Em mercados / acoes-e-indices

Surpresa! Ibovespa dispara 400 pontos no final e fecha com alta de 1,27%

Ações da Oi, MMX e LLX fecharam com altas de mais de 20% e Bolsa teve um volume de R$ 9,5 bilhões; no entanto, índice terminou a primeira semana de 2014 em queda

Ibovespa
(Divulgação)

SÃO PAULO - Com uma disparada surpresa de mais de 400 pontos nos minutos finais de pregão, o Ibovespa encerrou esta sexta-feira (3) com alta de 1,27%, a 50.981 pontos, tendo um volume financeiro de R$ 9,5 bilhões - o dobro da média diária dos últimos pregões. Mesmo assim, o benchmark da bolsa brasileira encerrou a primeira semana de 2014 com queda de 0,56%.

Segundo um operador de mercado que pediu para não ser identificado, o movimento de alta nos minutos finais refletiu um fechamento de posição dos investidores que estavam "shorteados" em algumas ações do índice - isto é, posicionados na ponta vendedora, apostando na queda delas. Com a proximidade do final do pregão, estes investidores tiveram que liquidar suas operações - isto é, comprar estas ações - pelo preço que fosse para não terminarem o dia posicionadas. Por conta disso, o leilão de fechamento da da Bovespa, que normalmente termina por volta das 17h15, hoje encerrou às 17h25, segundo informações do site da BM&FBovespa.

Com isso, ações da Oi (OIBR3, R$ 4,46, +27,07%; OIBR4, R$ 4,11, +17,43%), MMX Mineração (MMXM3, R$ 0,85, +27,87%) e LLX Logística (LLXL3, R$ 1,30, +32,65%) tiveram uma disparada impressionante nos minutos finais do pregão, tornando-se dessa forma também as maiores altas do Ibovespa na semana.

Vale mencionar que, a partir de segunda-feira, tanto a ação ON da Oi quanto da MMX não farão mais parte da composição do Ibovespa, além de também os papéis ON da Usiminas (USIM3), B2W (BTOW3), Transmissão Paulista (TRPL4) e Vanguarda Agro (VAGR3), segundo informou a BM&FBovespa nesta sexta. Por outro lado, cinco novas ações farão parte do principal índice da bolsa brasileira neste 1º quadrimestre: Tractebel (TBLE3), Even (EVEN3), BB Seguridade (BBSE3), Ecorodovias (ECOR3), Qualicorp (QUAL3) e Estácio (ESTC3).

Resumo semanal
Em uma semana com apenas três dias úteis, a agenda macroeconômica trouxe importantes PMIs (Purchasing Managers Index) espalhados pelo mundo, com o desempenho da indústria chinesa abaixo das expectativas voltando a pôr o mercado em estado de alerta. Com isso, as ações da Vale (VALE3; VALE5), mineradora altamente dependente do mercado asiático, registraram um forte movimento de baixa nos últimos dois pregões.

Ainda do lado macroeconômico, também chamou atenção do mercado nesta semana a divulgação da balança comercial na véspera, com o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) mostrando o pior superávit comercial anual do país desde 2000, ao marcar superávit de US$ 2,561 bilhões - uma fortíssima queda frente ante o saldo positivo de US$ 19,4 bilhões em 2012 -, mesmo com as manobras polêmicas envolvendo a negociação de plataformas da Petrobras (PETR3; PETR4) às subsidiárias da estatal, que posteriormente serão alugadas à petrolífera – o que, na prática, indica que as plataformas sequer sairão do país ou mudarão de empresa usuária.

Nesta sexta-feira, dando continuidade às sinalizações de deterioração da economia brasileira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou superávit de R$ 73 bilhões do Governo Central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social), também utilizando de mecanismos conhecidos como “contabilidade criativa”.

Nos Estados Unidos, ganhou destaque a fala do presidente do Federal Reserve da Filadéfia, Charles Plosser, que destacou que há muito trabalho pela frente para normalizar a política monetária da autoridade monetária e ressalta que o Federal Reserve sofre uma grande incerteza sobre o ritmo de aperto monetário. Além disso, Plosser alertou que o Fed deve ser mais agressivo para que haja uma maior alta das taxas de juros nos EUA. O dia ainda conta a fala do atual chairman da autoridade monetária americana, Ben Bernanke, em um de seus últimos discursos, marcado para às 17h30 (horário de Brasília), antes de deixar o cargo a ser ocupado por Janet Yellen.

Destaques do pregão
No cenário corporativo, o destaque ficou para os papéis da TIM Participações (TIMP3) que dispararam mais de 10% com a notícia do jornal italiano Il Sole 24 Ore de que a Telefónica, América Móvel, dona da Claro, e Oi (OIBR3; OIBR4) - companhia que também viu seus papéis dispararam nesta sessão - estariam trabalhando em uma oferta conjunta para assumir a empresa. Na bolsa de Milão, as ações da Telecom Italia, controladora da TIM, fecharam com alta de 6,9%.

Segundo o jornal, a operadora de telefonia espanhola busca uma solução para sua participação no mercado de telefonia móvel brasileiro. A Telecom Italia, no entanto, disse desconhecer qualquer oferta pela sua unidade TIM Brasil. "A Telecom Italia... mais uma vez declara que a empresa brasileira é um ativo estratégico", disse o comunicado. Para a equipe de análise da XP Investimentos, caso a notícia seja confirmada posteriormente, é positiva para o setor, mas, principalmente, para as ações da TIM, que seria vendida. Porém, para isso ocorrer, precisa de autorização da Anatel, pois será retirada um competidor do mercado e este será "fatiado" entre os outros concorrentes.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 LLXL3 LLX LOG ON 1,30 +32,65 +20,37 34,85M
 OIBR3 OI ON 4,46 +27,07 +23,55 51,54M
 MMXM3 MMX MINER ON 0,85 +26,87 +21,43 44,21M
 OIBR4 OI PN 4,11 +17,43 +14,48 166,40M
 BISA3 BROOKFIELD ON 1,15 +12,75 0,00 25,86M

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 JBSS3 JBS ON 8,33 -3,14 -5,02 58,29M
 PETR3 PETROBRAS ON 15,34 -3,03 -4,07 248,84M
 VALE3 VALE ON 33,81 -2,87 -5,32 310,62M
 ABEV3 AMBEV S/A ON 16,90 -2,82 -2,42 419,77M
 BRFS3 BRF SA ON EJ 47,18 -2,78 -3,38 291,15M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN EDJ 31,31 -0,67 626,01M 246,78M 21.105 
 VALE5 VALE PNA 31,42 -1,57 440,62M 374,95M 21.695 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 16,90 -2,82 419,77M 125,50M 23.894 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 28,50 -1,48 375,69M 173,25M 22.014 
 VALE3 VALE ON 33,81 -2,87 310,62M 114,48M 15.054 
 BRFS3 BRF SA ON EJ 47,18 -2,78 291,15M 68,21M 11.192 
 PETR4 PETROBRAS PN 16,42 -1,97 291,10M 347,46M 20.082 
 CSNA3 SID NACIONAL ON 14,44 +2,85 265,52M 63,81M 16.680 
 PETR3 PETROBRAS ON 15,34 -3,03 248,84M 124,04M 16.095 
 USIM5 USIMINAS PNA 13,80 +2,83 248,34M 75,54M 19.628 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão) 

Europa e Ásia
Nesta sessão, os mercados acionários asiáticos foram pressionados depois que uma repentina reversão em algumas posições bastantes populares provocou um surto de aversão a risco global. Os vários movimentos pareciam descolados do fluxo de notícias, que eram em grande parte otimistas uma vez que a indústria global encerrou 2013 com força já que Estados Unidos, Japão e Alemanha registraram retomada da demanda.

O ponto fraco foi a China, onde uma medida da atividade de serviços desacelerou em dezembro, assim como a de indústria. O PMI de serviços revelado pela pesquisa do governo atingiu a mínima em quatro meses em dezembro, uma vez que as expectativas de negócios caíram, ao passar de 56 em novembro para 54,6 em dezembro.

Enquanto isso, na Europa, o dia foi de alta nas bolsas, com o FTSEurofirst 300 fechando com alta de 0,50%, a 1.312 pontos. Nesta sessão, chamou atenção do mercado a divulgação de dados de inflação e de emprego em diversos países do continente. A Itália divulgou o CPI Preliminar, apontando para uma alta de 0,2% em dezembro na comparação com novembro e avanço de 0,7% na base anual. Na Espanha, uma boa notícia: o número de pessoas registradas como desempregadas caiu 107,57 mil em dezembro ante o mês anterior. Contudo, ainda há 4,7 milhões de desempregados no país.

 

Contato