Em mercados / acoes-e-indices

Acionistas votam hoje em fusão da ALL com Rumo; Santander, Petrobras e mais 6 no radar

Petrobras diz ter melhor resultado na Bacia de Campos em 46 meses; Vale suspende operações em Nova Caledônia por vazamento

ALL logistica
(Divulgação ALL)

SÃO PAULO - A quinta-feira (8) inicia agitada no mercado, em meio a uma série de notícias corporativas e a continuidade da temporada de resultados do primeiro trimestre. O Santander (SANB11) convocou para 9 de junho assembleia para deliberação de sua oferta pública voluntária de units, ações preferenciais e ordinárias para sair do nível 2 da BM&FBovespa. 

A assembleia também deliberará sobre a escolha da instituição que realizará o laudo de avaliação sobre a operação. Os indicados para o laudo de avaliação são Bank of America Merrill Lynch, N M Rotschild & Sons, KPMG e Goldman Sachs. 

No final de abril, o banco anunciou que sua matriz na Espanha vai lançar uma oferta voluntária de aquisição de units no Brasil e nos Estados Unidos envolvendo até a totalidade dos papéis que ainda não detém.

A oferta envolve participação de 25% que o Santander ainda não possui no Santander Brasil, sendo que o prêmio oferecido aos acionistas da instituição é de 20% sobre o fechamento dos papéis na véspera, quando encerraram a sessão cotados a R$ 12,74. A operação será paga com ações do Santander Espanha, sendo que o banco deverá emitir um número máximo de 665 milhões de novos papéis para tanto, equivalentes a € 4,686 bilhões.

Petrobras diz ter melhor resultado na Bacia de Campos em 46 meses
A Petrobras (PETR3; PETR4) informou na véspera que obteve em abril o melhor resultado operacional dos últimos 46 meses na Bacia de Campos, de onde vem 75% da produção brasileira de petróleo. 
O índice de eficiência operacional da Petrobras - relação entre o que se produz num determinado dia e quanto seria o potencial em condições ótimas - atingiu 80,6% no mês passado. 

"No período (dos últimos 46 meses) é a primeira vez que o índice volta a casa dos 80 por cento, demonstrando a consistência das ações implementadas pela companhia", afirmou a empresa, referindo-se a um programa específico para melhorar a eficiência operacional. O resultado em Campos, onde se concentra a maior parte da produção da estatal, pode projetar um bom resultado para a extração de abril, cujos números ainda não foram divulgados.

ALL realiza hoje assembleia para decidir fusão com Rumo
A ALL (ALLL3) realiza hoje, em Curitiba (PR), assembleia geral extraordinária com seus acionistas para votar sobre a fusão com a Rumo - braço de logística do grupo Cosan (CSAN3). Além da incorporação, os acionistas votarão também sobre o cancelamento das ações de emissão da companhia mantidas em tesouraria, com consequente alteração no Estatuto Social da empresa, sem redução do capital social. 

Vale suspende operações em Nova Caledônia por vazamento
A mineradora Vale (VALE3VALE5) informou nesta quinta-feira que suspendeu o processamento e a mineração em suas operações de níquel em Nova Caledônia devido a um vazamento.

A companhia está suspendendo suas operações de mineração e equipamentos, e trabalha para limitar danos causados pelo vazamento, segundo um porta-voz e um comunicado à imprensa.

A mineradora está aguardando a posição do governo local sobre quando poderá retomar suas operações, disse um porta-voz. A mina em Nova Caledônia estava fechada por um feriado nesta quinta-feira.

A presidente da província do Sul de Nova Caledônia, Cynthia Ligeard, ordenou uma paralisação imediata das operações devido a um vazamento de efluentes contendo algum ácido, segundo relato da Radio New Zealand International.

Ex-sócia da Vale entra com ação legal contra Guiné
A BSG Resources, braço de mineração do conglomerado do magnata israelense Beny Steinmetz, anunciou ter iniciado uma ação legal para que Guiné retire a suspensão da empresa à extração de minério de ferro nas montanhas de Simandou. Uma porta-voz do governo disse que até o momento o governo não foi notificado.

A companhia é acusada de obter os direitos na área que abriga uma concessão de minério de ferro de 600 quilômetros quadrados por meio de práticas corruptas. Na semana passada, a Rio Tinto entrou com um processo em Nova York contra a BSG Resources, Steinmetz e a Vale, alegando que eles conspiraram para roubar metade dos direitos da companhia em Simandou.

A Vale era sócia da BSG Resources no projeto e, portanto, também teve o direito de exploração suspenso, mas a empresa alega que qualquer falha no contrato ocorreu antes do envolvimento no projeto. Em 2010 a brasileira pagou US$ 2,5 bilhões à BSG Resources por uma participação de 51% na exploração.

S&P eleva perspectiva de nota da Usiminas
A agência de classificação de risco Standard & Poor's revisou a perspectiva dos ratings de crédito da Usiminas (USIM3USIM5) de negativa para estável, além de reafirmar os ratings BB+ na escala global e brAA+ na escala nacional.

A alteração reflete a melhora no desempenho operacional da Usiminas, aponta a agência, assim como o fortalecimento das métricas de crédito em 2014 e 2015. A agência destacou ainda esperar que "as principais forças propulsoras por detrás da melhora no desempenho da Usiminas prossigam, visto que a estrutura de custo da empresa deverá continuar se beneficiando dos custos mais baixos da matéria-prima (carvão, minério de ferro, etc.), de um real mais desvalorizado e de ganhos de eficiência provenientes das iniciativas de redução de custos da empresa".

Anhanguera projeta lucro de R$ 240 milhões em 2014
Após divulgar seu resultado do primeiro trimestre, a Anhanguera (AEDU3) informou na noite da véspera que espera um crescimento de 15% em sua receita líquida em 2014 quando comparada a 2013, com um Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 450 milhões e lucro líquido de R$ 240 milhões.

Renar Maçãs anuncia balanço da safra 2013/2014
A Renar Maçãs (RNAR3) anunciou nesta manhã o fechamento da colheita da safra 2013/2014, que trouxe produtividade e qualidade recordes para a companhia. A produção total da safra atingiu 38,8 mil toneladas, crescimento de 20,7% quando comparada a safra de 2012/2013. A produtividade média ficou em 51 tonelada por hectare, contra 38 tonelada por hectare na safra anterior.

Em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a empresa disse que o clima, embora tenha apresentado variações ao longo do ciclo produtivo, não afetou significativamente a produção, uma vez que nos momentos mais delicados da cultura (período de floração), não houve déficit hídrico ou temperaturas extremas. 

QGEP vê lucro cair 61,8% no trimestre
A Queiroz Galvão (QGEP3) divulgou seu resultado do primeiro trimestre nesta manhã. A companhia viu seu lucro líquido recuar 61,8% no período, indo para R$ 25,1 milhões, enquanto a receita líquida caiu 3,5%, passando de R$ 131,9 milhões para R$ 127,3 milhões. A empresa informou que a produção média diária de gás no Campo de Manati atingiu 6 milhões de metros cúbicos entre os meses de janeiro e março.

Novo presidente do conselho da JSL
A JSL (JSLG3) nomeou Adalberto Calil para a presidência do conselho de administração da companhia, conforme ata de assembleia da última quarta-feira. Calil é membro do conselho desde 26 de abril de 2013 e irá substituir no cargo Fernando Simões, diretor-presidente da JSL. 

(Com Reuters e Agência Estado)

 

Contato