Em mercados / acoes-e-indices

10 ações para monitorar na abertura da Bovespa nesta segunda-feira

Cenário político deve continuar roubando a atenção do mercado e estatais devem reagir nesta sessão

Petrobras - Plataforma P-56
(Agência Petrobras)

SÃO PAULO - Em meio a um cenário político movimentado após a divulgação da pesquisa eleitoral Datafolha nesta segunda-feira, 8 ações devem agitar a Bovespa já na abertura do pregão. Entre os destaques, as estatais - Petrobras (PETR3, PETR4), Eletrobras (ELET3, ELET6) e Banco do Brasil (BBAS3), devem reagir à pesquisa.

No primeiro turno, Marina Silva, provável substituta de Eduardo Campos como presidenciável do PSB, soma 21% de apoio, tecnicamente empatada com o candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, que possui 20% da intenções de voto. Dilma manteve a dianteira com 36%. 

Na simulação de um segundo turno, Marina está numericamente à frente da presidente, com 47% de apoio, ante 43% de Dilma. Ainda que a diferença seja de quatro pontos porcentuais, as duas estão tecnicamente empatadas nos limites máximos da margem de erro de 2 pontos porcentuais para cima ou para baixo. 

Vale mencionar que as estatais e os bancos foram as companhias que "sofreram" na Bolsa com o rali eleitoral. Lá fora, os ADRs (American Depositary Receipts) já apresentam forte valorização de 3,03% na Bolsa de Nova York, segundo cotação das 9h35 (horário de Brasília). 

TIM
A Telecom Italia, dona da TIM (TIMP3), está preparando uma oferta de até 7 bilhões de euros (US$ 9,4 bilhões), para ultrapassar a proposta da espanhola Telefónica, na corrida para adquirir a GVT, unidade brasileira da Vivendi, de acordo com uma reportagem da Bloomberg neste domingo. 

A reportagem, citando pessoas anônimas com conhecimento do plano, disse que a Vivendi teria 20% da Telecom Italia e uma participação na unidade que combinaria as duas filiais brasileiras.

CSN
A Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) aprovou o compromisso de investimentos de R$ 2,5 bilhões no projeto Tecar em troca de uma prorrogação do contrato por 25 anos. A agência afirmou que as obras de ampliação do terminal, onde a CSN (CSNA3) escoa o minério de ferro com destino a outros continentes, vão gerar 1,7 mil empregos diretos e duplicar a capacidade das instalações para 60 milhões de toneladas anuais. Conforme informações do último balanço da CSN, a expansão do terminal começou a ser executada em 2009 e já recebeu aportes de R$ 410 milhões, com conclusão prevista para 2016.

Santos Brasil
A Antaq aprovou também o projeto de ampliação do Tecon Santos, da Santos Brasil (STBP11), que prevê investimentos de R$ 1,2 bilhão até 2018. Duas intervenções estão programadas: prolongamento do cais de atracação dos atuais 980 para 1.200 metros e aumento da profundidade dos berços de 13 para 15 metros. Além do montante de R$ 1,2 bilhão que será desembolsado inicialmente, serão investidos mais R$ 1,9 bilhão até 2044 - quando será preciso rediscutir o contrato. Vale mencionar que na sessão da última sexta-feira (15) os papéis da companhia subiram 4,78%. 

Dufry
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a operação de compra da suíça Nuance pela companhia de varejo aeroportuário Dufry (DAGB33), segundo despacho publicado na edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União.

A Dufry anunciou acordo para comprar a Nuance por 1,55 bilhão de francos suíços (1,7 bilhão de dólares) no início de junho, ampliando sua presença na Ásia e solidificando sua posição como a maior varejista aeroportuária do mundo à frente do DFS Group, de Hong Kong.

MMX
A mineradora MMX (MMXM3) ficou de fora da segunda prévia do Ibovespa, enquanto outras alterações indicadas na primeira prévia foram mantidas, como a saída do papel da companhia do setor imobiliário Brookfield Incorporações (BISA3) e a entrada da ação da fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo (POMO4).

A segunda prévia foi divulgada pela Agência Bovespa na manhã desta segunda-feira.

 

Contato