 CEMIG PN 19,25 -1,03
 USIM5 USIMINAS PNA 8,12 -0,98
 ESTC3 ESTACIO PART ON 27,56 -0,90
 QUAL3 QUALICORP ON 27,92 -0,82
 PETR3 PETROBRAS ON 18,69 -0,80
 


Focus vê PIB em 0,79% em 2014
Além do cenário político, o mercado ficará de olho no Focus. A expectativa de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014 diminuiu para 0,79%, ante 0,81% da semana anterior - esta é a 12ª semana consecutiva que os economistas diminuem as estimativas para o crescimento da atividade econômica brasileira. Em relação à inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2014, os economistas diminuíram a projeção para 6,25%, ante 6,26%, e continuou abaixo do teto da meta.

O cenário internacional também é positivo. Os principais índices acionários do mundo iniciaram a segunda-feira em alta, após um alívio nas tensões geopolíticas. Além disso, as bolsas asiáticas seguem o movimento positivo dos benchmarks norte-americanos e atingiram seu maior nível em 8 meses, ofuscando dados de moradias abaixo do esperado.

 

Contato