Em mercados / acoes-e-indices

Governo leiloa 3 rodovias hoje; Petrobras, MMX e mais 9 empresas estão no radar

Produção da Petrobras em outubro fica estável; MMX esclarece informação sobre revisão de Plano de Negócios

P-52 Plataforma Petrobras
(Reuters)

SÃO PAULO - A quarta-feira (4) inicia agitada em meio ao noticiário corporativo. A OGX Petróleo (OGXP3) está mais perto de conseguir um acordo com seus credores internacionais, informou coluna Radar, da Veja, na noite da véspera.

A empresa, que viu suas ações subirem no pregão de ontem ao patamar mais alto desde outubro (quando saíram do Ibovespa) está sendo assessorada pelas consultorias Blackstone e Lazard. O acordo é quase o mesmo negociado pelo ex-presidente da OGX, Luiz Carneiro, demitido em outubro por Eike Batista. Por ele, Eike perde o controle da empresa, com participação diluída de 50,17% para 15%, e os credores passam a deter o controle. O passo seguinte será mudar o nome da companhia, informou a publicação. 

ANTT leiloa três rodovias hoje
A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) realiza hoje o leilão para a concessão das BRs 060/153/262 (DF/GO/MG). Cinco grupos, entre consórcios e empresas, apresentaram propostas para disputar o leilão, e todas as garantias foram classificadas. A licitação será às 10h (horário de Brasília), na sede da BM&FBovespa, em São Paulo. 

O vencedor da proposta será a empresa ou o consórcio que oferecer a menor tarifa de pedágio, respeitando o teto de R$ 5,94 por 100 quilômetros de rodovia. Vão participar da disputa as empresas Triunfo Participações (TPIS3), Invepar, CCR (CCRO3), além dos consórcios integrados pela Ecorodovias (ECOR3), Consórcio Via Capital, e Queiroz Galvão, Consórcio Rodovias Federais 2013. 

Produção da Petrobras em outubro fica estável
A produção média de petróleo da Petrobras (PETR3; PETR4) no Brasil ficou em 1,960 milhão de barris por dia (bpd) em outubro, praticamente estável na comparação com setembro (1,979 milhão bpd), informou a estatal na última terça-feira.

Incluído o volume operado pela Petrobras para as empresas parceiras, a produção chegou a 2,019 milhões de barris por dia (bpd), queda de 1,2% em relação a setembro (2,044 milhões de bpd).

Fusão de Anhanguera e Kroton é levada para Tribunal do Cade
A Superintendência Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que avaliava a fusão entre Kroton (KROT3) e Anhanguera (AEDU3), identificou preocupações concorrenciais em relação à oferta de determinados cursos de graduação presencial e à distante. Com isso, foi impugnado ao Tribunal do Cade o processo para que avalie "eventuais remédios, impostos ou via acordo entre as partes, que solucionem os problemas concorrenciais identificados", como condição para a aprovação da associação entre as companhias.

Em comunicado, a Anhanguera informou que as companhias buscarão uma solução negociada junto ao Tribunal do Cade tão logo seja possível, com o objetivo de afastar as preocupações identificadas e obter aprovação do acordo de associação dentro do prazo.

MMX esclarece informação sobre revisão de Plano de Negócios
A MMX Mineração (MMXM3) esclareceu nesta terça-feira (3) em relação à uma notícia veículada pela Agência Estado - Broadcast no dia 2 de dezembro sobre a revisão de seu plano de negócios. 

Segundo a companhia, conforme divulgado em fato relevante do dia 27 de novembro, o conselho de administração revisou o Plano de Negócios. Com isso, foi vista a necessidade de revisar o projeto de expansão de Serra Azul, passando de 29 milhões de toneladas por ano para 15 milhões de toneladas por ano.

Ambev: incorporação em curso
A avaliação do patrimônio líquido da Ambev Brasil (ABEV3) a ser transferido vale, pelo menos, R$ 1,658 bilhão e propõe-se que, como resultado da incorparação, sejam emitidas, em favor dos minoritários da Ambev Brasil, 62.596 novas ações ordinárias da empresa, em substituição às ordinárias da Ambev Brasil de sua titularidade, na proporção de 1,019657 ações ordinárias da Ambev Brasil para cada ON de Ambev.

A notícia já era esperada no processo de incorporação que está em curso desde 30 de julho, disse a XP Investimentos. A corretora destaca ainda que incluiu as ações da companhia em sua carteira recomendada mensal, com uma expectativa de volumes maiores para o ano de 2014 no Brasil (Copa do Mundo), acreditando que o governo não elevará tributos para o segmento de bebidas (nunca ocorreu em ano de eleições) e pela maior participação no Ibovespa, saindo de 1,6%, que detém atualmente, para 3,2% em janeiro e deve alcançar entre 6% e 7% de participação até o final do ano. 

TIM e Telebras assinam contrato de compartilhamento de rede
A TIM e a Telebras (TELB3; TELB4) assinaram ontem contrato de compartilhamento de 2.208 quilômetros de fibras ópticas de alta capacidade de tráfego ligando Norte, Nordeste e Sudeste. O acordo tornará possível o fornecimento de serviço de banda larga de alta velocidade em localidades remotas, no interior das regiões Norte e Nordeste, além de desafogar a rede no Sudeste. 

As redes compartilhadas entre as duas empresas serão assumidas sem qualquer forma de transmissão de sinais de comunicação nos cabos ópticos. Caberá à cada empresa que receber a estrutura a responsabilidade de iluminação de fibra e prestação do serviço.

Marisa retoma venda de artigos para casa
A Marisa Lojas (AMAR3) retomou no seu site a venda de artigos de cama, mesa e banho diante da procura dos consumidores, vislumbrando participação de 10% da categoria no faturamento do e-commerce da companhia até 2015, afirmou o gerente da divisão, Thiago Pereira. 

Em entrevista à Reuters nesta terça-feira, ele reconheceu que os produtos contam com margens apertadas, por serem mais comparáveis com os da concorrência. "Outra varejista pode ter o mesmo e você acaba entrando na briga de preços", disse.

Saraiva tem vendas fortes na BlackFriday
A Saraiva (SLED4) informou que registrou crescimento de cerca de 80% das vendas, na comparação com número de pedidos de 2012, na BlackFriday de 2013, realizada na última sexta-feira.

 Ainda que não seja possível, na visão da XP Investimentos, inferir que houve uma mudança consistente nas perspectivas de venda para o varejo nos próximos meses, o indicativo de vendas fortes na BlackFriday é sem dúvida uma notícia positiva para empresa. 

CVM impõe multa de R$200 mil a ex-diretor de RI do Banco Pan
A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) aplicou nesta terça-feira multa de 200 mil reais ao ex-diretor de Relações com Investidores do então Banco Panamericano (BPNM4), atual Banco Pan, pela não divulgação de fato relevante em 2009. 

Wilson Roberto de Aro foi acusado de não divulgar fato relevante em 25 de novembro de 2009, mesmo após a constatação de oscilação atípica das ações do banco e indícios de vazamento da informação de que a Caixa iria adquirir 49 por cento do capital da instituição. 

A notícia vazou para a imprensa antes de ser comunicada ao mercado pela instituição financeira. Em sua defesa, o banco afirmou que as negociações com a Caixa vinham sendo mantidas em sigilo por decisão do acionista controlador, e que estas até então não tinham sido concluídas.

 

Contato