Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa registra alta com "alívio chinês", mas Focus negativo segue no radar

Dados do PMI industrial da China mostraram que a atividade do setor atingiu a máxima em cinco meses e ajudam Vale e siderúrgicas a subir; já Focus reduziu projeção para PIB e Selic

SÃO PAULO - O Ibovespa registra ganhos na sessão desta segunda-feira (2), com o mercado repercutindo positivamente os dados da China, e em um movimento de leve recuperação após despencar 1,91% na última sessão em meio ao PIB desanimador e expectativas com China. O índice registra, às 10h24 (horário de Brasília), alta de 0,56%, a 51.523 pontos. 

O índice chinês subiu para 50,8 em maio ante 50,4 em abril, informou a Agência Nacional de Estatísticas, superando as expectativas do mercado de 50,6.

"A leitura do PMI continuou a melhorar em maio, indicando que uma tendência de estabilização econômica está se tornando mais evidente", disse Zhang Liqun, pesquisador do Centro de Pesquisa de Desenvolvimento no comunicado que acompanha os dados.

Em destaque nesta sessão no cenário econômico nacional, está o relatório Focus, que cortou a expectativa de expansão para o PIB de 1,63% na semana anterior para 1,50%, na esteira da divulgação do PIB do primeiro trimestre na última sexta-feira, que desanimou ao mostrar expansão de apenas 0,2% em relação aos últimos três meses de 2013 e levou a uma revisão das expectativas para baixo por diversas instituições financeiras.

Já a expectativa para a taxa básica de juros, a Selic, diminuiu para 11,00% ante 11,25% para o final de 2014, mas foi mantida em 12% para 2015. 

O mercado segue atento ainda aos EUA, com a divulgação dos dados do ISM Index e do Construction Spending referentes aos meses de maio e abril, respectivamente. 

Ações da Vale têm dia de alívio
Em destaque, estão as ações da Vale (VALE3;VALE5), que após caírem cerca de 3% na sexta-feira em meio à queda do preço do minério de ferro, sobem 1,20%. As siderúrgicas também têm um dia de ganhos, caso da CSN (CSNA3, R$ 8,70, +1,28%), Usiminas (USIM5, R$ 7,94, +0,63%).

Em um dia sem grandes variações para o índice, as ações da Cielo (CIEL3) são uns dos destaques de alta. A companhia de meios de pagamento e a produtora de software para varejo Linx (LINX3) anunciaram nesta segunda-feira acordo para a criação de joint venture voltada ao desenvolvimento e venda de solução de automação comercial e gestão para pequenos varejistas.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, são:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 SANB11 SANTANDER BR UNT EBG N2 15,41 +2,32
 CIEL3 CIELO ON 40,74 +1,77
 BRAP4 BRADESPAR PN 18,90 +1,61
 VIVT4 TELEF BRASIL PN 45,37 +1,39
 VALE3 VALE ON 28,77 +1,30



As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, são:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 ALLL3 ALL AMER LAT ON 7,97 -1,60
 CRUZ3 SOUZA CRUZ ON 22,63 -1,39
 ENBR3 ENERGIAS BR ON 9,29 -1,07
 KROT3 KROTON ON 56,36 -0,90
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N2 11,35 -0,79

Europa e Ásia
Os principais índices acionários mundiais inciaram a segunda-feira em alta, impulsionados por dados econômicos na China e seguindo o movimento de alta do S&P 500, índice norte-americano, que atingiu sua máxima histórica semana passada.

O Nikkei, benchmark Japonês, encerrou a sessão desta segunda-feira em seu maior patamar desde 4 de abril. Em maio, o índice encerrou o mês pela primeira vez no ano com ganhos no acumulado. A exceção do continente foi o índice Shangai Composto que terminou com queda de 0,07%.

Na Europa, os índices também iniciam o dia com alta, apesar de dados divulgados nesta segunda-feira ficarem abaixo do esperado pelo mercado. O PMI da indústria caiu para 52,2 em maio, ante 53,4 no mês anterior e aumentou a expectativa de um afrouxamento na política monetária do BCE (Banco Central Europeu). A reunião acontece na próxima quinta-feira e é amplamente aguardada por investidores no continente.

 

Contato