Em mercados / acoes-e-indices

Entre Copa, Fomc e eleições, Ibovespa alcança 2ª semana positiva; BB sobe 7%

Sem grandes mudanças de fundamentos, índice repercute possível queda de Dilma após fracasso da seleção brasileira e indicadores favoráveis

SÃO PAULO - Bem ou mal, o importante é vencer. Uma das máximas mais conhecidas do mundo do futebol parece começar a fazer cada vez mais sentido no mercado de ações brasileiro. Nesta sexta-feira (11), o Ibovespa fechou sua segunda semana de alta mesmo sem grandes mudanças de fundamentos, segundo analistas. Entre 7 e 11 de julho, o benchmark da bolsa brasileira acumulou ganhos de 1,35%, a 54.785 pontos, acompanhando novamente especulações eleitorais, com o rali de ações de peso roubando a cena.

O movimento positivo se deve, sobretudo, ao pregão da última quinta-feira, quando os investidores aproveitaram a volta do feriado para especular sobre os efeitos políticos da histórica derrota por 7 a 1 da seleção brasileira para os alemães, pelas semifinais da Copa do Mundo. Dando continuidade ao otimismo da véspera, a sexta-feira também marcou ganhos na Bolsa, com o índice marcando alta de 0,35% e volume financeiro de R$ 4,78 bilhões.

Para o assessor de investimentos da Monte Bravo Investimentos, Bruno Madruga, o período marcou mais uma vez um movimento muito mais político do que de fundamentos sólidos das empresas na Bovespa. “Os investidores estão especulando sobre o fato de o governo ter utilizado a Copa para fazer propaganda e a seleção brasileira ter caído desta forma”, observou.

Vale lembrar que o mercado tem repercutido com euforia cada fator que possa indicar uma perda de espaço da presidente Dilma Rousseff na corrida eleitoral. Na semana que vem, a pesquisa Sensus deve dar mais informações sobre o humor dos eleitores brasileiros, além de outros possíveis efeitos da Copa nas urnas. Alguns especialistas dizem que uma parcela significativa do mercado espera por uma queda da candidata petista após a alta de 4 pontos percentuais apresentada pelo último Datafolha.

Madruga ainda lembra outros dois fatores que podem ter ajudado a alimentar a euforia dos investidores no Brasil: a ata da última reunião do Fomc (Federal Open Market Committee) e a reafirmação do rating soberano brasileiro feito pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s.

Do lado do primeiro, o assessor de investimentos ressalta a postura conservadora do Federal Reserve na manutenção dos juros baixos por mais tempo e efeitos do fim da política de estímulos. “Retirando os estímulos da economia americana, lá pode dar uma estabilizada por conta das fortes altas nos últimos dias. Isso também pode voltar a tornar a Bovespa atraente”, observou Madruga.

Já o segundo pode refletir uma observação de maior estabilidade do quadro da economia brasileira. Apesar de o fator já ter sido em grande parte precificado pelos investidores, também pode ter influenciado o otimismo na Bovespa.

Destaques do pregão
Com o cenário eleitoral voltando a roubar a cena, as ações das estatais Petrobras (PETR3, R$ 17,00, +0,12%; PETR4, R$ 18,28, +0,94%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 26,28, +0,08%), e bancos, sobretudo Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 33,17, -0,09%) e Bradesco (BBDC3, R$ 34,23, +0,15%; BBDC4, R$ 33,20, +0,61%), já começam a atrair a atenção dos investidores.

Para a semana que vem, com as pesquisas eleitorais, espera-se ainda mais volatilidade para as ações destas categorias. Vale destacar que os papéis do banco estatal registraram o segundo melhor desempenho da semana, com alta de 6,79% no período.

Já a Vale (VALE3, R$ 30,70, -0,32%; VALE5, R$ 27,60, -0,43%) informou que divulgará o relatório de desempenho financeiro na quinta-feira, dia 31 de julho, às 6h da manhã (horário de Brasília), e o relatório de produção uma semana antes, no dia 24 de julho, antes da abertura dos mercados.

Enquanto isso, as ações da Oi (OIBR4, R$ 1,61, +13,38%) fecharam com fortes ganhos nesta sessão, após chegarem a cair mais de 14% na véspera. O movimento se deve à notícia de que o BC de Portugal afirmou em comunicado que "levando em conta informações divulgadas pelo BES, eles têm capital suficiente para acomodar possíveis impactos negativos de sua reconhecida exposição ao braço não financeiro do Grupo Espírito Santo sem comprometer as exigências mínimas de compulsório".

Enquanto isso, as ações da Gol (GOLL4, R$ 13,45, +3,78%), após liderarem os ganhos do Ibovespa ontem e devolverem parte da alta de 7% no início da sessão, voltaram a fecharm com ganhos expressivos. Ontem, o Raymond James elevou a recomendação das ações da empresa para outperform (desempenho acima da média). De acordo com eles, os resultados da companhia devem melhorar no segundo semestre ao passo que os "ventos contrários do câmbio diminuem", lembrando que a Gol é diretamente influenciada com a alta do câmbio.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 OIBR4 OI PN 1,61 +13,38 -55,15 206,77M
 GOLL4 GOL PN N2 13,45 +3,78 +28,34 26,43M
 BISA3 BROOKFIELD ON 1,49 +3,47 +29,57 9,06M
 BRML3 BR MALLS PAR ON 18,99 +2,76 +13,23 26,00M
 CPLE6 COPEL PNB 34,81 +2,38 +17,27 24,49M

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CMIG4 CEMIG PN 17,67 -2,11 +52,63 72,96M
 SUZB5 SUZANO PAPEL PNA 8,60 -1,49 -5,42 25,21M
 GFSA3 GAFISA ON 3,49 -1,41 +1,12 10,74M
 MRVE3 MRV ON 7,27 -1,09 -9,90 17,54M
 ELET3 ELETROBRAS ON 6,29 -0,94 +12,95 7,76M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN 18,28 +0,94 376,12M 498,48M 30.127 
 VALE5 VALE PNA 27,60 -0,43 363,71M 294,26M 25.776 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN ED 33,17 -0,09 277,60M 272,17M 18.794 
 OIBR4 OI PN 1,61 +13,38 206,77M 96,11M 18.837 
 PETR3 PETROBRAS ON 17,00 +0,12 188,15M 156,44M 14.417 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 33,20 +0,61 182,50M 202,11M 12.491 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 15,70 +0,19 157,50M 150,47M 17.148 
 KROT3 KROTON ON ED 60,90 +1,18 156,90M 135,21M 10.610 
 BRFS3 BRF SA ON EJ 55,05 +0,27 127,27M 88,32M 6.379 
 BBAS3 BRASIL ON 26,28 +0,08 102,12M 144,30M 13.218 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão) 

Destaques internacionais e dólar
Nesta sexta-feira, as principais referências foram novamente na Europa, onde investidores reduziram exposição aos bancos, em reação às crescentes preocupações com a maior instituição financeira listada em Portugal, o Banco Espírito Santo, levando as bolsas do continente a atingir a mínima em dois meses. Foi a pior semana desde abril, mesmo com os leves ganhos desta sessão, após o Banco Central português e o primeiro-ministro do país garantirem aos investidores de que os problemas na família fundadora do BES não comprometem a estabilidade do sistema financeiro e os depósitos do banco.

Nos Estados Unidos, chamam atenção os discursos de dois presidentes regionais do Fed – Charles Evans e Dennis Lockhart, representantes da autoridade monetária do país em Chicago e Atlanta, respectivamente. Na maior economia do mundo, os três principais índices acionários terminaram o dia com ganhos inferiores a 0,5%, em leve movimento de recuperação após as perdas dos últimos dias.

Já o dólar operou próximo à estabilidade nesta sessão, marcando perdas de 0,04%, cotado a R$ 2,2215 na venda. No entanto, na semana, a moeda americana acumulou ganhos de 0,45%, mas ainda ficou em sua banda tradicional dos últimos meses, entre R$ 2,20 e 2,25.

Destaques da semana

Massacre: derrota do Brasil para Alemanha quebra 4 recordes de Copa do Mundo
A derrota do Brasil por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo ocorrida na última terça-feira (8) não ficou marcada apenas pelo placar elástico, mas também pela quebra de pelo menos 4 recordes na história do mundial. [Clique aqui para conferir].

Fed pode encerrar QE após reunião de outubro, mostra ata do Fomc
O Federal Reserve pode terminar seu programa de compra de títulos após a reunião de outubro, caso certas condições econômicas sigam positivas, mostrou ata da última reunião do Fomc (Federal Open Market Committee) divulgada na última quarta-feira (9). [Clique aqui para conferir].

Fitch reafirma rating BBB do Brasil com perspectiva estável, mas faz alertas
A agência de classificação de risco Fitch Ratings afirmou a nota soberana do Brasil em BBB na última quinta-feira (10). De acordo com a agência, o rating reflete a sua diversidade econômica, instituições relativamente desenvolvidas e capacidade forte de absorção de choques. [Clique aqui para conferir]

Instituto Sensus realizará nova pesquisa eleitoral a ser divulgada na próxima semana
O instituto Sensus realizará nova pesquisa eleitoral a ser divulgada na próxima semana, conforme o registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) realizado nesta semana. A pesquisa será feita entre os dias 12 e 15 de julho com 2 mil eleitores de cinco regiões em 24 estados e 136 municípios. [Clique aqui para conferir].

Como o drama de um banco português está afundando a ação da Oi na Bolsa?
As ações da Oi vivem seu inferno astral na Bolsa desde que a Portugal Telecom decidiu fazer um investimento de 897 milhões de euros feito em dívidas da RioForte do Grupo Espírito Santo (GES), cuja divisão não-financeira passa por dificuldades e que, por sua vez, é dono de 10,05% da operadora portuguesa. [Clique aqui para conferir].

 

Contato