Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa azeda após prévia de dados de emprego nos EUA

Índice abriu com ganhos, mas logo passou a cair em meio à expectativa com a divulgação de indicadores nos EUA e dado negativo do PMI de serviços brasileiro; ALL e elétricas em destaque

SÃO PAULO - Após registrar ganhos de 1,77% na véspera, o Ibovespa abriu em leve alta na sessão desta quarta-feira (5), mas logo virou para queda. Depois de despencar 3,13% no primeiro pregão da semana reportando os dados ruins da China e dos Estados Unidos e ter um repique na última terça-feira, o benchmark da bolsa registra baixa de 0,77%, às 11h23 (horário de Brasília). O desempenho passou a ficar ainda mais negativo após a divulgação do ADP Employment no final da manhã. 

O humor do mercado permanece sensível e, caso os dados do relatório de emprego nos Estados Unidos se apresentem fracos, a confirmação de uma tendência baixista pode se confirmar . Nesta data, o mercado acompanhou uma espécie de prévia do relatório de emprego, com a divulgação do ADP, que mostrou desaceleração na contratação para 175 mil postos de trabalho em janeiro, levemente abaixo do esperado pelos analistas, o que acentuou a aversão ao risco do mercado.  Chama a atenção ainda o noticiário econômico nacional, com a divulgação dos dados do setor de serviços pelo HSBC, apontando para contração da atividade de serviços do País após quatro meses de avanço. 

No noticiário corporativo, o grande destaque fica mais uma vez para as ações das companhias do setor elétrico, em meio à alta dos preços de energia em decorrência da escassez de chuvas em um cenário de forte demanda por energia. Na véspera, um apagão atingiu onze estados e afetou 6 milhões de pessoas, sendo um sinal de alerta diante do baixo nível de reservatórios e demanda recorde por energia. O dia é misto para os papéis do setor: a Cemig (CMIG4) vê seus papéis registrarem forte baixa, a Copel (CPLE6) vê seus papéis terem queda de 0,97%, enquanto a ação da Cesp (CESP6, R$ 21,93, -0,81%) passou de ganhos para queda, assim como a Eletrobras (ELET3, R$ 4,96, -1,20%).

Também como destaque nesta sessão, de poucas oscilações para o índice, está o BB Seguridade (BBSE3), que registra a maior alta do índice com ganhos de 2,60%, após o Credit Suisse elevar a recomendação para o papel de neutro para outperform (desempenho acima da média do mercado), com preço-alvo de R$ 28,00. Os analistas do banco apontam que, apesar do papel não ser uma barganha, ele é "uma bela opção no momento".

Por fim, chama a atenção ainda os papéis da ALLL (ALLL3, R$ 6,23, -3,41%), que registram uma das maiores baixas após a divulgação de sua prévia operacional, que mostrou elevação do lucro operacional de 2% no quarto trimestre, 

Europa e Ásia
O dia é positivo para a maior parte dos índices acionários do mundo, repercutindo as bolsas norte-americanas que fecharam o dia da véspera com altas. Nasdaq, S&P e Dow Jones encerraram a terça-feira com ganhos de 0,86%, 0,76% e 0,47%, respectivamente. 

Na China, os mercados acionários do país continuam fechados por causa do feriado do Ano Novo Lunar, enquanto as outras bolsas do continente tiveram um dia misto. Os dados divulgados no Japão mostraram um aumento no salário anual pelo segundo mês consecutivo em dezembro e animaram os investidores no pregão desta quarta-feira. O principal índice do país, fechou o dia positivo, após atingir seu menor nível desde junho de 2012, com alta de 1,23%. Já em Hong Kong, o índice Hang Seng terminou o pregão com desvalorização de 0,5%.

A agenda econômica nesta quarta-feira (5) promete movimentar os mercados. Dados de empregos do setor privado, o nível da atividade não industrial e o estoque de petróleo nos EUA serão divulgados ainda hoje.

Na Europa, dados mostram que a economia na Zona do Euro se expandiu em seu ritimo mais rápido desde junho de 2011. O PMI (Índice de Gerente de Compras) ficou em 52,9 - sétimo mês consecutivo de crescimento - ante 52,1 no mês de janeiro.

Os resultados animaram os mercados no continente europeu, que após três dias de perdas, se recuperam nesse ínicio de pregão. Na Alemanha, o DAX, tinha ganhos de 0,20% no inicio de pregão. O dia é de alta para o FTSE e CAC, índices de Londres e de Paris, que acumulavam ganhos de 0,41% e 0,34%.

Além disso, os investidores seguem atentos à reunião do Banco Central da Inglaterra e do BCE (Banco Central Europeu) que acontecem na próxima quinta-feira (6) sobre as políticas monetários do país e do continente. 


 

Contato