Em mercados / acoes-e-indices

Mais de 60 ações do Ibovespa sobem; 10 empresas reagem ao resultado

Gafisa e Vale sobem após balanço; Cosan recua; MMX dispara após concluir venda de fatia do Porto Sudeste

painel com cotações
(Divulgação)

SÃO PAULO - O bom humor impera no mercado nesta quinta-feira (27), com os investidores digerindo os números melhores do que o esperado do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e a temporada de balanços do quarto trimestre. Das 72 ações do Ibovespa 65 operavam em alta às 15h00 (horário de Brasília). 

Na ponta positiva do índice apareciam as ações da Marfrig (MRFG3, +6,56%, R$ 4,06), Eletrobras (ELET3, +5,71%, R$ 5,00; ELET6, +4,37%, R$ 9,07) e Gafisa (GFSA3, +5,43%, R$ 3,30). Do lado negativo, figuravam apenas sete papéis, liderados por Cosan (CSAN3, -1,87%, R$ 35,22), Fibria (FIBR3, -1,54%, R$ 25,00) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4, -0,98%, R$ 18,22). 

Prejuízo não assusta e Vale sobe forte
O grande destaque do dia, no entanto, ficava com a Vale (VALE3, +2,64%, R$ 33,38; VALE5, +2,07%, R$ 29,62), que sobe após a divulgação do resultado. A mineradora registrou um prejuízo líquido de R$ 14,86 bilhões no quarto trimestre, o dobro do que projetavam os analistas consultados pela InfoMoney. No mesmo período do ano anterior, a companhia teve um prejuízo líquido de R$ 5,628 bilhões.

Apesar deste número intimidar primeiramente, o mercado não se assustou com estes números, conforme aponta a equipe de análise da XP Investimentos. Isso porque, excluídos os efeitos não recorrentes, o seu lucro ficou praticamente em linha com o esperado. Excluídos estes efeitos, a companhia revelou um lucro básico de R$ 7,401 bilhões, acima dos R$ 4,10 bilhões registrados no mesmo período de 2012. 

Petrobras busca recuperação após queda brusca
As ações de outra "peso-pesado" da bolsa também chamam atenção. Depois de despencar na véspera, alcançando seu pior fechamento desde novembro de 2008, por conta do resultado do quarto trimestre, os papéis da petroleira mostram ligeira recuperação nesta sessão. As ações ordinárias sobem 0,78%, a R$ 13,00, enquanto as preferenciais avançam 0,88%, a R$ 13,80. Juntas, elas representam 11,155% da carteira do Ibovespa. 

Gafisa dispara após balanço; Cosan recua
Além disso, entre as empresas do Ibovespa, também sobem por conta do resultado do quarto trimestre neste pregão as ações da Gafisa (GFSA3, +4,79%, R$ 3,28), enquanto os papéis da Cosan (CSAN3, -1,14%, R$ 35,48) recuam.

A incorporadora teve lucro líquido de R$ 921,3 milhões no quarto trimestre do ano passado, ante prejuízo de R$ 101,4 milhões um ano antes, por conta de um forte aumento das receitas no período. Já a Cosan apresentou lucro líquido de R$ 229,8 milhões no quarto trimestre, queda de 32,3% ante igual período do ano anterior. 

Fora do índice, mais 7 empresas divulgaram seus números. Em reflexo, as ações da Paranapanema (PMAM3, +3,45%, R$ 3,60), Sonae Sierra (SSBR3, +2,38%, R$ 15,92), Equatorial (EQTL3, +0,50%, R$ 20,14), SulAmérica (SULA11, +1,74%, R$ 14,65), Tecnisa (TCSA3, +0,81%, R$ 7,44) sobem, enquanto os papéis da Providência (PRVI3, -2,32%, R$ 8,00), Queiroz Galvão (QGEP3, -2,62%, R$ 8,18) registram desvalorizações. Para conferir os números, clique aqui

Outros destaques:

Anhanguera
As ações da Anhanguera (AEDU3) viraram para o positivo e registram valorização de 0,63%, a R$ 12,85, depois de terem caído 3,76%, a R$ 12,29. Segundo apurou a Exame, a Kroton (KROT3, +0,81%, R$ 43,55) quer renegociar com a Anhanguera a relação de troca das ações. O motivo para isso é a diferença no desempenho das ações das duas empresas desde o anúncio da fusão. Enquanto a Kroton valorizou 73%, a Anhanguera perdeu 3%. 

MMX
Quase cinco meses depois de anunciada, a MMX Mineração (MMXM3), de Eike Batista, informou via fato relevante enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nesta manhã que concluiu a venda de fatia do Porto Sudeste para a trading holandesa Trafigura e Mubadala, empresa de investimentos e desenvolvimento de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A notícia foi muito bem recebida pelos investidores. Com isso, os papéis da MMX registram valorização de 8,25%, valendo R$ 3,28.

 

Contato