Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa descola do exterior tem pior pregão desde fevereiro; Petrobras cai 3,5%

Índice cai 2,2%, com tensões na China e Ucrânia ofuscando discurso otimista da Pimco; proximidade de vencimento de opções gera volatilidade

painel com cotações
(Divulgação)

SÃO PAULO - O otimismo não voltou à Bovespa. Nesta terça-feira (15), o Ibovespa chegou à sua 5ª queda em 6 pregões, ao terminar o dia com perdas de 2,21% - maior queda desde 3 de fevereiro -, a 50.454 pontos. Com tensões sobre Rússia e China, mais uma vez, o índice se descolou das altas em Wall Street um dia antes do vencimento de opções. Nem mesmo a mudança de perspectiva da maior gestora dos emergentes sobre a economia brasileira animou os investidores. O giro financeiro negociado na Bovespa foi de R$ 7,19 bilhões, acima da média de R$ 6,64 dos últimos 21 pregões.

A Pimco, que administra o maior fundo de bonds do mundo, está mais otimista com o mercado brasileiro. Após uma viagem ao País, Mark Kiesel, vice-diretor de investimentos da gestora, destacou que os rendimentos ajustados pela inflação estão entre os maiores do mundo e esta é uma boa vantagem para os investimentos na economia verde-amarela.

"A equipe global de crédito está mais otimista com o Brasil, uma mudança significativa em relação aos últimos anos", destacou Kiesel em relatório. "Nossa principal conclusão foi de que o sentimento era tão negativo que os mercados tinham provavelmente 'exagerado' e poderia melhorar em relação aos níveis de baixa, uma vez que o valor relativo finalmente se tornaria atraente".

No entanto, nada disso foi suficiente para impulsionar ganhos na Bovespa. Só o Ibovespa viu 67 das suas 72 ações fecharem o dia em queda, ainda assim em movimento mais ameno que o visto no intraday, quando o benchmark chegou a recuar 3,31%. Entre os principais destaques de queda, aparecem novamente as ações das imobiliárias, juntamente com as blue chips Petrobras (PETR3, R$ 14,83, -3,45%PETR4, R$ 15,32, -3,83%), Vale (VALE3, R$ 30,94, -3,29%; VALE5, R$ 27,87, -4,62%) bem como siderúrgicas e bancos. Apenas 3 ações terminaram o dia com ganhos superiores a 1%: as elétricas CPFL Energia (CPFE3, R$ 19,88, +3,43%) e Tractebel (TBLE3, R$ 34,02, +1,04%), após as recentes perdas com mais especulações sobre o risco-apagão, além da Suzano (SUZB5, R$ 8,04, +2,16%), grande beneficiada com a elevação do dólar.

Dólar e Wall Street
Acompanhando a onda de pessimismo na bolsa, o dólar subiu 1,08% ante o real, a R$ 2,2385 na venda.

Já nos EUA, o dia foi de ganhos. Na maior economia do mundo, os três principais índices acionários fecharam com ganhos entre 0,3% (Nasdaq) e 0,7% (S&P500). No noticiário, vale destacar a fala da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, que afirmou que a autoridade monetária está considerando adotar mais medidas para lidar com os riscos remanescentes à estabilidade financeira nos mercados de financiamento de atacado de curto prazo.

Do lado macroeconômico global, o mercado seguiu de olho na crise da Ucrânia: a Rússia declarou nesta data que o país vizinho está à beira de uma guerra civil enquanto Kiev disse que lançou uma "operação antiterrorista" contra os separatistas pró-Moscou. Tropas e veículos blindados estão posicionados em uma cidade do leste. A desaceleração da economia chinesa também voltou a preocupar.

China pressiona Vale
Três motivos fizeram com que as ações da Vale registrassem fortes perdas: China, data ex-proventos dos ativos e a antecipação dos investidores ao vencimento de opções. O gigante asiático não animou, ao mostrar que a sua base monetária cresceu em seu ritmo mais fraco desde de maio de 2001, sinalizando novamente um enfraquecimento da economia do gigante asiático. A base monetária M2 cresceu 12,1% no mês passado em relação ao mesmo período no ano anterior, ante estimativas do mercado de 13%.

Ainda nesta terça-feira, o PIB (Produto Interno Bruto) do primeiro trimestre, vendas no varejo de março, produção industrial e os investimentos em ativos fixos na China, serão divulgados. Com isso, as ações de mineradoras e siderúrgicas também tiveram um dia de queda na bolsa brasileira, em um movimento de cautela.

Ainda no noticiário da Vale, cabe ressaltar que o conselho de administração da companhia aprovou na segunda-feira o pagamento da primeira das duas parcelas da remuneração mínima aos acionistas em 2014. O pagamento será feito sob forma de juros sobre capital próprio no valor de R$ 4,632 bilhões - ou R$ 0,898904129 por ação ordinária ou preferencial -, sendo pago a partir de 30 de abril, informa a mineradora em fato relevante.

Ações da Petrobras caem; Graça Foster fala ao Senado
As ações da Petrobras também terminaram em forte queda, após uma manhã volátil. Nesta sessão, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, participou de audiência pública conjunta da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) e CMA (Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle) do Senado sobre o escândalo envolvendo a refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

A presidente da estatal destacou que o resumo executivo sobre a compra da refinaria de Pasadena não continha a cláusula de put option nem a de Marlim, mas minimizou a importância da refinaria, destacando que é apenas um dos negócios da Petrobras.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 OIBR4 OI PN 2,51 -11,93 -30,08 85,79M
 DTEX3 DURATEX ON 10,97 -5,68 -16,58 40,05M
 MRFG3 MARFRIG ON 4,18 -5,64 +4,50 28,40M
 DASA3 DASA ON 13,61 -4,89 -6,52 4,21M
 VALE5 VALE PNA EJ 27,87 -4,62 -14,85 785,38M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CPFE3 CPFL ENERGIA ON 19,88 +3,43 +4,14 59,14M
 SUZB5 SUZANO PAPEL PNA 8,04 +2,16 -12,99 41,73M
 TBLE3 TRACTEBEL ON 34,02 +1,04 -5,34 49,18M
 BBSE3 BBSEGURIDADE ON 26,20 +0,92 +9,59 149,15M
 BISA3 BROOKFIELD ON 1,46 +0,69 +26,96 10,54M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 VALE5 VALE PNA EJ 27,87 -4,62 785,38M 451,84M 41.309 
 PETR4 PETROBRAS PN 15,32 -3,83 553,72M 649,24M 45.858 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN 34,05 -2,41 356,68M 391,37M 23.953 
 BBDC4 BRADESCO PN 32,45 -0,95 237,48M 333,91M 23.259 
 VALE3 VALE ON EJ 30,94 -3,29 221,44M 172,55M 22.034 
 PETR3 PETROBRAS ON 14,83 -3,45 206,17M 210,64M 28.850 
 CIEL3 CIELO ON 36,57 -0,65 156,20M 93,18M 10.944 
 BBAS3 BRASIL ON 23,17 -1,28 153,53M 183,54M 21.056 
 BBSE3 BBSEGURIDADE ON 26,20 +0,92 149,15M 166,81M 20.220 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 17,34 -0,17 143,40M 176,21M 21.670 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão) 

Outros destaques
Investidores seguiram atentos às tensões que aumentam cada vez mais envolvendo Ucrânia e Rússia. Separatistas pró-Rússia invadiram mais prédios do governo ucraniano na última segunda-feira (13). O prazo estabelecido pelo presidente da Ucrânia aos separatistas para abandonarem as instalações invadidas se esgotou. O pano de fundo geopolítico tenso na Ucrânia manteve os investidores em alerta, o que também minou o apetite por risco.

As ações no continente europeu voltaram a fechar em queda nesta terça-feira. Dados econômicos no continente, divulgados nesta terça mostraram que a inflação no Reino Unido caiu para seu menor patamar em quatro anos. O índice de preços ao consumidor subiu para 1,6%. Na Alemanha, o índice de sentimento econômico ZEW atingiu seu maior nível desde julho de 2011.

 

Contato