Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa abre em leve alta na volta do feriado na esteira do mercado internacional

Na volta do feriado, destaque fica para a queda do IOF sobre a emissão de ações brasileiras e para a Vale; governo central divulgará contas

ações - bolsa - cotações - mercados 4
(Getty Images)

SÃO PAULO - Na volta do feriado de Natal, o Ibovespa abre a sessão desta quinta-feira (26) em alta, seguindo o dia positivo do índice futuro das bolsas norte-americanas. Às 10h04 (horário de Brasília), o índice registrava ganhos de 0,40%, a 51.562 pontos. O mercado repercute a queda do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre a emissão de ações brasileiras negociadas no exterior, além do noticiário movimentado das últimas sessões. O mercado segue ainda na expectativa pela divulgação das contas do governo central de novembro, diante das preocupações com a situação fiscal do país. 

No noticiário corporativo, o destaque fica com a Vale (VALE3;VALE5) após fechar acordo com a Brookfield para venda de 26,5% de sua participação no capital da VLI; as ações da mineradora registram leve alta no pregão. As ações de outra blue chip, a Petrobras (PETR3;PETR4) também têm leve alta e ajudam a puxar o índice para cima, uma vez que os papéis das duas empresas correspondem a cerca de 20% do índice. 

Poucas ações registram forte oscilação nesta sessão dentro do Ibovespa. Apenas 12 ações têm alta de mais de 1%, com destaque para a LLX Logística (LLXL3, R$ 1,11, +2,78%). No mesmo horário, apenas a Dasa (DASA3) registrava baixa de mais de 1%, após subir cerca de 11% na última terça-feira após a divulgação de edital de OPA (Oferta Pública para Aquisição), pela Cromossomo Participações, de ações representativas de, no mínimo, 26,4% mais uma ação de seu capital até a totalidade das ações. A empresa é controlada por Edson Godoy Bueno, ex-controlador da Amil e maior acionista da Dasa.

China preocupa e Japão anima, enquanto bolsas europeias seguem fechadas
Nesta data, o grande destaque fica para as bolsas da China fecharam em queda após uma série de três pregões de alta, em meio a preocupações de liquidez com a falta de novas injeções de capital do Banco do Povo da China. O índice Xangai Composto recuou 1,6%, enquanto o Shenzen Composto registrou 1,8%.  O Banco do Povo interrompeu as operações de mercado aberto nesta quinta-feira e não fez novas injeções de recursos, o que afetou o sentimento dos investidores. Vale ressaltar que o crescimento econômico da China deve ficar em 7,6% neste ano, segundo relatório do gabinete citado pela agência de notícias oficial Xinhua, um pouco acima da meta do governo de 7,5% e ligeiramente abaixo do ano passado, quando a expansão ficou em 7,7%.

Por outro lado, a bolsa de Tóquio avançou pela sétima sessão seguida e atingiu a máxima em seis anos, em meio à valorização do real e o iene. No final da sessão, o índice Nikkei teve alta de 1,03%, a 16.174 pontos, o maior fechamento desde 6 de novembro de 2007. Na quarta-feira, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou em entrevista afirmou em entrevista que anunciaria uma nova agenda de reformas em junho. 

Vale ressaltar que, na região da Ásia e do Pacífico, as bolsas da Austrália, Nova Zelândia e Hong Kong ficaram fechadas devido a feriados locais.

Enquanto isso, na Europa, as principais bolsas fecharam a última terça-feira (24) em leve alta, em meio aos dados da atividade econômica da França e da Holanda. As principais bolsas europeias permanecerão fechadas nesta quinta-feira em razão das festividades natalinas.

 

Contato